Vida de Adoração

O que seria uma vida de adoração? Quando se diz isso, as pessoas já imaginam um monte de gente dentro da Igreja todos os dias. Mas adorar a Deus é mais que isso. Beeeem mais.

Certa vez ouvi uma definição de adoração que achei maravilhosa: “adorar a Deus é fazê-Lo sorrir”. De vez em quando me pego pensando se tenho feito Deus sorrir com minhas atitudes. E não é só com atitudes dentro da Igreja ou no meio dos meus irmãos. É EM TODO O TEMPO.

Uma forma de adorar a Deus é dando bom testemunho no meio onde você vive, sabe? Desde as coisas mais simples (como devolver os centavos que vieram a mais no troco), às mais complexas (não levar aquela bike bonitona só porque ela está no bicicletário sem cadeado). Como cristãos, devemos sempre fazer as coisas certas -mesmo que mais ninguém as faça- e não fazer coisas erradas -mesmo que todo mundo faça.

Sim, é chatinho e não é fácil ser o certinho o tempo todo. Mas é a forma que Deus quer que vivamos nossas vidas: dando o exemplo.

Esses dias, conversando com Leandro, falamos sobre o comportamento de alguns alunos meus. Os adolescentes, de modo geral, não largam seus smartphones de jeito nenhum, nem durante as aulas. O professor está explicando o conteúdo e eles continuam com seus fones nos ouvidos prestando atenção em seus aparelhos. Se você é cristão e faz isso, além de falta de respeito com o profissional que está à sua frente, é mau exemplo para os ímpios que te cercam. Como cristãos, precisamos abrir mão de nossos smartphones não só durante os cultos mas também no decorrer das aulas no Colégio.

O bom testemunho é dado nos pequenos detalhes de nossa vida diária. O amigo não crente observa e percebe que VOCÊ age de forma diferente, até que ele percebe que essa diferença é a vida de adoração que você realmente vive.

Metaforicamente: você e o relacionamento com seu celular têm dado um bom testemunho de vida? O Senhor Jesus só está pedindo que você abra mão um pouquinho do seu smartphone, não está pedindo pra você abrir mão de sua vida. Não, ainda.

QUATRO OUTRA VEZ – Capítulos VII e VIII

Semana passada adiantamos um pouco a história e hoje vamos para o sétimo e oitavo capítulos. Quem será que vai a esse Casamento, hein? Haverá o reencontro das meninas?

_______________________________

Capítulo VII – As viagens

Os meses foram passando, até que chegou julho. Dia 15 as malas de Bia e Rodrigo já estavam prontas. Lolô já havia comprado a passagem para Friburgo, e Carol pôs o carro para fazer revisão na oficina mecânica para pegar a estrada da Serra.

– Vamos, Bia!

– Calma, Rodrigo!

– Já está tudo no carro, o que você está procurando?

– Meu anel.

– Que anel? Aquele com pedras azuis que você não desgruda dele?

– Ele mesmo. Você o viu por aí?

– Não… vou procurar na sala.

Depois de algum tempo…

– Achou?

– Não, Bia… Você não tem noção de onde possa ter deixado?

– Não. Ai, meu Deus… onde eu o deixei? ‘Tá ficando tarde e a gente ainda está em casa…

– Calma, amor. Não chora. Senta aqui. Isso,,, pronto. Agora vamos refazer os seus passos: me conte tudo o que fez desde que acordou.

– Levantei, fui ao banheiro, tomei banho.

– Ok. Já olhei no banheiro e não está lá.

– Fui na cozinha, preparei e tomamos café.

– Já olhou na cozinha?

– Já. Até na lixeira, mas não ‘tá lá. Depois vim para o quarto me vestir. Passei uns cremes, e…

– E…?

– Já sei onde está!!

– Sério? Onde?

– Aqui: no bolso da minha blusa.

– Bia!

– É que eu o tirei para passar creme nas mãos e o guardei no bolso para não perder…8f0e35e40584095c35cfe469be31a749Lorena pegou suas malas e partiu rumo à Rodoviária. Entrou no ônibus e entregou a passagem ao fiscal, que informou:

– A senhora não vai nesse ônibus.

– Como não? – questionou Lorena

– É. Esse ônibus vai para Teresópolis, o que vai para Friburgo vai sair… não! Olhe! É aquele que já está saindo!!

Lorena desce do ônibus desesperada, gritando:- Parem esse ônibus! Tenho um Casamento para ir em Nova Friburgo!! Para tudo!!

E o fiscal a ajuda a parar o ônibus, ela pega suas malas e embarca no veículo certo.

8f0e35e40584095c35cfe469be31a749Carol pegou seu carro na oficina, buscou suas malas em casa e subiu a Serra rumo a Friburgo. Mas, como nem tudo é perfeito, às 11h da manhã de 18 de julho, Carolina fica “plantada” no acostamento, pois o pneu de seu carro furou e ela não consegue trocá-lo.

Porém, para a sua sorte, um rapaz alto, moreno de sol e com belos olhos verdes (daqueles que sobressaem à pele bronzeada), parou atrás de seu carro e indagou com o melhor do sotaque carioca:

– A moça tá perdida?

Carol, extasiada com toda a beleza à sua frente, só conseguiu responder que não com um aceno de cabeça e apontou para o pneu furado.

– Quer ajuda?

Carol, ainda boquiaberta, se quer ouviu a pergunta do rapaz, que insistiu:

– Quer ajuda?

– Hã?! Ah! Quero, sim, por favor. Obrigada. É que eu não sei trocar pneu.

O rapaz começou a trabalhar sob o sol de quase meio dia. Começou a esquentar e ele foi até o carro, apanhou em sua bagagem uma regata e trocou-a, pois a camisa de manga havia sido encharcada de suor.

– Você está viajando para onde? – Carolina quis puxar assunto

– Friburgo, – respondeu o moço terminando de se vestir.

– Que coincidência!! Eu também.

– Pois é, eu ‘tô indo para o Casamento de uma amigo meu.

– ‘Tá brincando?!

– Não, porque?

– E também ‘tô indo para um Casamento lá. Como se chama seu amigo?

– Gabriel.

– E o nome da noiva dele é Julia?

– É. Como você sabe?

– Eu também estou indo para lá. A Julia é minha amigona. Serei uma das madrinhas dela.

– Como é que são as coisas, né?! Que coincidência… bom, ‘tô aqui trocando o pneu do seu carro, indo para o mesmo lugar que você, no Casamento do mesmo casal e ainda não sei seu nome.

– Ah! Me desculpe!… Sou Carolina.

– Marcelo, muito prazer.

E eles continuaram a conversar enquanto Marcelo terminava de trocar o pneu do carro. Carol abaixou ao seu lado,  para ver mais de perto aquele “deus grego” trabalhando, mas sua observação durou pouco, pois Marcelo acabara de trocar o bendito pneu. Ao levantarem, ficaram frente a frente, como prontos para um beijo e, quando Carol quase se rendeu aos apelos daqueles olhos verdes, passou um caminhão buzinando para eles. O que os assustou e os fez cair no riso quebrando o clima antes formado, e foi cada um para o seu carro com destino a Nova Friburgo.

8f0e35e40584095c35cfe469be31a749A viagem de Bia e Rodrigo foi a mais demorada. É que a cada posto de combustível que passavam, Bia fazia Rodrigo parar, pois queria ir ao banheiro ou “tomar ar”, porque não estava se sentindo bem.

– Naquele ali, Rodrigo.

– De novo?

– ‘Tô passando mal.

– Espera mais um pouquinho… paro no outro.

– Não dá! Ou vai ser aqui no carro ou no posto.

E corria Beatriz para o banheiro…

– Ah, já estou melhorando – dizia Bia ao entrar novamente no carro.

– Comprei café. Quer?

– Café? Não, de jeito nenhum. Só o cheiro já tá me enjoando.

– ‘Tá passando mal mesmo. Pra rejeitar café…

– Espero que seja nossa última parada, senão só vamos chegar na manhã do dia 21!

– Se seu mal estar permitir, chegaremos logo. Faltam poucos quilômetros.

8f0e35e40584095c35cfe469be31a749Lorena, em seu ônibus, começa a lembra-se de seu passado com as meninas: quando tocavam na fanfarra da escola, quando brincavam de bonecas, o 1º beijo de cada uma, quando dormiram na casa da Carol para assistirem de madrugada a um jogo de Copa do Mundo de futebol, lembrou de sua paixão adolescente pelo Fabrício, até que se surpreende quando percebe que está se perguntando se hoje em dia essa paixãozinha daria certo. Mas suas recordações são interrompidas por uma freada brusca do ônibus e o gritos de algumas crianças assustadas.

– Droga! Não acredito! Não acredito! – repetia indignado o motorista

– O que houve?

– Soltou alguma coisa, acho que no motor.

O motorista desceu, analisou a situação do veiculo, voltou e anunciou:

– É pior do que imaginava. Já liguei para a empresa e mandarão outro carro para levá-los.

– Não acredito… – lamenta Lorena

E os passageiros descem, apanham suas bagagens. Alguns voltam para seus lugares; outros, como Lorena, sentam no acostamento por cima das malas.

– Eu sabia! Devia ter alugado com carro, sabia! Mas não, preferi vir de busão, é mais barato… agora só vou chegar amanhã! Ai, tédio!…

8f0e35e40584095c35cfe469be31a749– Cadê as meninas? Já são 13h e nada!

– Calma, Ju… elas moram longe, estão vindo cheias de bolsas….

– Ah, Gabriel, tô ficando preocupada.

– Deixa disso. Daqui a pouco elas chegam. Vamos almoçar. Minha mãe chamou a gente já faz meia hora.

8f0e35e40584095c35cfe469be31a749– Quero ir embora… – lamentava baixinho para si mesma – Ai, que calor!

– Está muito abafado mesmo – concordou uma senhorinha ao lado de Lorena

– Não sei onde é pior: se é dentro do ônibus ou aqui fora.

– Ah, no ônibus, minha filha. Eu ‘tava lá e saí porque não me aguentei.

– Quanto tempo a gente deve ficar aqui?

– Nãos sei… mas peguei o celular daquela moça ali e liguei pro meu filho vir me buscar.

– É?

– Mas não vou te oferecer carona, pois ele vem me buscar para me levar de volta para Niterói. A não ser que você queira ir para lá…

– Ah, não. Niterói, não. Obrigada.

– Aêêê! ‘Tão a pé!… – gritavam uns caras que passavam de carro.

– Engraçadinhos! Carona, que é bom, nada!

– Calma, minha filha… daqui a pouco aparece o outro ônibus.

– ‘Tá olhando o que?! – Lorena disse em tom de desafio a um motorista que passou um pouco mais devagar

– Minha filha, ele ‘tá voltando…

– Ai, meu Deus! – tremia

O rapa parou o carro, desceu e encarou Lorena, que o olhava apavorada e pronta para se desculpar, até que o rapaz a surpreendeu:

– Lorena! – disse abrindo os braços

– Quem é você?

– Não se lembra de mim, Lolô?

– Ai, meu Deus! Quem é esse cara?!

– Lolô! Sou eu, Fabrício!

– Fabrício?!

– Sim, sou eu mesmo! Irmão da Ju!

– Caramba! Não acredito!… – diz retribuindo ao abraço

– Nossa, Lolô, com todo o respeito: você está ótima!

– Obrigada, Fabrício, você também. Como está mudado, nem te reconheci!

– O que faz aqui? Não vai ao Casamento da minha irmã, não?

– Eu ‘tava indo, mas o busão quebrou e fiquei a pé.

– Vamos, te dou carona.

– Claro. Mas podemos levar essa senhora que estava ao meu lado?

– Hum… acho que não.

– Hã?

– Mas é claro! Vambora!

– Vamos? – perguntou Lorena à senhora

– Ah, não, minha filha… meu menino já vem me buscar, senão aceitava sim. Obrigada.

– Então tá! Eu já vou. Fique com Deus!

– Vai com Ele você também! Ah! E aproveita a carona do moço. Como vocês dizem, ele é um gatinho!…

Lorena sentiu as bochechas queimarem enquanto entrava no carro de Fabrício.

8f0e35e40584095c35cfe469be31a749Beatriz e Rodrigo estão conseguindo, com muito custo, chegar a Nova Friburgo. Mas, antes da tão aguardada chegada, eles fazem mais uma parada.

– Bia, acho melhor a gente procurar um posto médico quando chegar na cidade.

– Que nada, Rodrigo!

– Você está enjoando muito.

– Ih! Sou assim desde pequenininha. É entrar no carro e enjoar.

– Sim, eu sei. Mas das outras vezes que viajamos não foi assim.

– É, realmente…

– Então? Não é melhor procurarmos um médico?

– Quem sabe depois, quando voltarmos pra casa? Vamos?

– Vamos.

E seguiram viagem.

8f0e35e40584095c35cfe469be31a749– Nunca imaginei que um dia seria escoltava por um filé desses… – pensava Carolina em seu carro – Ah! Se eu pego… faço um estrago! Não sobraria nada para contar a história…

8f0e35e40584095c35cfe469be31a749– Gabriel… cadê todo mundo?

– Calma, Ju.

– Não é possível que seja engarrafamento.

E Julia é interrompida por um som de buzina.

– É o carro do Fabrício! Gabriel, meu irmão chegou!!

– Não falei pra você que estavam chegando? Vamos até lá recebê-lo! Ei! Olhe!

– Quem tá com ele?

– É uma moça. Namorada nova, talvez?

– Não acredito! É a Lorena!! – reconhece Julia ao chegar mais perto

– Oi, mana!…

– Oi, Fabricio! Oi, Lorena!

– Quanto tempo, Ju!

– ‘Tá chegando mais alguém – anuncia Gabriel

– Não acredito! É a Bia! – surpreende-se Julia

– Oi, meninas! Quanto tempo!… – diz Bia ao descer do carro e abraçando as amigas

– Que legal que vocês chegaram. Eu estava preocupada, impaciente… só falta a Carol, agora.

– Faltava – aponta Lorena.

– Ah! Não acredito!! Que saudades! – gritava Carol ao descer do carro.

reencontroCapítulo VIII – Primeiras considerações

– Vamos, gente. Entrem. – recepcionava Gabriel

– E então, como foi a viagem de vocês? – indagava Julia

– A minha foi lenta, fazendo pit stop em todos os postos de combustível. – contou Beatriz

– Eu peguei um ônibus para Teresópolis, desci, peguei o busão certo, mas ele quebrou, fiquei na estrada, mas o Fabrício me viu, me reconheceu e ofereceu carona. – dizia Lorena recuperando o fôlego

– Sortuda, como eu. O pneu do meu carro furou, mas o Marcelo, amigo do Gabriel, parou e me ajudou – gabava-se Carolina

– Nossa! A viagem de vocês dá um livro! – ria Julia – Bom, agora tenho uma coisa meio chata para contar.

– O que? – assustou-se Bia

– O Casamento foi adiado? – perguntou Carol

– Foi ontem? – brinca Lorena

– Não, não… é outra coisa; – tranquilizava Julia – É que depois que mandei as cartas para vocês, umas primas do Gabriel ligaram para a D. Ana se oferecendo para virem 2 dias antes e sabem como é, né? Prima é prima… e minha sogra ficou sem graça de empatar a vinda delas.

– Então elas veem amanhã? – perguntou Lorena – O que tem isso de chato?

– Bom, o chato é que não temos quartos suficientes, um pra cada um. Então a gente ‘tava conversando e achou melhor um quarto para as as moças e outro para os rapazes; e a Bia, como é casada, ficaria no quarto do Gabriel e ele passava pro quarto dos meninos.

– Gostei! Taí! Que nem nos acampamentos mistos – vibrava Carolina

– Que nem quando éramos adolescentes. Vou levantar poeira! – comemorava Lorena

– Ju, não se preocupe  comigo e Rodrigo. A gente entra na bagunça dos solteiros. Até porque, ocupar o quarto do noivo não é muito seguro…

– Porque, Bia?

– Sei lá… vai que aparece uma “surpresinha” de despedida de solteiro e eu lá… melhor não.

E todas caem na gargalhada.

8f0e35e40584095c35cfe469be31a749– E então, rapazes? O que acharam da ideia do quartos? – quis saber Gabriel

– Na moral. – concordava Fabrício

– Com certeza a Bia vai querer ficar com as garotas, aí eu iria ficar na pista. – diz Rodrigo

– Vai ser legal. Já penou observá-las trocando de roupa pelo buraquinho da fechadura? – planejava Marcelo

– E aquelas conversinhas de mulher? A gente vai ouvir tudo. – comemorava Fabrício

– Então vamos. O quarto é lá em cima.

_______________________________

Agora essa história vai andar! Até semana que vem!!

_______________________________

Perdeu as primeiras postagens? Não tem problema! Acompanhe:
Capítulos 1 e 2 e Capítulos 4, 5 e 6

Ainda existe gente boa no mundo. E esse cara foi meu aluno!

No dia 07 de maço de 2015 aconteceu algo no Colégio que muito me emocionou. Essa história apareceu nas lembranças do Facebook e, como no ano passado (quando ela fez 1 ano), resolvi compartilhar. Sempre vale a pena reler histórias como essa.

________

“A sexta feira terminou e me dei conta q não compartilhei a grata surpresa q tive hj: ainda existe gente boa no mundo.

Enquanto dava aula para a 2ª série do Ensino Médio, depois do recreio, uma moça da 3ª série bateu aflita à porta da sala. Atendi e perguntei se ela queria falar com alguém. Ela respondeu dizendo que queria fazer uma pergunta para a turma, mas q ela estava com vergonha e indagou se eu poderia transmitir a pergunta aos alunos. Respondi q sim e ela me fez o seguinte pedido:
– Professora, pergunta a eles se alguém encontrou o celular da minha amiga.
– Mas minha filha, vc acha q devolverão o celular? Que modelo era?
– Um Iphone S4.
Admito q não prendi o riso incrédulo. E disse a ela para aguardar que, mesmo achando q ninguém devolveria um Iphone, perguntaria à classe.
Quando perguntei se alguém havia encontrado um celular durante o recreio, meus alunos me questionaram “que celular?” e eu respondi que era um Iphone. Para a minha feliz surpresa um dos meus alunos se levantou, pôs a mão no bolso e tirou dele um aparelho com a famosa maçãzinha atrás. “É esse aqui?” – perguntou ele à moça na porta. Ela agradeceu super feliz e foi chamar pela amiga, que correu até a sala para agradecer ao rapaz.

A turma disse q ele era bobo, otário e outras coisas mais por devolver UM IPHONE. O defendi dizendo que a atitude dele foi correta, que não deveriam falar assim com ele, que simplesmente revidou: devolvi o celular porque ele NÃO É MEU.

Fiquei tão feliz, orgulhosa e emocionada! Queria abraçar muito aquele garotão, ligar para a mãe dele e agradecer a ela pelo cidadão de bem que ela criou. Infelizmente não a conheço pessoalmente, mas estou pensando seriamente em procurá-la.”

jl

QUATRO OUTRA VEZ – Capítulos III, IV, V e VI

Então, gente! Curtiram os 2 primeiros capítulos que postei na semana passada? Hoje a história vai caminhar mais um pouquinho! Espero que gostem! 😉

_______________________________

Capítulo III – Ju

Na Espanha, enquanto almoçam em um intervalo de aula na faculdade…

– Casa comigo? – pergunta Gabriel

– Como assim? – responde Julia

– Casa comigo! Quero ser o pai dos teus filhos, viver toda a minha vida ao teu lado. Já namoramos há mais de 3 anos e esse tempo com você serviu para afirmar o quanto eu te amo! Podemos nos formar, voltar e morar no Brasil, criar nossos filhos em nosso país, junto de nossas famílias… mas para isso, preciso saber se quer casar comigo.

Mesmo atônita e surpresa, Julia consegue formar uma única palavra, no entanto a mais importante para o momento: – Sim.

C003-800x800E os meses vão se passando, eles se formam e voltam para o Brasil, onde são recebidos de braços abertos por ambas as famílias.

O Casamento vai sendo preparado com maior carinho detalhe por detalhe. Vestido, festa, Igreja, decoração, música, bolo, daminhas, bem casados, convites, lista de convidados… ah! E por falar em convidados, Julia não poderia deixar de convidar suas amigas Lorena, Carolina e Beatriz.

“Como será que estão? Concluíram a faculdade? Será que já casaram? Acho que não… senão eu ´já saberia, como soube do da Bia… Serão as mesmas ou mudaram? Será que as reconhecerei?” – Julia não cansava de se perguntar.

Os convites foram pouco a pouco sendo enviados e, para as amigas, Julia os mandou acompanhado de uma cartinha muito especial.

md.0000036225Capítulo IV – Bia

– Correio!

– Bia, a carta é para você! – anuncia Rodrigo

– Pra mim?! De quem será?

– Não sei… Aqui está escrito Julia Almeida… não é aquela sua amiga?

– É ela sim!! Deixa eu abrir! Veja, é um convite de Casamento e uma carta!

cartaBia

Bia, com os olhos marejados, olha o anelar direito, observa seu anel e decide que vai ao Casamento da amiga.

– E quando é o Casamento? – pergunta Rodrigo

– Dia 22 de julho. Ela chamando a gente três dias antes para matar a saudade.

– E tem hospedagem lá perto? Temos que reservar!

– Não precisa… ela nos convidou para ficar na casa da família do Gabriel, o noivo. Toma. Lê aqui.

Capítulo V – Carol

– Mãe, cheguei! Boa noite, pai.

– Oi, filha! Chegou uma carta para você.

– Cadê?

– Aí na mesinha do telefone. Já viu de quem é?

– Caraca!! Não acredito, pai! É da Julia!

– Gabriel Bastos… esse nome não me é estranho… Ah! Deve ser alguém lá da clínica. Que coincidência… já fiquei com um Gabriel. Bonito, beijava bem… Ih!!! Para com isso, Carolina! Acorda! Não tem só uma Maria no mundo, e muito menos um só Gabriel!! Meu Deus! Cadê o anel?! Mãe! Cadê aquele anel com pedrinhas azuis?

– Deve estar nas suas coisas. Vê na caixinha de música.

– Achei!

Carolina realmente havia encontrado o anel, mas na caixa que Bia o entregou. Só faltou o laço de fita para completar o embrulho que a amiga havia feito. O arrependimento bateu, pois descumpriu duas promessas: nunca procurou nenhuma das três amigas e usou o anel somente nas vezes em que as encontrou no verão de 99 e no Casamento de Bia, em março de 2002. Seu anel estava praticamente intacto.

1_1_130401110342_adesivo-de-parede---ramos,-flores-e-borboletaCapítulo VI – Lolô

– Conta de luz, taxa de condomínio, conta de gás… contas, contas e mais contas! Ai, que tédio! Nunca me mandam alguma coisa boa do tipo “você ganhou uma fortuna!”. O que é isso? – surpreende-se Lorena – Será que é a minha fortuna? Ah, não. É só uma carta. Se for do Diego, aquele insistente! Deixa-me ver… ah, não! Não é dele! É da Julia! Não creio…

– Ah! “…o Fabrício também estará aqui…” Vê se pode? Foi-se o tempo em que eu queria ser cunhada da Ju. Agora, o que mais quero é distância dos homens! Três anos e meio amarrada ao Diego, e agora que tenho um tempo só meu, que estou livre para voar, me aparece essa de “…o Fabrício também estará aqui…”, é mole?! Eu vou no dia 18, mas não por causa do Fabrício, é porque quero rever minhas amigas.

_______________________________

O que você acha que vai rolar nesse final de semana prolongado, hein? Acompanhe semana que vem o próximo capítulo!!

Até terça! 🙂

Tulipa

Esses dias me dei conta que nunca contei que adotamos uma cadelinha rua! Sim, nossa família cresceu!

CAM00923

Farofa e Biriba

Tudo começou em 2013, quando ainda morávamos no flat -uma residência funcional pequenininha que a empresa onde Leandro trabalha nos cedeu. O flat foi benção em nossas vidas, mas não tinha quintal. E, como sou apaixonada por bichos (especialmente cães), logo apareceram cachorros em nossa porta pedindo carinho. Como ignorar?! Alguns apareciam do nada e da mesma forma sumiam, enquanto outros marcavam presença quase que diariamente em nossa porta. Era o caso de 3 vira latas: uma fêmea de pelos rebeldes e pretos, um macho “de meia idade” de pelagem marrom e outro macho jovem preto e branco. Em pouco tempo a trinca já tinha nome: Pretinha, Farofa e Biriba (já que era alvinegro, pq não lhe dar nome do mascote do Botafogo?!). Pretinha morava em uma praia vizinha e vivia mais sumida do que em nosso meio; Farofa era territorialista e já tinha escolhido um flat vizinho para chamar de seu; e Biriba, bem, Biriba era querido por tanta gente que tínhamos pressa em arrumar logo uma casa com quintal para levá-lo conosco.

Mas, como diz na história do Joseph Klimber, “a vida é uma caixinha de surpresas”…
No dia 14/09/15 perdemos nosso querido Biriba para a doença do carrapato. Como nossa casa ainda estava em obra, o levamos para um lar temporário e cuidamos com todo amor mas, quando o recolhemos da rua, ele já estava doente e não conseguimos salvá-lo. :'(

Algumas semanas antes de nosso amicão virar estrelinha, uma cachorrinha ainda com cara de filhote começou a frequentar nosso quintal. Já que esperávamos nosso Biriba se recuperar, a enxotávamos, mas ela sempre voltava e dormia na caminha q seria dele. Cachorrinha dócil, mt mansinha, calma, olhar tranquilo… como o nosso Biriba. Aliás, olhinhos amarelos como os do Biriba! “Será q ela é cria dele?” – nos perguntávamos – “Olha essa carinha fofa!”, “E esse pelo meio liso e meio crespo? Será filhote dele com a Pretinha?”. Pronto! É herança de Biriba e Pretinha. “Vamos fazer DNA! Tenho certeza q ela é filhote do Biriba!” – dizíamos.

Tulipa em 16/10/15

Se é mesmo cria do nosso querido “estrelinho”, até hoje não sabemos. Mas q foi Deus quem mandou essa bichinha pra cá, foi!

Biriba é um cão insubstituível. Até hj lágrimas nos vêm aos olhos quando vemos suas fotos, cachorros parecidos ou alguma lembrança vem à mente.
Mas essa bichinha é uma enviada de Deus para nos ajudar a passar por esse momento tão triste em nossa vida. E um presente não se devolve. Ainda por cima um presente como esse!

Sendo assim, desde 10/10/15 Tulipa oficialmente faz parte de nossa família.
Nosso quintal nunca mais foi o mesmo: vive esburacado; nossa área de serviço (onde ela dorme) está cheia de pelos; não viajamos mais tranquilamente se precisamos deixá-la em casa; as formigas não têm mais sossego; o carteiro e os garis conhecem seu latido de longe… mas querem saber? Nossa vida tem mais graça por causa das gracinhas e traquinagens de nossa filhotona.

03/06/16

Ela já tem até plaquinha de identificação nome dela e nosso telefone.
Como veio da rua, Tulipa deu várias escapadinhas nas primeiras semanas e a plaquinha foi essencial para seu retorno. De vez em quando ela sente saudade da rua e dá uma fugidinha. Então, se encontrar essa sapequinha por aí, pode ligar q vamos buscar! Afinal, nossa família é mais feliz com nossa Tulipa.

Tulipa ganhando um carinho todo especial no dia da castração (18/04/16)

QUATRO OUTRA VEZ – Capítulos I e II

17342962_1106412309488524_1806748756187820183_nOntem anunciei no Facebook que hoje teríamos uma estreia aqui na página! Sim, hoje apresentarei o 1° e o 2° capítulos da história que prometi no dia da primeira postagem após a revitalização do blog. Depois de muito pensar e procurar, finalmente encontrei o caderno onde o romance está rascunhado.

Trata-se de uma história de amor e amizade que escrevi entre novembro de 2004 e outubro de 2005 (sim, mais de 10 anos atrás!! rs), no finalzinho do Ensino Médio Normal, quando tinha 18, 19 anos. 😮 Então, não esperem nada muito rebuscado mas, como diz na imagem, ajeita o coração que vem coisa boa por aí!! É uma historinha bem gostosa de ler -pelo menos é o que minha amigas diziam na época que estava escrevendo.

Ah! E sobre o título, ainda não está definido. No final da divulgação do “livro”, pretendo abrir um concurso e/ou uma enquete para escolher um nome mais adequado. Vambora? 😉

SENTA QUE LÁ VEM A HISTÓRIA…

Capítulo I – Promessas

– É uma pena… – lamenta Julia

– O que? – pergunta Carolina

– A gente estar se formando? – brinca Lorena

– Não… a gente se separar. Com o fim do Colegial, cada uma vai para uma faculdade longe daqui e nunca mais nos veremos… – conclui Julia

Lorena: – Nunca mais é muito tempo!

Carolina: – É claro que nos veremos outras vezes! Não conseguiram nos separar desde a 4ª série, não é agora que vai acontecer!

Beatriz: – Trouxe uma surpresa!

Lorena: – O que é?

Beatriz: – Peguem. É uma caixinha e um envelope para cada uma. Desde o primeiro ano queria fazer isso, mas só agora consegui.

Julia: – Não precisava, Bia!…

Carolina: – Mas é lindo…

Lorena: – Eles são iguais?

Beatriz: – Sim, todos os quatro anéis e as quatro cartas também. Agora que não nos veremos com tanta frequencia, comprei os anéis para selarmos a nossa amizade que, afinal, já dura mais de 7 anos.

Julia: – São lindos, Bia! Obrigada!

Lorena: – Usarei sempre. Valeu, Bia!

Carolina: – Vou usar todo dia. ‘brigada, Bia!

– Lorena, vamos! Já é tarde.

– Já vou, mãe! – respondeu Lorena

Julia: – Tchau, Lorena!

Carolina: – Vai com Deus.

Beatriz: – Até logo.

Lorena: – Amo vocês, meninas! Beijos.

E a festa de formatura vai acabando, as meninas vão se despedindo e indo embora.

Durante o mês de janeiro elas se encontraram em algumas festas, na praia… porém, as aulas na faculdade começaram e aconteceu o que Julia tanto temia: não se viram mais.

caixa-azul-da-corao-forma-com-anel-dourado-com-jias-22291965Capítulo II – Promessas não cumpridas

Os anos foram passando, as moças cresceram e se tornaram mulheres.

Julia foi estudar Arquitetura na Espanha, onde conheceu um brasileiro com sangue bem verde e amarelo: ama futebol e carnaval. O nome dele é Gabriel, com quem logo no início da faculdade começou a namorar.

Beatriz já é uma senhora! Pouco mais de 2 anos depois da formatura, se casou com Rodrigo, filho de um amigo de seu pai.

Carolina se formou em Psicologia e é uma profissional bem requisitada em sua área.

Lorena é a que se diz em melhor fase. Terminou um namoro de 3 anos e meio com um rapaz que fazia Educação Física na mesma universidade em que ela cursava História.

_______________________________

E aí? Curtiu os primeiros capítulos? Terça que vem tem mais!! 😉 Se não curtiu, calma que a história só ‘tá começando… vai engrenar! rs

Até semana que vem! 🙂

Casamento x Maquiagem

.

.

Quando tinha por volta de 16 anos, minha mãe já era Consultora Natura. E, quando acontecia algum evento que ela não podia ir, eu a representava e nisso acabei fazendo cursinhos de perfumaria e de maquiagem. Não saí expert, mas consegui guardar alguns ensinamentos e um deles é que não devemos nos focar em “consertar” as imperfeições, mas dar destaque nos pontos positivos.

Assim deve ser com o Casamento (e outros relacionamentos, inclusive): não devemos tentar ficar mudando o outro, reclamando de seus defeitos; devemos prestar atenção e valorizar as virtudes e qualidades do companheiro para o relacionamento ficar cada vez mais bonito.

O dia em que o Brasil parou (ou deveria ter parado)

Sabe, eu não iria escrever sobre isso, não… mas hoje fiquei tão indignada com umas coisas que li no Facebook que fiquei “engasgada” o dia inteiro e precisava desabafar!

Hoje, 15 de março de 2017, foi declarado que seria o dia da greve de todas as categorias em todo o território nacional contra a terrível reforma que o governo golpista e sua corja querem impor. Para entender melhor o que será, na prática, a Reforma da Previdência, veja o quadro abaixo:

17203250_579926748867479_2074008688898529392_nPor exemplo: eu, professora, que teria aposentadoria especial aos 50 anos, vou ter que trabalhar até meus 72 anos (isso se viver esse tempo todo!). E assim será com todos, independentemente do tipo de trabalho que exercer durante a vida. Agora, imagine meu exemplo: uma professora de Educação Física com seus quase 50 alunos no meio da quadra no auge de seus 70 anos! Isso mesmo, 70 anos!! Também ficou indignado? Pois é. Todos estamos. E por isso todos os protestos no dia de hoje.

Mas, porém, entretanto, contudo, todavia… tem gente -pasmem!- COM IDEIA DIFERENTE!

bater_panela_facilTem gente confundindo as coisas, achando que hoje é mais um dia de protesto político. Estão se dizendo de consciência tranquila com a Reforma da Previdência e por outras medidas cabulosas que o governo tem tomado, simplesmente porque não votaram na Dilma em 2014. Dizem que não votaram em Dilma, logo não votaram em Temer e que não se sentem culpados. E ainda enchem a boca para dizer que foram para as ruas de verde e amarelo com suas camisas canarinho da CBF pedindo “fora, Dilma!”. Cara, a culpa é tua sim! Se acha que o governo é tão corrupto assim, em vez de ter batido panela deveria ter pedido NOVAS ELEIÇÕES. Essas pessoas foram pra rua pedir “fora Dilma!” achando que quem assumiria seria o Aécio, só pode! Só que são tão inocentes (para não dizer burras!) que nem sabem que, por lei, quando existe a deposição de um presidente, quem assume é seu vice e não o 2° colocado como em campeonato de futebol de bairro. Logo, ao bater panela orgulhosamente pedindo “fora, Dilma!”, automaticamente estavam gritando “assume, Temer!”. À propósito, teoricamente essas pessoas foram a favor do golpe contra a presidente por causa de um um crime que, quase 1 ano após o impeachment, ainda não se tem provas concretas contra ela mas, na prática, queriam que o cara mais afundado na lama dessa história toda assumisse o governo do país. Foram pra rua contra a corrupção, sim. Sei!… Agora ficam aí arrotando desculpinhas se dizendo inocentes de toda essa sujeira que está acontecendo no Brasil.

Pois bem, conseguiram o que queriam: tiraram Dilma Rousseff do poder, estão acabando aos poucos com os programas sociais e entregaram a nação aos empresários. O que não contaram a vocês, classe média e pobres de direita (cheios de direitos e sem nenhum dever), que os caras da classe alta não governam por vocês. E a Reforma da Previdência é só um exemplo.

07-06-previdencia-quebrada14788850071Ah! E só para deixar bem claro, antes que coxinhas invadam a minha publicação: não sou petista, lulista, peemedebista, psdbista… nada disso! Só sou a favor da JUSTIÇA.

Multas de trânsito

GENTE, TIREI A HABILITAÇÃO!! FINALMENTE!

Meta dos 30 anos cumprida! 😀

Eu sei que tirei um cadinho tarde que, se dependesse do meu marido lindo, essa carteira já teria uns 4 anos, mas finalmente criei coragem e assisti às aulas teóricas, simuladas e práticas da autoescola. E no dia 22 de fevereiro (sim, aniversário do maridão!) fiz a prova de direção e, com uma faltinha média (de 2 pontos) fui aprovada!! Aêê! No dia 04 de março fui buscar minha PPD (permissão para dirigir) e tô que tô!

Motorista nova na área, galera! Cuidado comigo! Sou recém habilitada!!

Pegando esse “link” vou contar algo que aconteceu comigo hoje. Calma!! Não é nenhuma infração de trânsito, nada disso, rs

Recebi em um dos grupos que participo no WhatsApp uma mensagem falando sobre os novos valores de multas que estariam valendo a partir de hoje. No entanto, quando me matriculei na autoescola, em setembro, recebi a mesmíssima mensagem. Então aproveitei e tirei as dúvidas com o instrutor na hora. Hoje, quando recebi a mensagem, logo reconheci a corrente, avisei que era boato e desfiz o engano. Aproveitando, fiz uma pesquisa e enviei no grupo. Compartilharei a matéria de julho de 2016 logo abaixo:

“(…)

Há várias informações incorretas nessa mensagem. Saiba abaixo o que é verdade e o que é falso, conforme o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Película escurecida no vidro foi proibida: FALSO

A mensagem diz que o uso de películas escuras está proibido: [‘Proibido o uso de películas escuras multa R$370.70 (Mais a retirada)’] isto é mentira. Só não pode usar película mais escura que o permitido.O que diz a regra?

– o para-brisa incolor deve manter, no mínimo, 75% de transparência; o colorido, 70% (excluindo a faixa periférica destinada a dar acabamento ao vidro). Para os demais vidros, inclusive o traseiro, esse percentual é de 28%.

O uso de películas que ultrapassem esse limite é infração grave (5 pontos na carteira), com multa de R$ 127,90 (que será reajustada para R$ 195,23 em novembro de 2016) e retenção do veículo para regularização.

Farol ou lanterna quebrada dá multa: VERDADE, EM PARTE

[‘Farol ou lanterna queimada multa R$210.15 (Por lâmpada)’]

Dirigir um veículo com defeito no sistema de iluminação, de sinalização ou com lâmpadas queimadas é infração média, de 4 pontos na carteira, cujo valor da multa é R$ 85,13 (subirá para R$ 130,16 em novembro de 2016), e não R$ 210,15 (artigo 230). Mas o Código de Trânsito não diz que o condutor será multado por cada lâmpada queimada. A lei é mais dura com quem transitar com o farol desregulado ou com o facho de luz alta de forma a perturbar a visão de outro condutor: isso é infração grave (5 pontos), com multa (R$ 127,69, que será reajustada para R$ 195,23 em novembro de 2016) e retenção do veículo para regularização (artigo 223).

Pneu careca dá multa: VERDADE, EM PARTE

[‘Pneus ruins multa R$760.65 (Por cada pneu ruim)’]

O Código de Trânsito não cita pneus ruins ou “carecas”. Mas o artigo 230 considera infração conduzir o veículo “em mau estado de conservação, comprometendo a segurança, ou reprovado na avaliação de inspeção de segurança e de emissão de poluentes e ruído”. A infração é grave (5 pontos), com multa de R$ 127,68 (que será reajustada para R$ 195,23 em novembro de 2016). Não há nenhuma determinação de que uma multa seja dada por cada pneu em mau estado.

Multa para limpador de vidro – VERDADE, EM PARTE

[‘Limpador de vidros multa R$202.12’]

Também no artigo 230, o Código de Trânsito considera infração grave conduzir o veículo sem acionar o limpador de pára-brisa sob chuva. São 5 pontos na carteira e a multa é R$ 85,13 (subirá para R$ 130,16 em novembro de 2016), e não R$ 202,12.

Carro em estado ruim dá multa – VERDADE, EM PARTE

[‘Carro em estado ruim, multa R$3.340,89 (+Apreensão do veiculo)’]

É o mesmo caso do pneu “careca”: o Código de Trânsito, no artigo 230, cita que conduzir o veículo em mau estado de conservação, comprometendo a segurança, ou reprovado na avaliação de inspeção de segurança e de emissão de poluentes e ruído, é infração grave. São 5 pontos na carteira e multa de R$ 127,68 (que será reajustada para R$ 195,23 em novembro de 2016), e não de R$ 3.340,89, e retenção do veículo para regularização.

Fumar guiando – VERDADE, EM PARTE

[‘Fumar guiando multa R$193.70’]

Não há nenhuma lei especificamente sobre fumar, mas ao fazer isto motoristas geralmente deixam o braço para fora por causa da fumaça ou usam apenas uma das mãos para conduzir, enquanto a outra segura o cigarro. Guiar usando apenas uma das mãos ou com o braço para fora é infração média e dá multa de R$ 85,13 (subirá para R$ 130,16 em novembro de 2016), e não de R$ 193,70, conforme o artigo 252 do Código de Trânsito.

Não parar para pedestres – VERDADE, EM PARTE

[‘Não parada para pedestres andando ou não pela faixa, multa R$358.98’]

Deixar de dar preferência de passagem para o pedestre ou a veículo não motorizado (bicicleta, por exemplo) em cima da faixa é considerado infração gravíssima (7 pontos). Segundo o artigo 214, a falta de respeito pode ser penalizada com multa de R$ 191,54 (que será reajustada para para R$ 293,47 em novembro de 2016), e não de R$ 358,98, com diz a mensagem. O mesmo acontece se o pedestre ou bicicleta estiver atravessando quando o sinal abrir. Caso o motorista arranque mesmo assim, ameaçando o pedestre e outros veículos, ele pode ser enquadrado no artigo 170, que prevê também a suspensão da carteira de habilitação e retenção do veículo, além da multa de R$ 191,54 (que passa para R$ 293,47 em novembro de 2016) e dos 7 pontos.

Insultos entre motoristas – FALSO

[‘Insultos entre motoristas flagrados por qualquer Agente de Trânsito, multa R$107.23’]

Insultos entre motoristas não resultam em multa de trânsito. Só existe previsão de multa se o motorista desobedecer as ordens de um agente de trânsito. Nesse caso, é infração média (5 pontos) e o valor da multa é de R$ 127,68 (que será reajustado para R$ 195,23 em novembro de 2016).

Som alto – VERDADE, EM PARTE

[‘Som alto, NÃO importando o horário, multa R$69.73’]

O artigo 228 do CTB afirma que usar no veículo equipamento com som em volume que não seja autorizado pelo Contran é infração grave (5 pontos). A multa é de R$ 127,69 (vai subir para R$ 195,23 em novembro de 2016) é o veículo é retido.

Qual é o limite do volume? Atualmente, o limite definido é de 80 decibéis, a uma distância de 7 metros, e de 98 decibéis, a apenas 1 metro.

Como é medido? A medição deve ser feita com um decibilímetro certificado pelo Inmetro.

Tem horário de silêncio? A lei não fala em horário.

Ficam fora desta regra as buzinas, sirenes, veículos de publicidade com caixas de som e carros de competição nos locais devidos.

Rodas diferentes – FALSO

[‘Rodas com aro maior ou menor que o fabricante do veículo, multa R$278.66’]

É possível mudar as rodas sem infringir a lei, desde que o diâmetro total do conjunto (roda + pneu) seja mantido, conforme o artigo 8 da Resolução 292 do Contran. Ou seja, se quiser uma roda de aro maior, o pneu deve ter altura menor para equilibrar a conta e somar o mesmo diâmetro total que o anterior. Isto ocorre porque qualquer alteração do diâmetro causa informações equivocadas no hodômetro e velocímetro do veículo. Além disso, a troca de rodas pode pedir pneus de largura diferente. Nestes casos, o conjunto não deve ultrapassar o limite do pára-lamas, tampouco tocar em alguma parte do veículo quando for esterçado. Adaptações fora deste padrão estão sujeitas a multa de R$ 127,69 (vai aumentar para R$ 195,23 em novembro de 2016) e 5 pontos, caso não tenham autorização prévia do Detran.

Multas mais pesadas – VERDADE, EM PARTE

Na mesma data, algumas infrações também serão agravadas. É o caso do uso do celular.

[‘As Blitzs vão fazer a festa! Muita gente não sabe! Resolução CONTRAN N° 333 de 2016. Fica a dica! Lembrando a todos – A partir de hoje , valendo em todo o Brasil, os novos valores reajustados das multas de trânsito:
Ser flagrando falando ao celular R$ 574,00
Furar SINAL VERMELHO foi de 125,00 para R$ 780,00
Ultrapassar em faixa continua ou local proibido agora é 1.915,00
ACABOU A FARRA DAS MULTINHAS DE R$68,00 – R$85,00 – R$125,00
AVISO AOS DESAVISADOS’
]

Falar ao telefone enquanto estiver ao volante passará de infração média (4 pontos) para gravíssima (7). Assim, o valor da multa subirá dos atuais R$ 85,13 para R$ 293,47. E, também a partir de novembro, essa infração inclui também manusear o aparelho (isso não estava escrito no código de trânsito). Ou seja, o motorista pode ser multado enquanto manda mensagem ou confere algum site ou aplicativo, caso segure o celular para isso.

“Furar” o sinal vermelho continua sendo infração gravíssima (7 pontos), com multa de R$ 191,54, que subirá para R$ 293,47 em novembro de 2016.

Ultrapassagem em local proibido ou pela contramão (artigo 203 do código) é infração gravíssima (7 pontos), com valor da multa multiplicado por 5, desde 2014. Com o reajuste em novembro de 2016, a multa passará de R$ 957,70 para R$ 1.467,35.

O valor de R$ 1.915,40 citado na mensagem é válido para caso de ultrapassagem forçada quando outro veículo vem em sentido oposto (art.191), em rachas (art.173) e manobras perigosas (art. 174 e 175). Esse valor vai subir para R$ 2.934,70 em novembro de 2016.

CNH vencida – FALSO

[‘A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) só pode ser Renovada durante o prazo de no máximo 30 dias após o seu vencimento. Após este prazo, a CNH é cancelada automaticamente, e o condutor será obrigado a prestar todos os exames novamente: Psicotécnico, Legislação e o Exame de Rua, igualzinho a uma pessoa que nunca tirou CNH. Tudo isto, sem se falar na multa para tirar novamente a CNH, que fica por volta de R$ 1.200,00, e leva, mais ou menos, de 2 a 3 meses.’]

O motorista cuja CNH venceu pode circular com ela sem problemas por 30 dias. O prazo é dado ao condutor para ele providenciar a renovação, que é feita mediante exame médico. Diferentemente do que informa a mensagem, a CNH não é cancelada após 30 dias – ela só não é mais válida. A carteira pode ser renovada sem a repetição dos cursos obrigatórios (direção defensiva e primeiros socorros). Eles só serão exigidos se o condutor não chegou a fazer nenhum deles: por exemplo, se ele tirou a CNH antes de novembro de 1999 e nunca renovou. Também não existe multa para renovação da habilitação.

Os custos são referentes ao exame médico, avaliação psicológica (para motoristas profissionais), taxa de emissão da CNH e envio pelos Correios (caso solicitado). Dirigir com a CNH vencida por mais de 30 dias é uma infração gravíssima (7 pontos), com multa de R$ 191,54 (que subirá para R$ 293,47 em novembro de 2016) e apreensão do veículo.

(…)”

OBSERVAÇÕES: 
texto em verde - extraído da mensagem do WhatsApp
Fonte de pesquisa - Auto Esporte [http://g1.globo.com/carros/noticia/multas-de-transito-o-que-e-verdadeiro-ou-falso-em-mensagens-nas-redes.ghtml]

______________

Aproveitando, faço aqui um apelo: sempre pesquise as informações recebidas por qualquer meio para evitar a propagação de mentiras. Ás vezes até recebemos a mensagem de uma fonte confiável, mas esta fonte, no afã de ajudar, não confere a veracidade da história e acabamos por repassar uma corrente mentirosa, que vai “vitimando” cada vez mais pessoas. 😉 Já cai nas mentiras de muitas correntes e já repassei muitas informações duvidosas sem ao menos suspeitar. Atualmente já fico com o pé atrás até demais, rs

ficaligado

 

Dica de filme :: Logan

No dia 03 de março a Marvel lançou o último filme da trilogia solo do Wolverine. Claro que meu marido lindo e eu não poderíamos deixar de assistir!

O filme é sensacional!! Passei o tempo todo com adrenalina lá no alto, com nó na garganta, ri e até chorei! Mt bom mesmo!! E, para não ficar só nas minhas palavras, vou colar aqui a crítica perfeita que o pessoal da página Bolo de Goma escreveu:

“Logan, como foi difícil a despedida.
Essa crítica é de fã para fã, espero que apreciem a leitura.

Nota: 10

Não tenho palavras para descreve-lo.
Mas vamos tentar.

O filme se passa em 2029, onde os mutantes “não existem mais”. Nele temos um Logan cansado, visivelmente doente e viciado em álcool; cuidando de um Charles com problemas para controlar seus poderes. De repente, Laura surge para arruinar os planos de Logan.

Hugh Jackman, nos trás sua melhor e mais realista atuação como Wolverine. Sem mais! Ele é fenomenal, velho porém em forma. Patrick Stewart, amamos o eterno Charles Xavier. Não tem o que dizer dele. Na verdade todo o elenco mostra dedicação ao último longa com Hugh como protagonista. Mas se tem alguém que rouba a cena é a Dafne Keen. A arma X-23 é representada como imaginava: uma criança por fora, uma fera por dentro.

O longa trás algo diferente de todo material de super-heróis até então. Será difícil alguém bater o sentimento que todos na sessão sentiram enquanto assistiam ao filme.
Os roteiristas Michael Green e David James deixaram os fãs do Logan orgulhosos, com uma trama cheia de referências memoráveis. O filme trás um equilíbrio entre ação com violência, sangue e palavrões com uma trama emocional. Os confrontos e cenas de lutas mostram claramente o porquê o filme é para +18, e essa é a maior vantagem desse filme. Logan trás um Wolverine que estávamos esperando a muito tempo, é lamentável que demorou 17 anos para isso. James Mangold nos entrega uma obra clara, segura e cheia de surpresas (porquê não). É difícil de imaginar o Wolverine sendo interpretado por outra pessoa, mas Hugh Jackman entrega o manto de forma excelente.

PS: Isaac Bardavid seu trabalho dublando pela última vez é de uma dedicação absurda. Nem todo herói precisa de uma capa ou no caso de Logan de garras de adamantium.”

17022475_1421887461189077_386327205156254220_nShow, né? Garanta já seu ingresso, assista e compartilhe aqui sua opinião sobre o filme. 😉