E o salário, ó!

Em um dia chuvoso estava dando aula para o 9° ano, quando resolvi fazer um jogo de mímica com eles. Havia mímica de filmes, animais, profissões e, claro, de esportes.
Logo no início da brincadeira, surge a primeira pérola: “pode fazer gestos?” (Kkkkk – tô para aprender como se brinca de mímica sem gestos. Kkkk)
Passado um tempo, um menino pega um papelzinho e dá a dica para a sua equipe: “é um esporte!!” e começa a girar os braços como se estivesse nadando. Ninguém acertou. Peguei o papel dele e li: 100m rasos (que é uma corrida).
Daqui a pouco, acontece a terceira façanha. O menino pega um papel, lê, e diz que se trata de uma profissão. Conferi e realmente era (ufa! Que bom! rs). Ele começa a sua mímica cutucando os ouvidos, a equipe fala o nome de uma profissão e ele fica indignado porque ninguém acerta. O povo chuta outras alternativas e nada! Ele continua cutucando os ouvidos ate que se rende chateado. A turma pergunta o que estava no papel dele e eu respondo: “oftalmologista”. Como a galera acertaria com ele fazendo errado???!!! Huahuahuaha
Ainda bem q o sinal bateu, se não sairia correndo depois dessas proezas… rs

OBS.: essa é a mesma turma onde o menino disse que Ginástica Aeróbica é de avião. Chupa essa manga! Kkkk

Simples assim!

Às vezes estudamos tanto, aprendemos tantas teorias, que complicamos as coisas. Perdemos a sua simplicidade, a sua essência.

A professora perde o “tato” com seus aluninhos, e fica engessada em nome da didática.

Os pais perdem o domínio sobre os filhos por causa de certas psicologias.

A humanidade perde o contato, a afeição pelo próximo, por questões de segurança.

O adulto perde a alegria de viver, o brilho no olhar, por causa das convenções, porque rir à toa é coisa de criança.

O homem perde a sensibilidade porque chorar é sinal de fraqueza.

A mulher deixa de ser verdadeiramente mãe porque é importante trabalhar fora.

Não se brinca por ser perda de tempo.

O chefe deixa de ser legal para ser profissional.

O cristão perde a essência da adoração por causa de religiosidade, de doutrinas.

 

Que Deus nos auxilie a crescer a cada dia não deixando de lado o que realmente importa, o que é essencial. Como nossa família, nossos amigos, o amor e carinho pelo próximo, e especialmente o nosso contato real e diário com Ele.

 

Programação para Chá de Panela

Quando elaborei a programação para o nosso Chá de Cozinha, não senti muita dificuldade. Afinal, como já tinha contado no dia 28 de julho do ano passado, comprei o livro “A Melhor das Despedidas”, da União Feminina Missionária Batista Brasileira. Nesse livro tem uns 10 programas diferentes para Chá de Panela. Peguei as brincadeiras que achei melhor e montei a nossa programação.

Sei que isso é função das madrinhas, mas como queria brincadeiras leves, que não constrangessem a ninguém e que todos pudessem participar (inclusive meu noivo e seus amigos), dei uma lida rápida no livrinho, escolhi as brincadeiras que pareciam mais divertidas, montei o programa e alguns dias antes, deixei tudo nas mãos das madrinhas. Pronto! Tivemos um Chá de Cozinha tranquilo e light do jeito que eu desejava e nossas madrinhas puderam “judiar” da gente do jeito que queriam. Ficou muuuuuuuuuuiiito legal!! Bem crente batista mesmo! rs

A programação está abaixo. Espero que goste!! 😉

PROGRAMAÇÃO PARA NOSSO CHÁ DE COZINHA (realizado dia 11 de fevereiro de 2011)

Momento devocional

• Oração
• Cânticos
• Leitura Bíblica – Salmo 118
• Poesia: “Reviravolta” (Élida Moreira Alves da Silva)
Eu era só eu
e, no meu mundo,
só havia uma escala de valores.
De repente,
você penetrou no meu mundo
e o que lá não cabia,
por causa de você
ganhou lugar;
e quase tudo
que era importante
já não é.
Antes
tudo era eu e meu.
Agora,
Sem você é quase nada
E quase não sou eu,
Porque com você
Aprendi a ser nós.

• Oração pelo casal

Recreação

I. Coisas extravagantes
Cada pessoa do grupo receberá um lápis e papel, para escrever alguma coisa extravagante para os noivos fazerem. Os participantes deverão assinar os nomes no pedaço de papel. Depois de pronto, a dirigente recolherá os papéis lerá o que cada um escreveu. Mas o interessante da brincadeira é que as coisas extravagantes não serão feitas pelos noivos, mas pelas próprias pessoas que assinaram.

II. Adivinhe se puder
Enlaçar a cabeça da noiva com uma tira de papel, contendo uma palavra ou frase. Os participantes deverão representar com gestos o que está escrito, para que a noiva adivinhe. Dar cinco oportunidades para que ela descubra. Caso não consiga, deverá pagar uma prenda. Depois faça o mesmo com o noivo.

III. Conhecimento mútuo
Separadamente, os noivos responderão a perguntas relacionadas a seu futuro cônjuge. Sempre que houver uma resposta diferente da que for dada, a noiva (ou o noivo, se for o caso) deverá chupar um limão. Exemplos de perguntas:
a)Qual fruta que ele mais gosta?
b)O que ele gosta de fazer nos momentos de folga?
c)O que ele não gosta de comer?
d)O que o deixa aborrecido?
e)O que você faz que ele não gosta?
f)O que ele mais gosta de comer?
g)O que o deixa com ciúme?
h)O que ele tem vontade de possuir?
i)De que bicho ele tem medo?
j)Qual o lugar ele gostaria de conhecer?
k)Quantos filhos ele gostaria de ter?
l)Quantas namoradas ele já teve?
m)O que ele não gosta no trabalho?
n)Que tipo de atitude ele não gosta nas pessoas?
o)O que ele mais admira em você?

IV. É proibido dizer “não” e “negativo”

A dirigente procurará manter um diálogo com os noivos, forçando-os a dizer as palavras “não” e “negativo”. Inicialmente deverá distrair o casal, fazendo perguntas que não exijam uma resposta negativa; mas, repentinamente, deverá jogar uma pergunta que pede uma resposta negativa. Sugerimos algumas perguntas:
a)Quantos anos vocês tem?
b)Qual a profissão que vocês exercem?
c)Vocês estão realizados profissionalmente?
d)Qual o grau de escolaridade?
e)Soube que pretendem continuar os estudos no exterior. É verdade?
f)O que vocês dizem a respeito do casamento?
g)Vocês vão morar com seus pais?
h)Vocês me parecem muito desanimados para o casamento. Estão pensando em adiar?
i)Está faltando acertar alguma coisa para a realização da cerimônia religiosa?
j)Soube que a lua de mel será cancelada. Por quê?
k)É verdade que quanto mais próximo do casamento, mais os noivos costumam brigar?
l)Seus pais parecem tristes com o casamento. É verdade?
m)Que conselho vocês dariam para os jovens que pretendem se casar?
n)Soube que o Pastor não irá realizar a cerimônia religiosa. O que vocês irão fazer?
o)É verdade que não querem filhos?

V. Observação
A dirigente convidará os noivos a sentarem-se um de frente para o outro e conversarem sobre qualquer assunto, durante três minutos. Depois os noivos serão colocados de costas um para o outro. A dirigente fará algumas perguntas aos noivos, individualmente, testando o seu nível de observação. Exemplo:
Para a noiva, a respeito do noivo
a)Como ele está vestido?
b)Qual a cor da sua camisa?
c)Qual é a cor da calça ou bermuda?
d)Ele está usando sapato, tênis ou chinelo?
e)Qual é a cor?
f)Ele está usando meias?
g)Qual é a cor?
h)Em que braço está o seu relógio?
Para o noivo, a respeito da noiva
a)Como está o seu cabelo?
b)Qual e á cor do seu batom?
c)Qual a cor da blusa?
d)Ela está usando saia, bermuda ou calça?
e)Ela está usando brincos?
f)Ela está de relógio?
g)O que tem nos pés?
h)Qual é a cor?

VI. Chuva de Presentes (OBS.: os presentes serão divididos de acordo com a quantidade de brincadeiras)
1. Os participantes estarão espalhados à vontade pela sala. De um em um, os jovens se aproximarão do casal com as mãos para trás, escondendo o presente. Os noivos deverão perguntar: “amigo ou amiga?”. A pessoa responderá de acordo com o gênero masculino ou feminino do objeto. Os noivos deverão perguntar, também, para que serve o objeto. Através das respostas dadas, o casal deverá adivinhar o presente. Após 3 tentativas, não conseguindo, pagarão prendas.
2. A dirigente colocará o casal de noivos diante de uma mesa coberta com um lençol. Embaixo do pano estarão os presentes dos participantes já desembrulhados. A dirigente avisará que por alguns segundos tirará o lençol e os noivos deverão observar e memorizar todos os objetos ali expostos. Logo depois, escreverão no papel o que viram. A noiva terá a sua lista e o noivo a sua. Os objetos mencionados serão retirados da mesa e os demais ficarão para a continuação da brincadeira. Vencerá quem memorizar um maior número de objetos em 3 tentativas. O perdedor pagará uma prenda.
3. Cada participante deverá criar um slogan para apresentar o seu presente aos noivos. Através desse slogan o casal descobrirá o presente oferecido. Terão 3 oportunidades para acertar e caso não consigam, deverão pagar uma prenda.
4. Os participantes oferecerão presentes aos noivos. Preso em cada presente deverá estar presa uma tira de papel, contendo características da pessoa que ofereceu o presente. Os noivos lerão as características e tentarão descobrir o nome da pessoa que os presenteou. Caso não consigam identificar, o grupo poderá ajudá-los.

PRENDAS:
– Comer uma maçã colocada dentro de um balde com água, mas sem tocar as mãos no balde e/ou na maçã.
– Imitar uma pessoa conhecida.
– Fazer uma declaração de amor para uma pessoa do grupo.
– Tomar chá de boldo.
– Imitar quatro animais.
– Representar um personagem bíblico.
– Encher três bolas até estourar.
– Apanhar cinco objetos no chão sem dobrar os joelhos.
– Chupar limão sem fazer cara feia.
– Escrever uma declaração de amor com a mão esquerda.
– Ler um determinado texto com o livro de cabeça para baixo.
– Citar cinco características de um marido/uma esposa ideal.
– Vestir a roupa pelo avesso.
– Sentar no chão de braços cruzados e levantar sem descruzar os braços. Fazer isso três vezes.
– Dar uma volta no local, carregando um livro na cabeça.
– Fazer um exercício físico. Repetir dez vezes.
– Manter uma bola no ar, através do sopro, durante dois minutos.
– Correr com um copo d’água na mão, pulando de vez em quando.
– Roncar de três maneiras diferentes.
– Dizer a cinco pessoas do grupo o que pensa a seu respeito.
– Fazer um elogio a si próprio
– Ficar sério enquanto o grupo provoca risos
– Permanecer parado por um minuto na posição m que cinco pessoas o colocarem.
– Escrever seu nome completo com o lápis na boca.
– Contar até onde puder, sem respirar.
– Contar uma parábola bíblica.
– Tomar café sem açúcar.

____________________

Confira algumas fotos desse dia especial:

♥ N. E. O. Q. E. A. V. ♥

Ontem, depois do trabalho, o lindo noivo que Deus me deu me trouxe para casa. Deu uma passada rápida por aqui, beijou meus pais e foi embora para sua casa. Hoje na hora do café da manhã fui pegar no escorredor de pratos a caneca que Leandro me deu e encontrei uma linda surpresa:

Minha caneca estava rabiscada! Que lindo!! Enquanto estava distraída conversando com meus pais, ele foi até a cozinha e escreveu “NEOQEAV” na minha caneca! 🙂

 

NEOQEAV é uma brincadeira que começamos a jogar em 2008, no início do nosso namoro. Minha maninha Sabi que nos ensinou esse jogo. Gostei tanto que mostrei a Leandro e começamos a brincar. Já escrevemos NEOQEAV em vários lugares, mas dessa vez ele me surpreendeu legal! 😉 Veja, no texto abaixo, a origem do NEOQEAV. Não sei se a história é verídica, mas é linda.

 

NEOQEAV

Meus avós já estavam casados há mais de 50 anos, e continuavam jogando um jogo que haviam iniciado quando começaram a namorar.

A regra do jogo era que, um tinha que escrever a palavra “NEOQEAV” em um lugar inesperado, para o outro encontrar, e assim que a encontrasse, deveria escrevê-la em outro lugar, e assim sucessivamente. Eles se revezavam deixando “NEOQEAV” escrita por toda a casa, e assim que um a encontrava, era sua vez de escondê-la em outro local, para o outro achar.

Eles escreviam “NEOQEAV” com os dedos no açúcar, dentro do açucareiro, ou no pote de farinha, para que o próximo que fosse cozinhar achasse. Escreviam na janela embaçada pelo sereno, que dava para o pátio onde minha avó nos dava pudim, que ela fazia com tanto carinho. “NEOQEAV” era escrita no vapor deixado no espelho, depois de um banho quente, onde a palavra iria reaparecer depois do próximo banho. Uma vez, minha avó até desenrolou um rolo inteiro de papel higiênico para deixar “NEOQEAV” na última folha, e enrolou tudo de novo. Não havia limites para onde “NEOQEAV” pudesse surgir. Pedacinhos de papel com “NEOQEAV” rabiscado apareciam grudados no volante do carro que eles dividiam. Os bilhetes eram enfiados dentro dos sapatos e deixados debaixo dos travesseiros. “NEOQEAV” era escrita com os dedos na poeira sobre as prateleiras, e nas cinzas da lareira. Esta misteriosa palavra tanto fazia parte da casa de meus avós, quanto da mobília.

Levou bastante tempo para eu passar a entender completamente e gostar deste jogo que eles jogavam. Meu ceticismo nunca me deixou acreditar em um único e verdadeiro amor, que possa ser realmente puro e duradouro. Porém, eu nunca duvidei do amor entre meus avós. Este amor era profundo! Era mais do que um jogo de diversão, era um estilo de vida!

Seu relacionamento era baseado em devoção e uma afeição apaixonada, igual as quais nem todo mundo tem a sorte de experimentar. O vovô e a vovó ficavam de mãos dadas sempre que podiam. Roubavam beijos um do outro, sempre que se batiam um contra outro, naquela cozinha tão pequena. Eles conseguiam terminar a frase incompleta do outro, e todo dia resolviam juntos, as palavras cruzadas do jornal. Minha avó cochichava para mim, dizendo o quanto meu avô era bonito, como ele havia se tornado um velho bonito e charmoso, e ela se gabava de dizer que sabia como pegar os namorados mais bonitos. Antes de cada refeição eles se reverenciavam, e davam graças a Deus, e bençãos aos presentes por sermos uma família maravilhosa, para continuarmos sempre unidos e com boa sorte.

Mas uma nuvem escura surgiu na vida de meus avós: minha avó tinha câncer de mama. A doença tinha primeiro aparecido dez anos antes. Como sempre, vovô estava com ela a cada momento. Ele a confortava no quarto amarelo deles, que ele havia pintado dessa cor para que ela ficasse sempre rodeada da luz do sol, mesmo quando ela não tivesse forças para sair. O câncer agora estava, de novo, atacando seu corpo. Com a ajuda de uma bengala e a mão firme do meu avô, eles iam à Igreja toda manhã. E minha avó foi ficando cada vez mais fraca, até que, finalmente, ela não mais podia sair de casa. Por algum tempo, meu avô resolveu ir à Igreja sozinho, orando a Deus para zelar por sua esposa. E então, o que todos nós temíamos aconteceu: vovó partiu…

“NEOQEAV” foi gravada em amarelo, nas fitas cor-de-rosa dos buquês de flores, do funeral da vovó. Quando os amigos começaram a ir embora, minhas tias, tios, primos e outras pessoas da família se juntaram e ficaram ao redor da vovó pela última vez. Vovô ficou bem junto do caixão da vovó e, num suspiro bem profundo, começou a cantar para ela. Através de suas lágrimas e pesar, a música surgiu como uma canção de ninar que vinha bem de dentro de seu ser. Sentindo-me muito triste, nunca vou me esquecer daquele momento. Porque eu sabia que mesmo sem ainda poder entender completamente a profundeza daquele amor, eu tinha tido o privilégio de testemunhar a beleza sem igual que aquilo representava…

 

Aposto que a esta altura você deve estar se perguntando: “Mas o que NEOQEAV significa?”

Essa linda palavra quer dizer:

“NEOQEAV” = NUNCA ESQUEÇA O QUANTO EU AMO VOCÊ!!!

E você? já surpreendeu seu amor hoje?