Dia do Professor

Mesmo com todos os percalços da profissão, amo ser Professora e amo meus alunos (na maioria das vezes pode não parecer, mas amo. rs)

Tempos atrás encontrei esse textinho no Facebook e ele me descreve tão bem que o guardei para esse dia especial e o usarei como uma singela homenagem aos colegas neste Dia do Professor.

😁😔😉 Como perceber que alguém é PROFESSOR:
1) Fala alto. Mas sem gritar;
2) É detalhista e conta as coisas como se estivesse explicando;
3) A bolsa sempre é grande e pesada – isso quando não é mais de uma;
4) Sempre está reclamando de falta de grana;
5) Mas é excelente pagador, paga tudo em dia;
6) E acaba tendo que gastar boa parte do salário comprando material para os alunos, pois morre de pena deles;
7) Gosta de ler. E, geralmente, o que NINGUÉM gosta de ler;
8) Adora dormir nos finais de semana;
9) Mas também não recusa uma chance de fazer uma social;
10) Conhece todos os hits musicais do momento mesmo sem nunca ter ouvido;
11) Está sempre estudando;
12) Fica irado com erros de Português;
13) Fica morto de ódio com os políticos (em um nível 10x acima dos outros profissionais liberais);
14) Adora debates;
15) Odeia gritos, não importa de onde venham;
16) Vive doente;
17) Entra em modo ‘hibernar’ na sexta a noite e só volta a funcionar na segunda de manhã;
18) Sempre pergunta “entendeu?” no fim de cada frase;
19) Não pode ver livros que carrega todos;
20) Ama itens de papelaria!! 💖📔🖋✏📂🖊📎
21) Adora coruja – sempre tem uma bolsa, tatoo ou biju de coruja. 💖
22) Tem ouvido de tuberculoso – escuta além do alcance. (Sempreeeee!);
23) AMA VIAJAR nos fins de semana e nas férias!😜😉😃

E aí, colega? Se encontrou? rs

Nesses tempos nebulosos que a Educação vem passando, o meu desejo (pra você e para mim) é que não desista, pois com certeza alguém está se inspirando em você.

Feliz Dia do Professor!

•● 15 de outubro: Dia do Professor ●•

Neste DIA DOS PROFESSORES gostaria, claro, de parabenizar meus colegas de profissão. E gostaria de parabenizar e agradecer especialmente alguns que marcaram minha vida:

  • tia Leninha, que foi um amor, um doce, e me acolheu na época em que entrei para a creche em Mangaratiba;
  • Manoel Fernandes, meu primeiro professor de Educação Física, ainda na época da alfabetização, e depois foi meu professor na 8ª série e durante o Ensino Médio Normal;
  • tia Sonia, “uma japonesinha”, que foi minha primeira professora no CIEP 294, quando eu fazia o C.A. (alfabetização);
  • tia Núbia, minha professora na 1ª série, que casou no fim do ano letivo e foi morar em Caxias. Como fiquei triste! Até que um dia, depois de graduada, a reencontrei em Mangaratiba e ela viu em mim um dos frutos de seus esforços quando percebeu que atualmente somos colegas de profissão;
  • tias Ana Beatriz e Ciça, que eram minhas professoras durante a 2ª série, que me ensinaram a fazer “letrinha de mão”;
  • tia Adriana Coimbra, que foi minha professora na 3ª série;
  • professoras Andreia Maria e Rosane que, durante a 4ª série, souberam lidar comigo durante a transição da infância para a adolescência;
  • professora Denise, de Inglês, que me deu aula na 5ª série e até hoje lembro do que ela ministrou;
  • professora Solange Stoque, de Língua Portuguesa, que carinhosamente lia, corrigia os meus textos e me incentivava a continuar escrevendo quando eu estava na 5ª e 6ª séries;
  • professora Neiva, de Língua Portuguesa e Produção de Texto que, quando mudei do CIEP 294 para o CE João Paulo II (na metade da 8ª série), descobriu que eu gostava de escrever e me usava como exemplo em outras escolas onde ela trabalhava para que seus alunos desenvolvessem o gosto pela leitura e escrita;
  • professora Cristina Oliveira, que me incentivou a continuar escrevendo quando entrei no Ensino Médio Normal e me convenceu a fazer minha inscrição nos concursos de redação e poesia que ganhei (ela dizia que eu deveria fazer faculdade de Letras, Jornalismo ou Comunicação… rs);
  • professora Mariza Castilho (a Marizinha) que, no 1° do Ensino Médio Normal, não nos deixava colar folhas no caderno, nos fazia copiar toooodas as – chamadas – xérox para treinarmos a letrinha de professora, que nos fazia escrever só com caneta preta e que não aceitava Diário de Classe rasurado;
  • professora Cirlei Rinaldi (sim, a Cirlei! rs) que era uma professora muito exigente. Ela “pegou no meu pé” o Ensino Médio Normal inteiro e no último dia de aula do 4° e último ano, quando eu tinha certeza de que ela me odiava, fez um elogio inesperado e fenomenal à minha prática pedagógica;
  • professores da Graduação em Educação Física; e
  • professores da Especialização em Educação Física Escolar.

Claro que outro(as) professores passaram pela minha vida e que agora não estou me lembrando para listar e homenagear, mas que, com certeza me ensinaram a ser uma pessoa melhor, uma cidadã crítica e que influenciaram na escolha da minha profissão e me inspiraram a ser o que sou hoje: PROFESSORA.

 
Profª Esp. Vanessa Vasconcellos Imenes de Oliveira Nogueira
Especialista em Educação Física Escolar
CREF 030028-G/RJ