Sim!! Somos a geração que dança!

David Quinlan tem uma música que seu refrão diz assim:

“(…) E seremos a geração que dança,

Por causa da Tua misericórdia, ó Deus!

Tua misericórdia, ó Deus!

E seremos a geração que canta,

E que celebra a Tua glória, ó Deus!

A Tua glória, ó Deus! (…)”

Alguns têm reclamado dessa música, que nem é tão nova assim. Eles tem dito que a juventude só pensa em dançar, em cantar, em levar a vida na brincadeira. Mas não penso assim. Acho que a juventude faz muita coisa na Casa do Senhor, que tem agido de forma impactante atualmente.

Os jovens não querem saber só de diversão e dança! Nós temos estudado a Palavra, evangelizado, buscado e cultuado a Deus de diversas formas. Dançar e cantar, que dizem ser especialidade da juventude, faz parte de nossas preferências (sim, lógico!), mas quem disse que os jovens só se preocupam em cantar e dançar? E quem disse que isso é ruim? Afinal, como o apóstolo Paulo disse, “… façam tudo para a glória de Deus” (I Coríntios 10.31b) e, nesse caso, dançar é para a glória de Deus, sim! Assim como devem ser o nosso futebolzinho, nosso culto jovem, nossos namoros, nossos cultos de oração, nossas reuniões semanais, nossa Escola Bíblica Dominical…

Certas pessoas preferem criticar a mocidade de sua Igreja e não observam o que eles têm feito além de dançar. Preferem rotular a juventude em vez de olhar com bons olhos as novidades que nós, jovens, levamos para a Casa de Deus. Será que eles se esqueceram que também já foram jovens (ou em alguns casos ainda são) e, quando levavam algo de novo para o meio dos irmãos, alguém precisou aceitar essa novidade para que ela atualmente fizesse parte dos cultos?

Claro que não estou aqui para acusar uns e muito menos para defender outros. É obvio que não quero que a juventude da Igreja onde congrego seja conhecida por fazer festas que “bombam” e cultos que parecem um show onde ninguém ouve a Deus. Tudo deve ser feito com “decência e ordem” (I Coríntios 14:40), mas de acordo com o contexto que o jovem está inserido, de forma que o jovem se sinta bem e não vá buscar no mundo algo que pode ser encontrado na Igreja e que o satisfaça.

Pessoal, pare de rotular a juventude, por favor! Prestem atenção no que essa galerinha cheia de gás faz e se fazem tudo “…para a glória de Deus”.

Sim! Eu faço parte da geração que dança!

A oração de uma futura mamãe

Não se assuste com o título do post. Não. Não estou grávida. Sou apenas uma noiva a 5 meses de seu Casamento que anda pensando muito na família que construirá.

Quando eu tinha mais ou menos 10 anos de idade, minha mãe se converteu e passou pelo batismo na Igreja Assembléia de Deus. A partir daí, comecei a acompanhá-la nos cultos e a me familiarizar com a Casa de Deus. Louvava ao Senhor no grupo de crianças quando, aos 11 anos, a dirigente da mocidade me convidou para fazer parte do grupo jovem. Não faltava a um ensaio, um culto, uma saída (quando éramos convidados para participar do culto em outras Igrejas)… estava com todo o gás! Perto de completar 13 anos, minha família e eu nos mudamos para outra congregação, uma bem pequenininha. Foi aí que tive oportunidade de servir a Deus em outra área.

Durante a Escola Bíblica Dominical (a EBD), enquanto os adultos estavam estudando a Palavra, seus filhos ficavam brincando e correndo pelo santuário. Às vezes isso até atrapalhava as aulas, mas os pequenos não tinham para onde correr (literalmente. rs). Foi quando percebi a necessidade que nossa Igreja tinha de ter uma classe só para as crianças. Conversei com o Pastor, que me apoiou e deixou que eu desse aula para as pequenas ovelhinhas do rebanho. Compramos material didático e separamos uma das salas da Igreja para a classe “Primeiros passos com Jesus”, onde todo domingo eu levantava cedo e lecionava sobre a Palavra do Senhor para os pequenos de Sua casa. E a partir daí não parei mais. Desde os 14 anos, durante toda a minha adolescência, estive envolvida com a EBD. Até mesmo quando decidi servir a Deus na Igreja Batista (onde aliás, estou até hoje). Atualmente, com a proximidade do Casamento, não estou mais lecionando na EBD, mas continuo ativa na Igreja servindo ao Senhor junto com o Grupo Jovem Exército de Cristo.

As oportunidades que me foram dadas durante a adolescência foram muito importantes para que eu entendesse o que é serviço cristão e para desenvolver em mim o amor a Casa do Senhor ao ponto de querer sempre ajudar de alguma forma. É de suma importância engajarmos nossos adolescentes nessa empreitada. É nessa fase da vida que eles descobrirão quem são e o que Deus quer de suas vidas.

O que me preocupa é se meus filhos terão a mesma oportunidade que eu tive, quando adolescente, de “tomar o gostinho” de serem servos do Senhor, de contribuir para o bom e pleno funcionamento de Sua Casa. Sei que ainda nem casei e que é meio cedo para ficar de cabelos brancos preocupada com isso, mas desde já oro para que meus filhos tenham um prazer ainda maior que o meu e do Leandro ao estarem ativos na Casa de Deus.

Você tem orado por seus filhos? Mesmo aqueles que ainda não nasceram, que se quer foram gerados, você ora por eles? Nunca é tarde para começar!

Uma questão de interpretação

Hoje, na Escola Dominical, estudamos sobre as irmãs Marta e Maria. Observei que Maria vivia sendo mal interpretada (pobre Maria!). Veja só!

 

Situação 1:

Creio que quase todos conhecem a história que está registrada em Lucas 10.38-42, em que Marta fica ocupada com os afazeres domésticos e em receber bem Jesus, enquanto Maria assenta-se aos pés do Mestre para ouvir os Seus preciosos ensinamentos. Marta não fica satisfeita com a atitude da irmã e “joga um verde” para Jesus: “Senhor, não te importas de que minha irmã tenha deixado que eu fique a servir sozinha? (…)” [Lc 10.40b] Marta ficou chateada com a irmã mas, se observarmos bem, Maria fez a melhor escolha! O próprio Jesus diz isso em Lc 10.42: “Maria, pois, escolheu a melhor parte, e esta não lhe será tirada.”

 

Situação 2:

Outra história bem conhecida é a de João 12.1-8 em que Jesus está jantando em Betânia quando “…Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, mui precioso, ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos…” [Jo 12.3]. Nos versículos seguintes aparece Judas Iscariotes dizendo que Maria deveria ter vendido aquele perfume por uns trezentos denários para dar aos pobres (muito bonzinho, ele!) e Jesus mais uma vez sai em sua defesa: “Deixe-a! (…)” [Jo 12.7]

 

Pobre Maria!! Ela só queria adorar ao Senhor da melhor forma que podia!

Na primeira situação, ela queria “só” ouvir o Mestre, dar toda atenção à Sua voz e presença e sua irmã a acusou de ser má hospedeira. Na situação 2, Maria estava tão grata ao Senhor por ter ressuscitado seu irmão Lázaro [em João 11.1-46] que achou por bem gastar aquela grana alta para homenagear seu Ilustre Amigo e Judas Iscariotes deve ter pensado que ela só queria chamar atenção dos que estavam jantando naquele recinto.

 

Infelizmente, assim somos nós!

Às vezes fazemos como Marta e Judas e julgamos outras “Marias” sem ao menos parar e observar melhor o que elas estão fazendo.

Quando você diz alguma coisa e outra pessoa te interpreta de forma errada, você deve sentir-se muito mal, não é? Imagine quando você faz isso com seu próximo? Ele também se sente mal por não ter tido chance de se expressar melhor.

Fiquei pensando em como Maria deve ter se sentido quando Marta disse que ela estava à toa e quando Judas a acusou de ser esbanjadora… E ela só queria adorar ao Senhor!!

 

Antes de dizer qualquer coisa sobre a forma de adoração de teu irmão ou de como ele serve ao Senhor (“Ele faz isso só para aparecer!” ou “Isso não é de coração, é da boca pra fora!”), coloque-se em seu lugar e entregue-o nas mãos de Deus para, se for exibicionismo, o Pai modificá-lo ou se, realmente for adoração, Deus receber como bálsamo precioso.

 

Amém? 😉

Poemas

No 1º trimestre de 2011, a revista Atitude da Escola Bíblica Dominical falava sobre o livro de Salmos. Os adolescentes aqui da Igreja estudam as lições da EBD nesta revista e eu, como professora, os desafiei a se inspirarem nos belíssimos Poemas Bíblicos para escreverem versos de adoração ao Senhor.

Não recebi poemas de todos os alunos, mas os que chegaram até mim são lindos!! Como tenho que dar o exemplo, também escrevi uns versinhos (rs) e os colocarei aqui. Se as autoras permitirem, divulgarei os poemas delas também.

 

AÇÕES DE GRAÇAS

Senhor, te agradeço por me livrar das furadas que entrei
e por me proteger nos caminhos escuros que andei.

Te agradeço por todas as bênçãos recebidas
e por tua grande misericórdia em minha vida.

Senhor, te louvo pela tua graça e pelo teu favor.
Te louvo pelo teu imenso e lindo amor.

FIDELIDADE

Como podes, Senhor, ser tão bom assim?
Justo comigo, que tanto errei?
Como podes, Senhor, olhar tanto para mim?
Justo eu, que tanto pequei?
Como podes, Senhor, ser tão fiel assim?
Justo comigo, que tanto te neguei?
Só o Senhor Deus é capaz de me acolher e perdoar.
Só o Senhor Deus é capaz de assim me amar.
Aleluia!

 

Com esses poemas, cremos que alcançamos o coração e um sorriso do nosso Pai Celestial, pois “adorar a Deus, é fazê-lo sorrir!”  (¹) Que tal fazer com que o Senhor sorria para você também? 

 

 

1 - frase do jovem Leandro Ambrósio (membro da Igreja Batista do Coração/MG) durante instrução na oficina de Liderança Criativa do Juventude Ativa 2008

Uma reflexão sobre II Pedro 1.5-11

Domingo passado (07 de novembro) estávamos estudando a lição 06 da EBD que falava sobre “Os Benefícios da Vida Cristã”. A lição era baseada em 2Pe 1.1-21, mas alguns versículos a chamaram atenção do Leandro durante a semana e começamos a conversar sobre eles. 

 

“…por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, a ciência; com a ciência, o dimínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança; com a perseverança, a piedade; com a pidedade, a fraternidade; com a fraternidade, o amor. Porque estas coisas, existindo em vós e em vós aumentando, fazem com que não sejais nem inativos, nem infrutuosos no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo. Pois aquele a quem estas coisas não estão presentes é cego, vendo só o que está perto, esquecido da purificação dos seus pecados de outrora. Por isso, irmãos, procurai com diligência cada vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição; porquanto, procedendo assim, não tropeçareis em tempo algum. Pois desta maneira é que vos será amplamente suprida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.” (2Pe 1.5-11)

 

A questão é como Pedro chega à conclusão de que devemos procurar com “toda a diligência” (com zelo, com presteza) tais coisas? E por que?

Relendo a lição da EBD, orando, buscando respostas na Bíblia, para a glória de Deus, cheguei a uma explicação.

Esses itens que Pedro lista, é como se fossem bens, frutos, que devemos dar ao Senhor em troca de tudo o que Ele fez e faz por nós [“Visto como, pelo seu divino poder, nos têm sido dadas todas as coisas que conduzem à vida…” (2Pe 1.3a)]. Nós, cristãos, temos que nos esforçar para desenvolver:

  1. fé (ato de confiança extrema em Deus);
  2. virtude (adjetivo para o cristão);
  3. ciência (conhecimento das coisas divinas);
  4. domínio próprio (fazer o que agrada a Deus, e não a si mesmo);
  5. perseverança (insistir em fazer somente a vontade de Deus);
  6. piedade (misericórdia);
  7. fraternidade (ter o coração cheio de amor ao seu próximo, ao seu irmão);
  8. am♥r (é o maior e mais sublime dom divino).

Desenvolver e praticar todas essas coisas, nada mais é, do que uma forma de ADORAR ao Senhor! 🙂 De agradecer a Deus por todos os seu atos marvilhosos para conosco. É o que chamo de “Lei da Ação x Reação”. Deus tem a ação de nos abençoar e a nossa reação é desenvolver essas qualidades para a honra e glória do Seu Nome!

E não para por aí, não!! Tem mais! Desenvolvendo esses dons, Deus nos garante entrada no céu! Veja só: “…desta maneira é que vos será amplamente suprida a entrada no reino de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.” (2 Pe 1.11) Viu??!! Com Deus ninguém paga meia entrada! É amplamente suprida, totalmente garantida!

Cara, fazendo a vontade de Deus, você só tem a ganhar!

Manda ver!!