Vida a dois2

Muuuuuuiito bom esse negócio de casar! ♥ Tô amando!!

Orar juntos no fim da noite agradecendo ao Senhor por mais um dia abençoado;
Todos os dias dormir e acordar ao lado do meu marido lindo e amado;
Ver meu esposo se esforçando para deixar nosso lar prático e organizado;
Arrumar nossa casa para deixá-la ainda mais aconchegante;
Sentir saudades de nosso lar quando vamos logo ali (até mesmo no mercado. rs);
Ouvir um “Oi, amor!” quando ele atende a um telefonema meu;
Ver meu marido comer com satisfação a comida que preparei, sem deixar nada no prato;
Ficar feliz ao ver meu marido lindo me apresentar às pessoas com orgulho;
Observar meu esposo dormindo sossegado ao meu lado;
Ver meu marido tirar o calçado ao entrar em casa para não sujar o que acabei de limpar;
Adormecer em seus braços;
Perceber meu marido lindo olhando para mim e sorrindo;
Receber elogios inesperados;
Ganhar cafuné ao sentar do seu lado;
Ser surpreendida com um beijo no meio da cozinha;
Ouvir um “boa noite, minha linda esposa” antes de dormir;
Receber um “bom dia, minha linda esposa” ao acordar;
Fotografá-lo montando nossos móveis;
Ver o sorriso de meu esposo para mim no meio da multidão;
Ouvir um “Amor, eu te amo!” de repente;
Viver coisas simples, do cotidiano, mas ao lado do meu marido;
Perceber o esforço de meu esposo em me satisfazer;
Receber, desembrulhar, abrir, organizar e usar cada presente dado com carinho por nossos amigos;
Escolher fotos da lua de mel para colocar em nossos porta retratos;
Ficar em dúvida sobre qual foto escolher, já que todas ficaram lindas;
Olhar, olhar, olhar e olhar meu lindo esposo até não cansar, pois posso desfrutar desse momento à vontade, já que ele não terá que me levar para a casa dos meus pais e nem irá embora para a casa dos seus;
Ouvir “Pela Luz dos Olhos Teus” quando ele liga e
sempre me emocionar lembrando do culto de nosso Casamento;
(…)


Tudo isso é impagável!

Eu só posso agradecer a DEUS por essa benção, esse presente, que é o Leandro em minha vida.

Glória a Deus! Aleluia!!

Te amo, meu marido lindo! Te amo, meu lindo esposo!

Ser sua noiva foi muito bom. Mas ser sua esposa está sendo melhor ainda!

Obrigada por essas 3 semanas maravilhosas.


NEOQSEAV (nunca esqueça o quanto sua esposa ama você)

Não queimei meu sutiã!

Esses dias estava observando umas colegas de trabalho comentando que prestaram concurso público para isso e aquilo; que a vida andava difícil, pois tinham que trabalhar em 2 colégios e depois ainda dar conta dos afazeres domésticos. Algumas têm secretária, outras querem dispensar as suas, outras se dizem “exploradas” pelos maridos e filhos quando chegam em casa… fiquei tonta no meio daquele bate papo informal da mulherada.

Fiquei pensando… e eu? A única certeza que tenho é a de que não quero nenhum(a) estranho(a) em meu lar, quero ter o prazer de cuidar de minha casinha e de criar meus filhos. Mas aí? O que farei? Queimarei meu diploma ou meu sutiã?

Na década de 60 mulheres levaram revistas femininas, cílios postiços, sapatos de salto, sutiãs, tudo que remetesse à “feminilidade fútil” para uma praça de Atlantic City com o fim de protestar queimando essas peças, porém a prefeitura não permitiu o uso de fogo e esse ato ficou apenas na vontade, mas se tornou símbolo da luta feminista. Elas queriam igualdade entre os sexos, queriam ter o direito de trabalhar nas profissões que desejassem, queriam liberdade de expressão, queriam ser tratadas com respeito. Porém, as coisas não andaram como as feministas da época desejavam.

As mulheres tornaram-se masculinizadas. Algumas trabalhando em profissões que antes eram destinadas apenas a homens. Não que eu tenha algum problema com isso, pelo contrário! Cada um deve escolher o que quer! Mas eu não desejo trabalhar, trabalhar, trabalhar e trabalhar só para dizer que sou livre.

Estamos pagando um preço alto por querer a igualdade entre os gêneros. Deus não nos fez iguais, então  devemos ser diferentes!


Princípios de Deus (segundo estudo contido na Bíblia da Mulher)

O casamento é o relacionamento mais antigo do mundo, estabelecido por um Criador soberano, no jardim do Éden. Nesse cenário belo e perfeito, Deus organizou o lar, designando posições e definindo responsabilidades a Adão e Eva.

Adão seria o provedor (“para cultivar” o jardim), o protetor (“para guardar” o jardim) e o líder (“O Senhor Deus lhe deu essa ordem”). Sua ocupação era cuidar do jardim e do que havia nele (Gn 2.15-17). Isso exigia o tipo de liderança de servo praticada por Jesus (Ef 5.21-33). Não há, certamente, espaço para o abuso e nem para a tirania contra a esposa por parte do marido, nem opção para a recusa voluntariosa da mulher pela liderança do marido.

As responsabilidades da mulher são várias: ela deveria ser uma “auxiliadora” (Gn 2.18), uma consoladora (Gn 24.67) e uma encorajadora (Pv 31. 12, 26). Eva era parceira de Adão para executar o propósito divino de multiplicar e encher a terra (Gn 2.18). Ela deveria ser sua companheira terrena mais íntima, aliviando sua solidão (Gn 2.18).

Quando o pecado entrou no mundo, o caos instalou-se. O plano de Deus permanecia o mesmo, mas foi deturpado pelas escolhas pecaminosas de Adão, de Eva e de seus descendentes. Deus permitiu que Adão e Eva escolhessem pecar, mas não escolhessem as consequências do pecado. O medo tomou conta deles; temeram enfrentar a Deus por causa da sua desobediência (Gn 3.10). Foram expulsos de seu lar com esta previsão: o trabalho de Adão se tornaria difícil, por que seria obrigado a lutar com cardos e abrolhos (Gn 3.17, 18), e Eva sofreria ao dar à luz (Gn 3.16). Adão, Eva e sua posteridade teriam combates espirituais até o fim dos tempos.

Apesar do fracasso de Adão e Eva, os princípios de Deus para o casamento permaneceram os mesmos – segundo os papéis designados por Deus, os maridos devem usar sua autoridade, dada por Deus, para prover, proteger e amar (Gn 2.15-17; Ef 5.25), e as mulheres devem ajudar seus respectivos maridos e submeter-se à sua liderança, dirigida por Deus (Gn 2.18; Ef 5.23,24). Os maridos e as mulheres podem ignorar o plano de Deus para o lar, mas, quando um princípio espiritual é violado, o resultado é a divisão. Eles podem buscar redefinir o plano de Deus conforme seus desejos e circunstâncias pessoais, mas, em última análise, a sabedoria humana não pode competir com a do Deus onisciente. Não haverá unidade, contentamento, nem paz – só uma casa dividida – num casamento que desafia os princípios de Deus. Maridos e esposas são desafiados a despender tempo, energia e criatividade em busca de meios para se conformarem à liderança de servos e à submissão, a exemplo de Cristo.

Conclusão (as minhas palavras)

Nós, mulheres, não devemos ser aquela Amélia cantada na música popular, que é aquela que fica em casa vivendo só para procriar, para agradar ao marido e sendo, às vezes, até maltratada por ele. Atualmente trabalhamos para ajudar na renda familiar, mas devemos continuar femininas, preservando nossa aparência física, cuidando de nosso lar, educando nossos filhos e não nos matando de trabalhar por aí deixando nossas crianças “soltas” o dia inteiro permitindo que a rua se encarregue de educá-las.

Tive a sorte -sorte, não! benção- de ser professora e poder trabalhar em meio período. Admito que o salário não é dos melhores (como todo mundo sabe), mas é suficiente para ajudar nosso cofrinho e, quando Deus nos abençoar com filhos, terei tempo para educá-los nos caminhos do Senhor.

Tenho orgulho de dizer que não queimei meu sutiã e que não vou queimar meu diploma! Viverei de acordo com a vontade de Deus, sendo uma auxiliar idônea, uma companheira de verdade para o Leandro, uma dona de casa que dá o melhor de si pelo seu lar, (futuramente) uma mãe divinamente inspirada e uma excelente profissional.

Deus me fez mulher. E é assim que quero ser!

♥ N. E. O. Q. E. A. V. ♥

Ontem, depois do trabalho, o lindo noivo que Deus me deu me trouxe para casa. Deu uma passada rápida por aqui, beijou meus pais e foi embora para sua casa. Hoje na hora do café da manhã fui pegar no escorredor de pratos a caneca que Leandro me deu e encontrei uma linda surpresa:

Minha caneca estava rabiscada! Que lindo!! Enquanto estava distraída conversando com meus pais, ele foi até a cozinha e escreveu “NEOQEAV” na minha caneca! 🙂

 

NEOQEAV é uma brincadeira que começamos a jogar em 2008, no início do nosso namoro. Minha maninha Sabi que nos ensinou esse jogo. Gostei tanto que mostrei a Leandro e começamos a brincar. Já escrevemos NEOQEAV em vários lugares, mas dessa vez ele me surpreendeu legal! 😉 Veja, no texto abaixo, a origem do NEOQEAV. Não sei se a história é verídica, mas é linda.

 

NEOQEAV

Meus avós já estavam casados há mais de 50 anos, e continuavam jogando um jogo que haviam iniciado quando começaram a namorar.

A regra do jogo era que, um tinha que escrever a palavra “NEOQEAV” em um lugar inesperado, para o outro encontrar, e assim que a encontrasse, deveria escrevê-la em outro lugar, e assim sucessivamente. Eles se revezavam deixando “NEOQEAV” escrita por toda a casa, e assim que um a encontrava, era sua vez de escondê-la em outro local, para o outro achar.

Eles escreviam “NEOQEAV” com os dedos no açúcar, dentro do açucareiro, ou no pote de farinha, para que o próximo que fosse cozinhar achasse. Escreviam na janela embaçada pelo sereno, que dava para o pátio onde minha avó nos dava pudim, que ela fazia com tanto carinho. “NEOQEAV” era escrita no vapor deixado no espelho, depois de um banho quente, onde a palavra iria reaparecer depois do próximo banho. Uma vez, minha avó até desenrolou um rolo inteiro de papel higiênico para deixar “NEOQEAV” na última folha, e enrolou tudo de novo. Não havia limites para onde “NEOQEAV” pudesse surgir. Pedacinhos de papel com “NEOQEAV” rabiscado apareciam grudados no volante do carro que eles dividiam. Os bilhetes eram enfiados dentro dos sapatos e deixados debaixo dos travesseiros. “NEOQEAV” era escrita com os dedos na poeira sobre as prateleiras, e nas cinzas da lareira. Esta misteriosa palavra tanto fazia parte da casa de meus avós, quanto da mobília.

Levou bastante tempo para eu passar a entender completamente e gostar deste jogo que eles jogavam. Meu ceticismo nunca me deixou acreditar em um único e verdadeiro amor, que possa ser realmente puro e duradouro. Porém, eu nunca duvidei do amor entre meus avós. Este amor era profundo! Era mais do que um jogo de diversão, era um estilo de vida!

Seu relacionamento era baseado em devoção e uma afeição apaixonada, igual as quais nem todo mundo tem a sorte de experimentar. O vovô e a vovó ficavam de mãos dadas sempre que podiam. Roubavam beijos um do outro, sempre que se batiam um contra outro, naquela cozinha tão pequena. Eles conseguiam terminar a frase incompleta do outro, e todo dia resolviam juntos, as palavras cruzadas do jornal. Minha avó cochichava para mim, dizendo o quanto meu avô era bonito, como ele havia se tornado um velho bonito e charmoso, e ela se gabava de dizer que sabia como pegar os namorados mais bonitos. Antes de cada refeição eles se reverenciavam, e davam graças a Deus, e bençãos aos presentes por sermos uma família maravilhosa, para continuarmos sempre unidos e com boa sorte.

Mas uma nuvem escura surgiu na vida de meus avós: minha avó tinha câncer de mama. A doença tinha primeiro aparecido dez anos antes. Como sempre, vovô estava com ela a cada momento. Ele a confortava no quarto amarelo deles, que ele havia pintado dessa cor para que ela ficasse sempre rodeada da luz do sol, mesmo quando ela não tivesse forças para sair. O câncer agora estava, de novo, atacando seu corpo. Com a ajuda de uma bengala e a mão firme do meu avô, eles iam à Igreja toda manhã. E minha avó foi ficando cada vez mais fraca, até que, finalmente, ela não mais podia sair de casa. Por algum tempo, meu avô resolveu ir à Igreja sozinho, orando a Deus para zelar por sua esposa. E então, o que todos nós temíamos aconteceu: vovó partiu…

“NEOQEAV” foi gravada em amarelo, nas fitas cor-de-rosa dos buquês de flores, do funeral da vovó. Quando os amigos começaram a ir embora, minhas tias, tios, primos e outras pessoas da família se juntaram e ficaram ao redor da vovó pela última vez. Vovô ficou bem junto do caixão da vovó e, num suspiro bem profundo, começou a cantar para ela. Através de suas lágrimas e pesar, a música surgiu como uma canção de ninar que vinha bem de dentro de seu ser. Sentindo-me muito triste, nunca vou me esquecer daquele momento. Porque eu sabia que mesmo sem ainda poder entender completamente a profundeza daquele amor, eu tinha tido o privilégio de testemunhar a beleza sem igual que aquilo representava…

 

Aposto que a esta altura você deve estar se perguntando: “Mas o que NEOQEAV significa?”

Essa linda palavra quer dizer:

“NEOQEAV” = NUNCA ESQUEÇA O QUANTO EU AMO VOCÊ!!!

E você? já surpreendeu seu amor hoje?  

Dica de Livro :: “Como fazer amor sem tirar a roupa”

Eu sei que o título do livro é meio de se estranhar, mas calma! Não me julgue antes de terminar de ler a dica. 😉

 

Em 2009, quando estava no SENAI, já tinha 1 ano de namoro com Leandro e estava meio sem criatividade sobre o que dar a ele no Dia dos Namorados, pois até completarmos 1 ano juntos trocávamos presentes todos os meses no dia 17 (haja presente!). Foi quando minha amiga Sabrina (que será nossa madrinha de casamento) me falou de um livro que a mãe dela tinha. “Tá doida, Sabi??!! Se meu pai me pega com um livro desse na mão ele me mata!”. “Calma, maninha!…” – respondeu Sabrina – “Vou trazer o livro amanhã e você vai ver”. Pois Sabrina trouxe o livro e logo no prefácio pude perceber o quão enganada estava.

 

Fazer amor não é “só” o relacionamento sexual de um casal. Atualmente o mundo confunde nossas cabeças dizendo que fazer sexo e fazer amor é a mesma coisa, mas não é!!

Um casal pode fazer amor todos os dias (e durante o dia inteiro) com troca de carinho, compreensão, afeto, bilhetinhos apaixonados… diferentemente de sexo, que não se faz todo o dia e muito menos o dia inteiro! rs 

 

No livro “Como fazer amor sem tirar a roupa – 101 maneiras de conquistar sua esposa”, David & Anne Frahm dão dicas para o marido surpreender diariamente sua esposa. Dicas extraordinárias que podem ser usadas por um namorado também. 

No livrinho “Como fazer amor sem tirar a roupa – 101 maneiras de conquistar seu marido”, o casal Frahm dá dicas de atitudes diárias que a esposa deve ter para com o marido. Atitudes, algumas, que uma namorada ou noiva pode ter para com seu amado.

 

Gostei tanto do livrinho que o li (todo!) no mesmo dia e anotei as dicas que poderia usar com meu namorado. Um dia encontrei os dois modelos para vender e “inocentemente” apresentei a versão masculina para Leandro, que o comprou na hora.

 

Fiquei muito feliz em saber que meu amor se dedica a mim de tal forma que ele já tinha feito muitas coisas que o livro sugestiona mesmo sem saber de sua existência e mais feliz ainda por ele ter se interessado ao ponto de querer continuar me surpreendendo ao longo dos anos. Também fiquei feliz em ver que muitas das coisas que estavam no livro destinado à esposa eu já tinha feito pra ele. E comprei o livro para, quando o tempo passar, eu poder “renovar” as idéias.

 

Recomendo o livro a todos os casais, pois, fazer amor é muito mais do que aquele ato em particular. Fazer amor são atitudes diárias de amor e carinho, sem segundas intenções. Algumas atitudes essas, que estão escritas no livro. Mas nada impede que você e seu amor criem seu próprio manual.

 

Boa leitura!