Uma questão de ministério

Em maio deste ano fui convidada pela MCA (Mulheres Cristãs em Ação) da Igreja Batista em El Ranchito para dar-lhes uma palestra sobre a importância de atividades físicas para mulheres. No meio da palestra, conversa vai, conversa vem… e disse a elas que nosso ministério pessoal é uma forma de praticarmos atividades. Comecei a listar exemplos de ministérios e disse a elas que, por mais que não tenhamos um ministério “aparente” na Casa do Senhor, devemos viver a nossa vida como uma forma de glorificar ao Senhor e, sendo assim, esse é o nosso ministério.

Algumas têm o ministério do evangelismo. Outras possuem o ministério da palavra. Outras, ainda, o de interceder. E outras têm o ministério de ser esposa. Esposa?! Sim! O ministério de esposa é muito importante! Quem vai cuidar de seu esposo, de seu lar, de suas coisinhas com prazer? VOCÊ, que é esposa e VIVE esse ministério.

Tudo o que temos foi Deus quem nos deu: lar, família, emprego, Igreja, bens, saúde… (Salmo 139.14-16 / Romanos 11.36). No tempo certo, Deus dará à esposa o ministério de ser mãe. Ela acumulará as duas funções e será feliz! Pois é esse o desejo de Deus. Ele nos fez para ser mulher, mãe, esposa, dona de casa, trabalhadora, auxiliadora (Gênesis 2.28), intercessora, consoladora (Gênesis 24.67), encorajadora (Provérbios 31.12 e 26), companheira e bonita! Agradeça ao Pai por essas bençãos e desfrute delas!

Existem pessoas que não aceitam o ministério que Deus lhes reservou, que os rejeitam ou querem atropelar etapas. Mas não deve ser assim! A vontade do Senhor é boa, perfeita e agradável (Romanos 12.2) e tudo tem o tempo e a hora certa para acontecer (Eclesiastes 3).

Aceite o melhor de Deus para a tua vida e seja feliz!

Para as minhas aluninhas… [2]

Essa vai para as menininhas que dizem “professora, sou evangélica e não posso dançar”. Pessoal, a professora de vocês também é crente e (pasmem!) dança. Vamos ver um pouquinho de dança na Palavra?

Dança

Uma celebração diante do Senhor

Tanto nas culturas como nas civilizações antigas, a dança era uma maneira importante de expressar sentimentos profundos da alma humana. Como qualquer forma de arte, a dança tem o poder não apenas de expressar emoção, como tabém de provocá-la, tanto na pessoa que dança como na que observa. Como mostra a história da filha de Herodias (Marcos 6.17-28), a dança pode facilmente ser mal usada quando se torna um instrumento de poder sensual, em que a principal finalidade é a auto satisfação ou o despertamento da luxúria do outro. Jó adverte sobre pessoas que ficam tão ocupadas dançando e se divertindo que não querem servir ao Senhor (Jó 21.11-14).

Na Bíblia, a dança foi usada para expressar alegria e louvor ao Senhor (2 Samuel 6.14; Salmo 149.3; Salmo 150.4; Jeremias 31.4, 13). Dançar foi parte da comemoração pela volta do filho pródigo à casa do pai na parábola que Jesus contou sobre o filho perdido (Lucas 15.25). O povo hebreu usava a dança para celebrar a glória de Deus e suas maravilhosas obras. Davi dançou diante de Deus em uma algre comemoração da volta da arca a Jerusalém. Esse tipo de dança exuberante, quando descrita no texto das Escrituras, é sempr eligado às mulheres (Êxodo 15.20, 21; Juízes 21.9-21); elas o fazem sozinhas ou em grupo, mas nunca aparecem homem e mulher juntos; era sempre espontânea e sem coreografoa predeterminada (1 Samuel 18.6) – uma expressão genuína de prazer espiritual (Salmo 30.11, 12).

De qualquer forma, todos os cristãos são responsáveis diante de Deus em ter uma vida santa, sem comprometimentos morais (Romanos 14.21; 1 Coríntios 6.19,20; Gálatas 5.16; 1 Tessalonicenses 4.3-8) e com diligência para glorificar a Deus em todas as esferas da vida (1 Coríntios 10.31).

Fonte de pesquisa:

A Bíblia da Mulher : leitura, devocional, estudo / Barueri, SP : Sociedade Bíblica do Brasil ; São Paulo : Mundo Cristão, 2003 (p. 104)

Meninas, da próxima vez que a professora de Educação Física passar um trabalho de dança, que tal escolher uma canção que glorifica a Deus? Que tal elaborar uma coreografia que exalte ao nome do Senhor e, de quebra, ainda fale do amor de Cristo aos seus colegas de turma? Pensem nisso!

“… fazei tudo para a glória de Deus.” (1 Coríntios 10.31)

Sim!! Somos a geração que dança!

David Quinlan tem uma música que seu refrão diz assim:

“(…) E seremos a geração que dança,

Por causa da Tua misericórdia, ó Deus!

Tua misericórdia, ó Deus!

E seremos a geração que canta,

E que celebra a Tua glória, ó Deus!

A Tua glória, ó Deus! (…)”

Alguns têm reclamado dessa música, que nem é tão nova assim. Eles tem dito que a juventude só pensa em dançar, em cantar, em levar a vida na brincadeira. Mas não penso assim. Acho que a juventude faz muita coisa na Casa do Senhor, que tem agido de forma impactante atualmente.

Os jovens não querem saber só de diversão e dança! Nós temos estudado a Palavra, evangelizado, buscado e cultuado a Deus de diversas formas. Dançar e cantar, que dizem ser especialidade da juventude, faz parte de nossas preferências (sim, lógico!), mas quem disse que os jovens só se preocupam em cantar e dançar? E quem disse que isso é ruim? Afinal, como o apóstolo Paulo disse, “… façam tudo para a glória de Deus” (I Coríntios 10.31b) e, nesse caso, dançar é para a glória de Deus, sim! Assim como devem ser o nosso futebolzinho, nosso culto jovem, nossos namoros, nossos cultos de oração, nossas reuniões semanais, nossa Escola Bíblica Dominical…

Certas pessoas preferem criticar a mocidade de sua Igreja e não observam o que eles têm feito além de dançar. Preferem rotular a juventude em vez de olhar com bons olhos as novidades que nós, jovens, levamos para a Casa de Deus. Será que eles se esqueceram que também já foram jovens (ou em alguns casos ainda são) e, quando levavam algo de novo para o meio dos irmãos, alguém precisou aceitar essa novidade para que ela atualmente fizesse parte dos cultos?

Claro que não estou aqui para acusar uns e muito menos para defender outros. É obvio que não quero que a juventude da Igreja onde congrego seja conhecida por fazer festas que “bombam” e cultos que parecem um show onde ninguém ouve a Deus. Tudo deve ser feito com “decência e ordem” (I Coríntios 14:40), mas de acordo com o contexto que o jovem está inserido, de forma que o jovem se sinta bem e não vá buscar no mundo algo que pode ser encontrado na Igreja e que o satisfaça.

Pessoal, pare de rotular a juventude, por favor! Prestem atenção no que essa galerinha cheia de gás faz e se fazem tudo “…para a glória de Deus”.

Sim! Eu faço parte da geração que dança!

A oração de uma futura mamãe

Não se assuste com o título do post. Não. Não estou grávida. Sou apenas uma noiva a 5 meses de seu Casamento que anda pensando muito na família que construirá.

Quando eu tinha mais ou menos 10 anos de idade, minha mãe se converteu e passou pelo batismo na Igreja Assembléia de Deus. A partir daí, comecei a acompanhá-la nos cultos e a me familiarizar com a Casa de Deus. Louvava ao Senhor no grupo de crianças quando, aos 11 anos, a dirigente da mocidade me convidou para fazer parte do grupo jovem. Não faltava a um ensaio, um culto, uma saída (quando éramos convidados para participar do culto em outras Igrejas)… estava com todo o gás! Perto de completar 13 anos, minha família e eu nos mudamos para outra congregação, uma bem pequenininha. Foi aí que tive oportunidade de servir a Deus em outra área.

Durante a Escola Bíblica Dominical (a EBD), enquanto os adultos estavam estudando a Palavra, seus filhos ficavam brincando e correndo pelo santuário. Às vezes isso até atrapalhava as aulas, mas os pequenos não tinham para onde correr (literalmente. rs). Foi quando percebi a necessidade que nossa Igreja tinha de ter uma classe só para as crianças. Conversei com o Pastor, que me apoiou e deixou que eu desse aula para as pequenas ovelhinhas do rebanho. Compramos material didático e separamos uma das salas da Igreja para a classe “Primeiros passos com Jesus”, onde todo domingo eu levantava cedo e lecionava sobre a Palavra do Senhor para os pequenos de Sua casa. E a partir daí não parei mais. Desde os 14 anos, durante toda a minha adolescência, estive envolvida com a EBD. Até mesmo quando decidi servir a Deus na Igreja Batista (onde aliás, estou até hoje). Atualmente, com a proximidade do Casamento, não estou mais lecionando na EBD, mas continuo ativa na Igreja servindo ao Senhor junto com o Grupo Jovem Exército de Cristo.

As oportunidades que me foram dadas durante a adolescência foram muito importantes para que eu entendesse o que é serviço cristão e para desenvolver em mim o amor a Casa do Senhor ao ponto de querer sempre ajudar de alguma forma. É de suma importância engajarmos nossos adolescentes nessa empreitada. É nessa fase da vida que eles descobrirão quem são e o que Deus quer de suas vidas.

O que me preocupa é se meus filhos terão a mesma oportunidade que eu tive, quando adolescente, de “tomar o gostinho” de serem servos do Senhor, de contribuir para o bom e pleno funcionamento de Sua Casa. Sei que ainda nem casei e que é meio cedo para ficar de cabelos brancos preocupada com isso, mas desde já oro para que meus filhos tenham um prazer ainda maior que o meu e do Leandro ao estarem ativos na Casa de Deus.

Você tem orado por seus filhos? Mesmo aqueles que ainda não nasceram, que se quer foram gerados, você ora por eles? Nunca é tarde para começar!

Aliste-se já!

Peguei no blog da minha amiga Daiane, a Nuvem de Marte.
—-

Ser um soldado no meio cristão significa lutar pelo mundo, de modo que todos possam conhecer a palavra de vida eterna e por meio de nós, serem salvos.

“Quem escolhe a disciplina mostra o caminho da vida, mas quem ignora a repreensão desencaminha os outros.” (Provérbios 10.17)

 

Critérios aos Soldados:

Força

O dicionário define força como: “Toda causa capaz de agir, de produzir um efeito. São forças naturais.”  Somos humanos e isso significa que somos fracos e pecadores, desanimamos com  muita facilidade, porém devemos procurar a força vinda dos céus, pode ser difícil e complicado,  as vezes devemos engoli nosso orgulho e ego para alcançar o alvo.
“Ele se compadece dos fracos e dos pobres, e os salva da morte” (Salmos 72.13)

Santidade

O dicionário define santidade como: “Qualidade daquele ou daquilo que é santo.” e santo: “Essencialmente puro, soberanamente perfeito. Pessoa exemplar, virtuosa, de conduta irrepreensível.” Se devemos ser imitação de Cristo que mesmo vindo ao mundo em forma de homem foi santo, devemos procura constantemente viver em santidade. Peça perdão hoje a Cristo pelos pensamentos maus e comece a busca pela santidade, enquanto há tempo.
“Amados, visto que temos essas promessas, purifiquemo-nos de tudo o que contamina o corpo e o espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus.” (2 Corintios 7.1)

Compaixão

O dicionário define compaixão como: “Sentimento de pesar que nos causam os males alheios; comiseração, piedade, dó.” Existem povos com sede e fome de Deus e falta muitos soldados preparados espiritualmente para sair da sua zona de conforto e atender ao ide. Enquanto reclamamos que não temos nada, existem pessoas que realmente não tem nada. E você? Tem amor por essas vidas?
“Quanto lhe for possível, não deixe de fazer o bem a quem dele precisa. Não diga ao seu próximo: ‘Volte amanhã , e eu lhe darei algo’, se pode ajudá-lo hoje.” (Provérbios 3. 27-28)

O dicionário define fé como: “Fidelidade em honrar seus compromissos, lealdade, garantia. Confiança em alguém ou em alguma coisa. Afirmação, comprovação. estar convencido da verdade do que se diz.” Com certeza esse é o tema mais abordado em igreja, não a fé em si mas a falta dela. Em meio aos gigantes deixamos de acreditar e duvidamos da Onipotência, onipresença e onisciência do nosso Senhor, a diferença está que o urso que enfrentamos hoje não se compara ao gigante de amanhã e devemos permanecer firme naquele que começou a boa obra.
“Justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos os que creem. Não há distinção” (Romanos 3.22)

Amor

O dicionário define amor como: “Afeição viva por alguém ou por alguma coisa. Paixão, gosto vivo por alguma coisa. Zelo, dedicação.” Sobre tudo o que se faça, faça com amor, pois não há nada que atraia ao coração do Pai, mas do que o trabalho do servo feito com amor e gratidão, pois de nada adianta ações se não colocarmos a nossa paixão no que fazemos.
“Não procurem vingança, nem guarde rancor contra alguém do seu povo, mas ame cada um o seu próximo como a si mesmo. Eu sou o SENHOR.” (Levítico 19.18)
“Assim, permanecem agora esses três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor.” (1 Coríntios 13.13)

 

Todos nós,  como a geração eleita e escolhida temos o dever de levar a verdade para todos os povos para que possam apreciar da mesma alegria que nós vivenciamos.

Momento propaganda. rs

Estava eu “fuçando” algumas coisas na net quando encontrei esse site aqui: www.ojovemcristao.com

Cara, só tem coisa maneira!! Estudos, testemunhos, artigos sobre salvação, namoro cristão, evangelismo, vida cristã… Caraca! É muito bom mesmo!! Virei fã deles! rs

Acreditem, não tô ganhando pra fazer essa propaganda, mas compartilhar é sempre bom! 🙂

Atletas de Cristo

Hoje, durante o amistoso da Seleção Brasileira contra a Estônia,  lembrei do dia 28 de junho desse ano, quando a Seleção venceu sua terceira Copa das Confederações.Premiação da Seleção

Lúcio, o capitão da Seleção, estava passando por momentos difíceis em sua vida pessoal e profissional: antes de ser escalado para a Copa, ele havia sido dispensado do clube alemão Bayern de Munique e ainda não sabia como seria o seu futuro no mundo do futebol.

Na final, contra os Estados Unidos, o zagueiro estava tão inspirado que armou ataques, deu passes e marcou o gol da vitória da Seleção. Após o jogo,  Lúcio, que vestiu uma camisa branca com a frase “I love Jesus”, não escondeu a emoção e se rendeu às lágrimas. Em entrevista às redes de TV, o herói do jogo agradeceu o apoio que sua esposa lhe deu nesse momento tão difícil e glorificou o nome do Senhor pela vitória. Li eLúcio: "obrigado, meu pai! Foi pra você!"m um site que Lúcio dedicou a vitória a sua esposa, porém essa informação não está tão certa assim… Ele agradeceu à esposa sim, mas também a Deus: “O gol foi para Deus, que me dá muita força. Tenho enfrentado muitas dificuldades, passo horas no quarto sozinho. Só tenho que agradecer a Deus, estou muito feliz. Tive uma temporada difícil e recebi uma má notícia do meu clube. A Dione, minha esposa também me apoiou muito e agradeço muito a ela” – disse  em entrevista à Rede Globo quando perguntado se o gol foi para seu pai, por ter dito “obrigado, meu pai! Foi pra você!” durante a comemoração do gol que marcou.

Kaká pertence a Jesus

O destaque desse artigo não vai só para Lúcio por seu maravilhoso desempenho na Copa mas também para Kaká, Luis Fabiano, Gilberto Silva e todos os outros atletas cristãos que vestiram a camisa de Jesus e a exibiram em rede internacional! Glória a Deus pela vida desses craques!! Fiquei emocionada por eles não terem vergonha de anunciar o Evangelho de Cristo!

Antes da entrega dos troféus e medalhas, os jogadores fizeram um círculo no gramado para agradecer a Deus com uma oração. A FIFA condenou a ação de nossos craques, alegando que não se deve misturar futebol com religião e proibiu os atletas de orarem em campo novamente. Peço a Deus que essa condenação não resulte em punição, pois nossos atletas-irmãos estão sendo usados como canal para a evangelização de milhares de pessoas, já que o futebol é uma paixão compartilhada por quase todos os países do mundo.

Jogadores agradecem a Deus

Fico pensando… e nós?

O que temos feito para anunciar o Evangelho? Temos vestido a camisa de Cristo ou ficamos escondidinhos com a nossa crença? Temos cumprido o “Ide de Jesus”?


“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16.15)