N♥sso♥ Am♥r é Lind♥

Ouvindo o rádio, me surpreendi acompanhando emocionada a música “Nosso Amor é Lindo” (do Voices) e passou um pequeno filme em minha cabeça…

Lembrei de nossos tempos de oração e de namoro quando eu sonhava, ainda um pouco insegura, com a hora do nosso SIM.
Lembrei dos tempos de SENAI quando te esperava ansiosamente na estação Maracanã para ver seu sorriso.
Lembrei dos sufocos para entrar no trem lotado só para irmos juntinhos até Campo Grande.
Lembrei do nosso primeiro Dia dos Namorados juntos que, na hora de ir embora, vc me disse “eu te amo” pela primeira vez e, quando o ônibus saiu, chorei de alegria.
Lembrei de uma certa quinta feira de janeiro de 2010 quando vc me ligou falando de um apartamento que sua irmã viu e, de forma meio confusa, me convenceu a entrar “no esquema”. E, no sábado, me levou para ver o tal ap e explicou que estava interessado em comprá-lo para morarmos. Foi um “quase pedido de Casamento”, mas foi o meu primeiro SIM para vc.

E agora estamos aqui: 1 ano, 6 meses e 24 dias depois do SIM mais importante de nossas vidas no nosso Grande Dia, o nosso 07 de julho, o primeiro dia do restante de nossas vidas.

Vc me surpreende e me conquista mais a cada dia. TE AMO mais do que naquele 17 de fevereiro de 2008, mais ainda do que em 17 de fevereiro de 2011 e muito mais do que em 07 de julho de 2012.

Leandro, agradeço a Deus por tua vida na minha. Sou muuuuuuiiito feliz ao teu lado. Não me canso de dizer: vc é o meu presente! Te direi SIM quantas vezes forem necessárias (e as que não forem também), pois vc é o melhor de Deus para mim.
Marido, receba essa canção como se fosse minha:

“Nosso amor é lindo.É lindo quando vejo você chegar
Com esse jeito de sorrir, de olhar, de falar
Nosso amor é lindo
É lindo quando você vem me dizer
Que haja o que houver
O amor tem poder pra vencer

Você é infinitamente mais,
Do que um dia eu pedi pra Deus.
Eu vou viver o resto dos meus dias, ao lado teu.
A nossa casa tem que ser,
Um pedacinho lá do céu.
Na alegria ou na dor eu serei fiel.

E mais uma vez eu digo ‘sim’
E mais uma vez me rendo a esse amor,
A esse olhar, a esse sorriso.
E mais uma vez eu digo ‘sim’
E mais uma vez eu nego a solidão,
De um coração que não tem abrigo.
Porque o nosso amor é lindo.
Porque nosso amor é tão lindo.
Nosso amor é tão lindo…”

NEOQSEAV ♥
Sua Vanessa.

Momento Propaganda. rs [2]

Passeando pelo Facebook, encontrei uma página bacaninha que leva a outra e a outra… até que cheguei nesse blog aqui:

É um blog com dicas de decoração, comportamento, culinária, dicas para relacionamentos e um monte de coisas para mulheres casadas (algumas dicas servem para solteiras também). Achei interessante e útil, por isso resolvi compartilhar.

Faça uma visita! 😉 http://www.coisadecasada.com/

O Sacerdote e a Profetiza

Esses dias ouvi na Rádio 93 FM:

“O homem (marido) é o sacerdote da casa. A mulher (esposa) é a profetiza do lar. Na antiguidade, quando reis eram consagrados, era preciso a presença do sacerdote e do profeta para que o novo rei fosse ungido. O lar que possui um pai sacerdote para interceder e uma mãe profetiza para incentivar, vai gerar reis e rainhas.”

 

Senhor, nos permita ser usados por Ti, para que sejamos sacerdote e profetiza Teus; que nossos filhos pertençam a Ti; que a nossa casa seja um lar que tem o Senhor como Deus; dê forças ao meu esposo para ser o sacerdote que o Senhor deseja para o nosso lar; me dê palavras para incentivar corretamente o(s) príncipe(s) e a(s) princesa(s) que o Senhor nos der como filhos. Amém!

Vanessa V. Imenes de O. Nogueira

Dica de livro :: “Dicas do fundo do baú – soluções caseiras para problemas do dia-a-dia”

O post de hoje é especialmente para jovens senhoras recém casadas como eu. 😉 Às vezes acontecem situações no nosso lar que precisam de soluções rápidas e não temos como buscar conselhos com nossas mães, tias, avós e sogras.

Nas férias de julho, quando fui à São Paulo, visitei a Livraria Cultura e, passeando por lá “só olhando”, não resisti e tive que comprar alguns livrinhos. Um deles é este da foto ao lado: “Dicas do fundo do baú – soluções caseiras para problemas do dia-a-dia”, de Marleine Cohen (Editora Globo). Gente, que livro bom!! Imaginei que ele seria legalzinho, mas não sabia que seria tão bom e útil!

Ele é dividido em 9 capítulos: Segredos de mestre cuca (livre-se de problemas na cozinha); Lar, doce lar (sua casa sempre nova); Espelho, espelho meu (seu corpo mais do que em dia); Bichos & plantas (cuidados essenciais); Arco da velha (o fim de todas as manchas e sujeiras); Bibi & fonfom (dicas de revisão do carro); Ordem nas gavetas (organize sua casa e viagens); Pesos e medidas (conversões na ponta do lápis); e Índice remissivo. Neste último capítulo, se você estiver com um problema, por exemplo, com seu ferro de passar, vá até o índice remissivo, procure a palavra ferro de passar e, ao lado dela, haverão os números das páginas onde a palavra ferro de passar aparece. Prático, não?!

Estou devorando o livrinho! A leitura dele é rápida, de linguagem simples e com dicas super fáceis de pôr em prática. Amei e recomendo!! 😀

COHEN, Marileine
Dicas do fundo do baú : soluções caseiras para problemas do dia-a-dia / Marleine Cohen. -- São Paulo : Globo, 2008.

Uma questão de ministério

Em maio deste ano fui convidada pela MCA (Mulheres Cristãs em Ação) da Igreja Batista em El Ranchito para dar-lhes uma palestra sobre a importância de atividades físicas para mulheres. No meio da palestra, conversa vai, conversa vem… e disse a elas que nosso ministério pessoal é uma forma de praticarmos atividades. Comecei a listar exemplos de ministérios e disse a elas que, por mais que não tenhamos um ministério “aparente” na Casa do Senhor, devemos viver a nossa vida como uma forma de glorificar ao Senhor e, sendo assim, esse é o nosso ministério.

Algumas têm o ministério do evangelismo. Outras possuem o ministério da palavra. Outras, ainda, o de interceder. E outras têm o ministério de ser esposa. Esposa?! Sim! O ministério de esposa é muito importante! Quem vai cuidar de seu esposo, de seu lar, de suas coisinhas com prazer? VOCÊ, que é esposa e VIVE esse ministério.

Tudo o que temos foi Deus quem nos deu: lar, família, emprego, Igreja, bens, saúde… (Salmo 139.14-16 / Romanos 11.36). No tempo certo, Deus dará à esposa o ministério de ser mãe. Ela acumulará as duas funções e será feliz! Pois é esse o desejo de Deus. Ele nos fez para ser mulher, mãe, esposa, dona de casa, trabalhadora, auxiliadora (Gênesis 2.28), intercessora, consoladora (Gênesis 24.67), encorajadora (Provérbios 31.12 e 26), companheira e bonita! Agradeça ao Pai por essas bençãos e desfrute delas!

Existem pessoas que não aceitam o ministério que Deus lhes reservou, que os rejeitam ou querem atropelar etapas. Mas não deve ser assim! A vontade do Senhor é boa, perfeita e agradável (Romanos 12.2) e tudo tem o tempo e a hora certa para acontecer (Eclesiastes 3).

Aceite o melhor de Deus para a tua vida e seja feliz!

Kit Lavabo

Lembram daquela minha amiga que falei no post sobre Chá de Lingerie? Pois é! Graças a Deus o Grande Dia dela também chegou. Amanheci no domingo 07 de julho tão ansiosa quanto no 07 de julho do ano passado, só que um bocadinho menos nervosa. rs

Na época do “meu 07 de julho” vi na Internet que algumas noivas estavam colocando nos banheiros do salão onde seria a comemoração de seu Casamento, um kit com algumas coisinhas que seus convidados e convidadas pudessem precisar durante a festa. Montei os kits lavabos masculino e feminino e coloquei nos banheiros do Mil Maravilhas, onde foi nossa festa. Foi um sucesso! Até foto para postar no Facebook a galera tirou! Aliás, este kit foi muito importante para mim, pois meu vestido de noiva vinha com um ganchinho para prender sua cauda, mas não sei se ele caiu ou se veio faltando mesmo, só sei que corri no kit lavabo feminino, peguei agulha, linha e pedi para tia Denise (que é costureira) improvisar um ganchinho para que eu pudesse curtir a festa sem ficar arrastando aquele rabão.

Lembrando da importância do Kit Lavabo, no início deste ano, liguei para minha Maninha Sabrina e perguntei se ela queria de presente 2 kits (um masculino e outro feminino). Ela aceitou e, no início de junho, comecei a montar os kits. Comprei 2 caixinhas de MDF iguais, tintas nas cores do Casamento, montei uma listinha com os itens necessários para os 2 kits e fui à luta! Com a preciosa ajuda do meu marido lindo, pintei as caixinhas, comprei os itens, etiquetei alguns deles e montei os Kits Lavabo para o Casamento de Sabrina & Walter. No dia do Chá de Lingerie, 15 dias antes do Grande Dia, levei os kits prontinhos e os entreguei à noiva, que logo se emocionou com o mimo (OBS.: 15 dias antes do Casamento, qualquer noiva chora por qualquer motivo, não se surpreenda! rs).

Abaixo, seguem a lista e a foto dos Kits Lavabo.

Feminino

Absorventes
Álcool em gel
Antiácido (Eno Limão)
Band-aid
Balas de menta
Base para unhas
Bom Ar
Demaquilante em lenços
Fio dental
Lenços umedecidos
Lixas de unhas
Pente
Remédio para cólica (Buscopan Composto)
Remédio para dor de cabeça (Neosaldina)
Remédio para má digestão (Epocler)
SOS Costura (com agulhas, alfinetes, botões e linhas de várias cores)

Masculino

Álcool em gel
Antiácido (Eno Limão)
Balas de menta
Band-aid
Bom Ar
Escova de cabelos
Fio dental
Lenços umedecidos
Pente
Remédio para dor de cabeça (Neosaldina)
Remédio para má digestão (Epocler)
SOS Costura (com agulhas, alfinetes, botões e linhas de várias cores)

Simples e eficiente! Como em meu Casamento, os kits da minha amiga fizeram o maior sucesso!

Inclusive, precisei usar o “SOS Costura” para arrumar a calça do Leandro que deu defeito no meio da cerimônia. E, durante a festa, ele não se sentiu muito bem, foi até o banheiro, pegou um Epocler e mandou para dentro! 🙂

Tem gente que não vê necessidade destes kits no banheiro, diz que é bobagem. E, realmente, não é o item mais importante na hora de organizar uma festa de Casamento, mas é muito interessante ter esse tipo de socorro para os convidados.

Pensem nisso, noivinhas! 😉

Eu e meu aspirador de pó

Há 1 ano, pouco antes do nosso Casamento, ganhei um aspirador de pó de presente da tia Sonia. Como fiquei feliz! Tenho rinite alérgica e um aspirador de pó era tudo o que eu precisava para a minha nova empreitada como dona de casa.

Casamos e, quando voltamos da Lua de Mel, a vida de casados começou de verdade: Leandro tinha que montar os criados mudos que ganhamos; eu passei a cozinhar; Leandro trocou o disjuntor do chuveiro que queimou; lavei as “…lhões” de roupas que usamos na viagem; Leandro montou o rack do nosso escritório; estreei meu aspirador de pó quando limpei a casa… opa! Cadê o biquinho que aspira cantos?! Meu presente veio faltando 1 item! 🙁 Fiquei super chateada e comecei a caçar autorizadas perto de nossa casa que vendessem o tal biquinho. Não consegui e fiquei na minha, sem graça de comentar com quem me deu o presente para trocá-lo. O tempo passou e não consegui comprar o biquinho em lugar nenhum.

Fiquei durante quase 1 ano frustrada, sem o biquinho, e limpando a casa sem conseguir aspirar direito os cantos da parede e do teto. Continuei procurando e nada!  Até no Mercado Livre procurei! Entrei em contato com a fabricante, a Electrolux, e fiquei esperando o retorno. Quinze dias depois, recebo o seguinte email:

Ai, meu Deeeeeeus! Me senti a pessoa mais burra do mundo! Huahauhaua
Como assim, o biquinho sempre esteve alí, pertinho de mim, e não o vi?!

Agora amo ainda mais o presente que recebi! Hehehe

Mais uma vez, obrigada tia Sonia!!

Deus nos prepara

Leandro e eu estamos lendo um livro chamado “Devocional para Casais” (do Pr. Jaime Kemp e sua esposa, Judith Kemp). Em um dos textos, o Pr. Jaime conta que ele era o caçula de 5 irmãos e, além de ser o caçula, era o único homem da filharada. Ele disse que, com isso, Deus o estava preparando para a sua família, depois que ele casasse. Ele tem sua esposa, 2 filhas e 1 cadelinha. Ou seja, mais uma vez ele é o único macho de uma casa com 4 fêmeas.

Fiquei pensando nisso. Quando morava com meus pais, dividia o quarto com meu irmão, Vitor, e ficava imaginando, na hora em que arrumava nosso quarto, o porquê de ter tantos pelos do meu irmão perdidos pelo chão (ele não é cachorro, mas soltava pelos! rs). Outra coisa que me assustava, era que meu irmão falava durante o sono. Às vezes eu acordava no meio da noite achando que ele estava conversando comigo, mas não. Ele estava apenas sonhando.

Casei. E logo nas primeiras vezes que arrumei nossa cama, o que descobri?! Leandro também solta pelos!! Com menos de um mês de casada, ouvi durante a madrugada meu esposo chamando por um cachorro. Hã?! Pois é. Ele às vezes também fala durante o sono.

O que aprendi? Que, por meio de nossa família primária, Deus nos prepara para a nossa futura família.

Com os pelos do meu irmão, Deus estava me preparando para ter um marido com braços e pernas peludos que me aquecem todas as noites ao dormir, antes deles se soltarem de suas pernas e braços e ficarem em nossa cama. Com os “altos papos” do meu irmão durante a madrugada, me acostumei a ouvir vozes durante o sono.

Observando minha mãe chegar do trabalho e ir, mesmo cansada para a cozinha preparar nosso jantar, aprendi que devo ser uma esposa dedicada que alimenta bem e de forma saudável sua família.

Com o jeito brincalhão do meu pai, aprendi a não levar a vida tão à sério mas sem perder o senso de responsabilidade com a minha família.

Tendo um irmão aprendi a dividir. Não só o nosso quarto, mas o tempo e atenção dos meus pais.

Com os carinhos de meus pais aprendi a amar incondicionalmente.

Aprendi tudo o que sei sobre amor, carinho, afeto e respeito com minha família. Agora, peço sabedoria a Deus para compartilhar esses bens preciosos com minha atual família (meu esposo) e as bençãos que Deus nos enviar (nossos filhos).

 

Dica de leitura: Devocional para Casais – reflexões para uma vida a dois
KEMP, Jaime. Devocional para Casais / Jaime e Judith Kemp. – São Paulo, Hagnos, 2002

Não queimei meu sutiã!

Esses dias estava observando umas colegas de trabalho comentando que prestaram concurso público para isso e aquilo; que a vida andava difícil, pois tinham que trabalhar em 2 colégios e depois ainda dar conta dos afazeres domésticos. Algumas têm secretária, outras querem dispensar as suas, outras se dizem “exploradas” pelos maridos e filhos quando chegam em casa… fiquei tonta no meio daquele bate papo informal da mulherada.

Fiquei pensando… e eu? A única certeza que tenho é a de que não quero nenhum(a) estranho(a) em meu lar, quero ter o prazer de cuidar de minha casinha e de criar meus filhos. Mas aí? O que farei? Queimarei meu diploma ou meu sutiã?

Na década de 60 mulheres levaram revistas femininas, cílios postiços, sapatos de salto, sutiãs, tudo que remetesse à “feminilidade fútil” para uma praça de Atlantic City com o fim de protestar queimando essas peças, porém a prefeitura não permitiu o uso de fogo e esse ato ficou apenas na vontade, mas se tornou símbolo da luta feminista. Elas queriam igualdade entre os sexos, queriam ter o direito de trabalhar nas profissões que desejassem, queriam liberdade de expressão, queriam ser tratadas com respeito. Porém, as coisas não andaram como as feministas da época desejavam.

As mulheres tornaram-se masculinizadas. Algumas trabalhando em profissões que antes eram destinadas apenas a homens. Não que eu tenha algum problema com isso, pelo contrário! Cada um deve escolher o que quer! Mas eu não desejo trabalhar, trabalhar, trabalhar e trabalhar só para dizer que sou livre.

Estamos pagando um preço alto por querer a igualdade entre os gêneros. Deus não nos fez iguais, então  devemos ser diferentes!


Princípios de Deus (segundo estudo contido na Bíblia da Mulher)

O casamento é o relacionamento mais antigo do mundo, estabelecido por um Criador soberano, no jardim do Éden. Nesse cenário belo e perfeito, Deus organizou o lar, designando posições e definindo responsabilidades a Adão e Eva.

Adão seria o provedor (“para cultivar” o jardim), o protetor (“para guardar” o jardim) e o líder (“O Senhor Deus lhe deu essa ordem”). Sua ocupação era cuidar do jardim e do que havia nele (Gn 2.15-17). Isso exigia o tipo de liderança de servo praticada por Jesus (Ef 5.21-33). Não há, certamente, espaço para o abuso e nem para a tirania contra a esposa por parte do marido, nem opção para a recusa voluntariosa da mulher pela liderança do marido.

As responsabilidades da mulher são várias: ela deveria ser uma “auxiliadora” (Gn 2.18), uma consoladora (Gn 24.67) e uma encorajadora (Pv 31. 12, 26). Eva era parceira de Adão para executar o propósito divino de multiplicar e encher a terra (Gn 2.18). Ela deveria ser sua companheira terrena mais íntima, aliviando sua solidão (Gn 2.18).

Quando o pecado entrou no mundo, o caos instalou-se. O plano de Deus permanecia o mesmo, mas foi deturpado pelas escolhas pecaminosas de Adão, de Eva e de seus descendentes. Deus permitiu que Adão e Eva escolhessem pecar, mas não escolhessem as consequências do pecado. O medo tomou conta deles; temeram enfrentar a Deus por causa da sua desobediência (Gn 3.10). Foram expulsos de seu lar com esta previsão: o trabalho de Adão se tornaria difícil, por que seria obrigado a lutar com cardos e abrolhos (Gn 3.17, 18), e Eva sofreria ao dar à luz (Gn 3.16). Adão, Eva e sua posteridade teriam combates espirituais até o fim dos tempos.

Apesar do fracasso de Adão e Eva, os princípios de Deus para o casamento permaneceram os mesmos – segundo os papéis designados por Deus, os maridos devem usar sua autoridade, dada por Deus, para prover, proteger e amar (Gn 2.15-17; Ef 5.25), e as mulheres devem ajudar seus respectivos maridos e submeter-se à sua liderança, dirigida por Deus (Gn 2.18; Ef 5.23,24). Os maridos e as mulheres podem ignorar o plano de Deus para o lar, mas, quando um princípio espiritual é violado, o resultado é a divisão. Eles podem buscar redefinir o plano de Deus conforme seus desejos e circunstâncias pessoais, mas, em última análise, a sabedoria humana não pode competir com a do Deus onisciente. Não haverá unidade, contentamento, nem paz – só uma casa dividida – num casamento que desafia os princípios de Deus. Maridos e esposas são desafiados a despender tempo, energia e criatividade em busca de meios para se conformarem à liderança de servos e à submissão, a exemplo de Cristo.

Conclusão (as minhas palavras)

Nós, mulheres, não devemos ser aquela Amélia cantada na música popular, que é aquela que fica em casa vivendo só para procriar, para agradar ao marido e sendo, às vezes, até maltratada por ele. Atualmente trabalhamos para ajudar na renda familiar, mas devemos continuar femininas, preservando nossa aparência física, cuidando de nosso lar, educando nossos filhos e não nos matando de trabalhar por aí deixando nossas crianças “soltas” o dia inteiro permitindo que a rua se encarregue de educá-las.

Tive a sorte -sorte, não! benção- de ser professora e poder trabalhar em meio período. Admito que o salário não é dos melhores (como todo mundo sabe), mas é suficiente para ajudar nosso cofrinho e, quando Deus nos abençoar com filhos, terei tempo para educá-los nos caminhos do Senhor.

Tenho orgulho de dizer que não queimei meu sutiã e que não vou queimar meu diploma! Viverei de acordo com a vontade de Deus, sendo uma auxiliar idônea, uma companheira de verdade para o Leandro, uma dona de casa que dá o melhor de si pelo seu lar, (futuramente) uma mãe divinamente inspirada e uma excelente profissional.

Deus me fez mulher. E é assim que quero ser!

Voar, voar…

Outro dia estava observando um pardal em um galho na árvore. Ele era visivelmente novinho, não tinha todas as penas amadurecidas, ainda tinha penugem. Ele pulava de um galho para o outro piando. Pulava para lá, pulava para cá e nada de levantar vôo. O pior é que ele estava sozinho nessa empreitada! ‘tadinho!! E o bichinho continuou alguns minutos ali, pulando e piando até que… VOOU! Simples assim. Voou e sumiu.

Fiquei pensando… assim é a nossa vida! A gente fica protegidinho no ninho com nossos pais até uma hora em que eles precisam nos deixar voar sozinhos.

Tô vivendo uma fase parecida com a do pequeno pardal. Estou noiva, de casamento marcado, organizando uma coisa ou outra da festa, da cerimônia, da casa nova e muitas das vezes preciso fazer sozinha, sem minha mãe que sempre foi minha companheira e sem meu pai que sempre foi meu amigo. Deve ter sido difícil para a mamãe pardal ver seu filhotinho alçar seu primeiro vôo solo e não poder ajudá-lo. Era preciso deixá-lo fazer isso sozinho, ele precisava aprender voar, ser independente. Acho que deve estar sendo igualmente difícil para meus pais me assistir “piando de um galho para o outro” para que eu possa aprender a voar sozinha e construir meu ninho por aí.

Mas, graças a Deus, somos diferentes dos pardais. Deus nos fez seres sociais, que mantém laços e vínculos. Aleluia! 🙂

Confesso que tô morrendo de medo de voar e construir meu ninho, mas sei que assim que eu “piar” mais alto, meus pais virão voando impedir que eu caia do galho e me ensinarão a voar de maneira correta, mais alta e mais bonita.

Agradeço muito a Deus por essas pessoas maravilhosas que Ele comissionou para serem meus pais. Sei que essa missão não foi fácil, mas eles a tiraram de letra e a prova disso é que voarei alto com os ensinamentos dados por eles. Tenho muito orgulho de ser filha de quem sou: um casal batalhador, pessoas honestas, uma dupla amorosa, pais carinhosos e dedicados, que serviram (e servirão) de espelho para mim e para tantas outras pessoas que conhecemos.

Senhor, obrigada pelos pais que me deu. Me ensine a honrá-los em cada dia de minha vida. Amém!


Dedico este post a Sérgio Roberto Imenes de Oliveira & Silvana Vasconcellos Imenes de Oliveira, os melhores pais do mundo (pena que só Vítor e eu temos esse provilégio… rs).