A oração de uma futura mamãe

Não se assuste com o título do post. Não. Não estou grávida. Sou apenas uma noiva a 5 meses de seu Casamento que anda pensando muito na família que construirá.

Quando eu tinha mais ou menos 10 anos de idade, minha mãe se converteu e passou pelo batismo na Igreja Assembléia de Deus. A partir daí, comecei a acompanhá-la nos cultos e a me familiarizar com a Casa de Deus. Louvava ao Senhor no grupo de crianças quando, aos 11 anos, a dirigente da mocidade me convidou para fazer parte do grupo jovem. Não faltava a um ensaio, um culto, uma saída (quando éramos convidados para participar do culto em outras Igrejas)… estava com todo o gás! Perto de completar 13 anos, minha família e eu nos mudamos para outra congregação, uma bem pequenininha. Foi aí que tive oportunidade de servir a Deus em outra área.

Durante a Escola Bíblica Dominical (a EBD), enquanto os adultos estavam estudando a Palavra, seus filhos ficavam brincando e correndo pelo santuário. Às vezes isso até atrapalhava as aulas, mas os pequenos não tinham para onde correr (literalmente. rs). Foi quando percebi a necessidade que nossa Igreja tinha de ter uma classe só para as crianças. Conversei com o Pastor, que me apoiou e deixou que eu desse aula para as pequenas ovelhinhas do rebanho. Compramos material didático e separamos uma das salas da Igreja para a classe “Primeiros passos com Jesus”, onde todo domingo eu levantava cedo e lecionava sobre a Palavra do Senhor para os pequenos de Sua casa. E a partir daí não parei mais. Desde os 14 anos, durante toda a minha adolescência, estive envolvida com a EBD. Até mesmo quando decidi servir a Deus na Igreja Batista (onde aliás, estou até hoje). Atualmente, com a proximidade do Casamento, não estou mais lecionando na EBD, mas continuo ativa na Igreja servindo ao Senhor junto com o Grupo Jovem Exército de Cristo.

As oportunidades que me foram dadas durante a adolescência foram muito importantes para que eu entendesse o que é serviço cristão e para desenvolver em mim o amor a Casa do Senhor ao ponto de querer sempre ajudar de alguma forma. É de suma importância engajarmos nossos adolescentes nessa empreitada. É nessa fase da vida que eles descobrirão quem são e o que Deus quer de suas vidas.

O que me preocupa é se meus filhos terão a mesma oportunidade que eu tive, quando adolescente, de “tomar o gostinho” de serem servos do Senhor, de contribuir para o bom e pleno funcionamento de Sua Casa. Sei que ainda nem casei e que é meio cedo para ficar de cabelos brancos preocupada com isso, mas desde já oro para que meus filhos tenham um prazer ainda maior que o meu e do Leandro ao estarem ativos na Casa de Deus.

Você tem orado por seus filhos? Mesmo aqueles que ainda não nasceram, que se quer foram gerados, você ora por eles? Nunca é tarde para começar!

Aliste-se já!

Peguei no blog da minha amiga Daiane, a Nuvem de Marte.
—-

Ser um soldado no meio cristão significa lutar pelo mundo, de modo que todos possam conhecer a palavra de vida eterna e por meio de nós, serem salvos.

“Quem escolhe a disciplina mostra o caminho da vida, mas quem ignora a repreensão desencaminha os outros.” (Provérbios 10.17)

 

Critérios aos Soldados:

Força

O dicionário define força como: “Toda causa capaz de agir, de produzir um efeito. São forças naturais.”  Somos humanos e isso significa que somos fracos e pecadores, desanimamos com  muita facilidade, porém devemos procurar a força vinda dos céus, pode ser difícil e complicado,  as vezes devemos engoli nosso orgulho e ego para alcançar o alvo.
“Ele se compadece dos fracos e dos pobres, e os salva da morte” (Salmos 72.13)

Santidade

O dicionário define santidade como: “Qualidade daquele ou daquilo que é santo.” e santo: “Essencialmente puro, soberanamente perfeito. Pessoa exemplar, virtuosa, de conduta irrepreensível.” Se devemos ser imitação de Cristo que mesmo vindo ao mundo em forma de homem foi santo, devemos procura constantemente viver em santidade. Peça perdão hoje a Cristo pelos pensamentos maus e comece a busca pela santidade, enquanto há tempo.
“Amados, visto que temos essas promessas, purifiquemo-nos de tudo o que contamina o corpo e o espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus.” (2 Corintios 7.1)

Compaixão

O dicionário define compaixão como: “Sentimento de pesar que nos causam os males alheios; comiseração, piedade, dó.” Existem povos com sede e fome de Deus e falta muitos soldados preparados espiritualmente para sair da sua zona de conforto e atender ao ide. Enquanto reclamamos que não temos nada, existem pessoas que realmente não tem nada. E você? Tem amor por essas vidas?
“Quanto lhe for possível, não deixe de fazer o bem a quem dele precisa. Não diga ao seu próximo: ‘Volte amanhã , e eu lhe darei algo’, se pode ajudá-lo hoje.” (Provérbios 3. 27-28)

O dicionário define fé como: “Fidelidade em honrar seus compromissos, lealdade, garantia. Confiança em alguém ou em alguma coisa. Afirmação, comprovação. estar convencido da verdade do que se diz.” Com certeza esse é o tema mais abordado em igreja, não a fé em si mas a falta dela. Em meio aos gigantes deixamos de acreditar e duvidamos da Onipotência, onipresença e onisciência do nosso Senhor, a diferença está que o urso que enfrentamos hoje não se compara ao gigante de amanhã e devemos permanecer firme naquele que começou a boa obra.
“Justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos os que creem. Não há distinção” (Romanos 3.22)

Amor

O dicionário define amor como: “Afeição viva por alguém ou por alguma coisa. Paixão, gosto vivo por alguma coisa. Zelo, dedicação.” Sobre tudo o que se faça, faça com amor, pois não há nada que atraia ao coração do Pai, mas do que o trabalho do servo feito com amor e gratidão, pois de nada adianta ações se não colocarmos a nossa paixão no que fazemos.
“Não procurem vingança, nem guarde rancor contra alguém do seu povo, mas ame cada um o seu próximo como a si mesmo. Eu sou o SENHOR.” (Levítico 19.18)
“Assim, permanecem agora esses três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor.” (1 Coríntios 13.13)

 

Todos nós,  como a geração eleita e escolhida temos o dever de levar a verdade para todos os povos para que possam apreciar da mesma alegria que nós vivenciamos.

Em quem confiar?

O Grupo Jovem da Igreja onde congrego está passando por uma transição em sua liderança. Ontem, em nossa reunião, a juventude ficou muito esperançosa de que as próximas mudanças seriam boas, pois o Pastor de nossa Igreja passou a liderar nosso grupo. Depois de muitas considerações dos próprios jovens, depois de muito pensar se deveria dar meu pitaco ou não, resolvi falar:

“Liderança é como faculdade. Não é porque cursou uma faculdade pública que você é o cara. Você pode ter feito uma faculdade particular e ser um excelente profissional.”

O que quis e quero dizer é que as pessoas depositam suas esperanças em outras pessoas ou em coisas vãs. Como o caso da faculdade mesmo! Sempre ouvi dizer que “quem faz a faculdade é o aluno” e hoje sei que isso é a mais pura verdade. Conheço pessoas formadas por faculdades federais há mais de 20 anos e que até hoje não passaram em nenhum concurso; enquanto outras, formadas por faculdades particulares, antes mesmo de terminarem a Graduação já conseguiram seu lugar no serviço público.

Não quero dizer que estamos errados em achar que tudo vai mudar para melhor sob a liderança de nosso Pastor. O que quero dizer é que, como no caso das faculdades, quem faz um ministério caminhar somos nós, membros! Se cada um fizer a sua parte obedecendo à liderança, buscando ao Senhor, servindo a Deus de coração no ministério, é claro que o Grupo vai andar para frente. O líder, nada mais é, do que um guia, uma pessoa designada por Deus para estar à frente de um ministério, alguém que dará a palavra final vinda do Senhor para as decisões importantes.

Também não adianta termos uma liderança no nível de um Pastor e, quando ele nos disser algo vindo da parte de Deus, nós torcermos o nariz. Se ele nos disser para plantar bananeira na esquina, tem motivo! No máximo podemos questionar: “posso só dar uma estrelinha lá na esquina?”. Se ele responder que não, não discuta. Vá lá e faça o que o ungido do Senhor te disse para fazer, pois com certeza será para a glória de Deus.

É isso aí, pessoal! Confie em Deus. Sirva ao Senhor de coração. Obedeça a sua liderança. Faça a sua parte!!

 

“Uns confiam em carros, e outros, em cavalos, mas nós faremos menção do nome do Senhor, nosso Deus. Uns encurvam-se e caem, mas nós nos levantaremos e estamos de pé.” ( Salmo 20.7, 8 )