Mais uma sobre o tempo

“Tudo tem o seu tempo. A maior das árvores um dia foi semente. Não é preciso apressar o passo, mas aquietar o coração. No tempo certo de Deus tudo acontecerá, e será de uma forma tão linda e divina que irá dizer: Valeu a pena, Deus.”

Casamento x Maquiagem

.

.

Quando tinha por volta de 16 anos, minha mãe já era Consultora Natura. E, quando acontecia algum evento que ela não podia ir, eu a representava e nisso acabei fazendo cursinhos de perfumaria e de maquiagem. Não saí expert, mas consegui guardar alguns ensinamentos e um deles é que não devemos nos focar em “consertar” as imperfeições, mas dar destaque nos pontos positivos.

Assim deve ser com o Casamento (e outros relacionamentos, inclusive): não devemos tentar ficar mudando o outro, reclamando de seus defeitos; devemos prestar atenção e valorizar as virtudes e qualidades do companheiro para o relacionamento ficar cada vez mais bonito.

17 de fevereiro

Este é um dia especial para nós desde 2008

Quando nos conhecemos, em 25 de agosto de 2007, de cara, antes mesmo de sermos apresentados, eu disse “É ele!! É com ele que vou casar!”. Riram de mim, não acreditando em minha tão espontânea fé. Mas eu acreditei. Deus acreditou. E foi Deus quem nos uniu.
Começamos a orar e, passado o prazo dos 12 encontros e 1/2 (sim, 1/2 encontro!! rs), Deus nos honrou e respondeu confirmando que nosso amor é de Sua vontade.
17 de fevereiro de 2008 foi o dia do 1/2 encontro que faltava para fechar nosso período de oração e esse dia aconteceu cheio de expectativas de nossa parte e de nossos familiares.
Depois de um almoço em família, no intervalo de um Flamengo x Botafogo, quando já estava na hora de nos despedirmos, Leandro pediu a palavra e começou a dizer o que tanto esperei ouvir. Em tom quase que solene me perguntou se eu queria ser sua namorada. Minha vontade era dizer “claro que quero!”, pular ou fazer qualquer coisa mais efusiva do que o “quero” tímido que respondi mas, incrivelmente, naquele momento tão especial me faltou o ar e, com ele, as palavras. Ele perguntou aos meus pais se permitiam e abençoavam nosso namoro e, tanto meus pais quanto os dele, responderam que sim. Oramos entregando a Deus nosso namoro pela primeira vez. E também foi nesse momento que ele me chamou de “namorada” pela primeira vez.
E chegou a hora da primeira despedida dos novos namorados. Enquanto seu pai foi manobrar o carro, nos despedíamos no portão. Foi aí que ele me deu um beijo na testa, depois respeitosamente beijou meus lábios e declarou: “Esse é o primeiro dos muitos beijos que vou te dar.” E há 6 lindos anos ele cumpre fielmente essa promessa. ♥

São 6 anos de namoro, companheirismo, amizade, alegria, felicidade, cumplicidade, fidelidade… de amor! Faz 6 anos que sou uma pessoa mais feliz, mais tranquila, mais amada. Esses tem sido os 6 anos mais plenos de minha vida. E a culpa, se assim posso dizer, é tua, LEANDRO SANTOS NOGUEIRA.
Obrigada por tudo o que vc é para mim!

Esses são nossos primeiros 6 anos de namoro e, como já disse outras vezes, daqui para mais de 6, 12, 18 (…) décadas quero ver todos os dias aquele sorriso lindo, que tanto me chamou atenção e me conquistou. Quero que ele seja a última que verei antes de dormir e a primeira coisa que verei ao acordar. Para sempre. ♥

NEOQSEAV.
Sua esposa, sua eterna namorada
Vanessa Vasconcellos Imenes de Oliveira Nogueira

 

N♥sso♥ Am♥r é Lind♥

Ouvindo o rádio, me surpreendi acompanhando emocionada a música “Nosso Amor é Lindo” (do Voices) e passou um pequeno filme em minha cabeça…

Lembrei de nossos tempos de oração e de namoro quando eu sonhava, ainda um pouco insegura, com a hora do nosso SIM.
Lembrei dos tempos de SENAI quando te esperava ansiosamente na estação Maracanã para ver seu sorriso.
Lembrei dos sufocos para entrar no trem lotado só para irmos juntinhos até Campo Grande.
Lembrei do nosso primeiro Dia dos Namorados juntos que, na hora de ir embora, vc me disse “eu te amo” pela primeira vez e, quando o ônibus saiu, chorei de alegria.
Lembrei de uma certa quinta feira de janeiro de 2010 quando vc me ligou falando de um apartamento que sua irmã viu e, de forma meio confusa, me convenceu a entrar “no esquema”. E, no sábado, me levou para ver o tal ap e explicou que estava interessado em comprá-lo para morarmos. Foi um “quase pedido de Casamento”, mas foi o meu primeiro SIM para vc.

E agora estamos aqui: 1 ano, 6 meses e 24 dias depois do SIM mais importante de nossas vidas no nosso Grande Dia, o nosso 07 de julho, o primeiro dia do restante de nossas vidas.

Vc me surpreende e me conquista mais a cada dia. TE AMO mais do que naquele 17 de fevereiro de 2008, mais ainda do que em 17 de fevereiro de 2011 e muito mais do que em 07 de julho de 2012.

Leandro, agradeço a Deus por tua vida na minha. Sou muuuuuuiiito feliz ao teu lado. Não me canso de dizer: vc é o meu presente! Te direi SIM quantas vezes forem necessárias (e as que não forem também), pois vc é o melhor de Deus para mim.
Marido, receba essa canção como se fosse minha:

“Nosso amor é lindo.É lindo quando vejo você chegar
Com esse jeito de sorrir, de olhar, de falar
Nosso amor é lindo
É lindo quando você vem me dizer
Que haja o que houver
O amor tem poder pra vencer

Você é infinitamente mais,
Do que um dia eu pedi pra Deus.
Eu vou viver o resto dos meus dias, ao lado teu.
A nossa casa tem que ser,
Um pedacinho lá do céu.
Na alegria ou na dor eu serei fiel.

E mais uma vez eu digo ‘sim’
E mais uma vez me rendo a esse amor,
A esse olhar, a esse sorriso.
E mais uma vez eu digo ‘sim’
E mais uma vez eu nego a solidão,
De um coração que não tem abrigo.
Porque o nosso amor é lindo.
Porque nosso amor é tão lindo.
Nosso amor é tão lindo…”

NEOQSEAV ♥
Sua Vanessa.

organizando um Chá de Lingerie

Essa semana ajudei uma amiga a organizar o seu Chá de Lingerie. Ela casará no dia 07 de julho. Conhece essa data?! Pois é! Quando ela e seu noivo foram marcar a data do Grande Dia (em setembro do ano passado), só haviam 2 datas: 20 de outubro de 2012 ou 07 de julho de 2013. Ela me perguntou se havia problema de eles casarem na mesma data que Leandro e eu. Vê se pode? 😉 Somos tão amigas que nem me importei! A data do Casamento dela é a mesma que a minha! Além dela ter sido minha madrinha de Casamento, eu serei a dela! Que lindo!! Maninha, nossa amizade nasceu no coração de Deus antes de nascer nos nossos!

Comemoraremos nossas Bodas de Papel testemunhando a formação de uma nova e querida família!!

Bem, aproveitando a oportunidade, falarei neste post sobre o Chá de Lingerie e sua importância.

Essa brincadeira é interessante, pois além de ser a despedida de solteira da noiva, a ajuda a relaxar e esquecer um pouquinho do corre corre dos preparativos para o Casamento. Sem contar que ela ganhará vários presentinhos de suas amigas e seu noivo, quando virar marido, vai se deliciar com os presentes recebidos.

Como organizar:

  1. faça a lista das convidadas – não precisa chamar muitas pessoas. As madrinhas, mães dos noivos (sim! a sogra também deve participar desse momento. Afinal, o grande agraciado com os presentes será o filho dela. rs) e as amigas mais próximas da noiva já são suficientes para compor a “bagunça”.
  2. escolha o local – escolha um lugar que seja discreto, confortável e que comporte bem todas as convidadas
  3. escolha a data e o horário – marque entre 1 mês e 15 dias antes do Casamento para não atrapalhar o cronograma do Grande Dia e para que, no ápice do estresse das resoluções pré Casamento, a noiva possa relaxar. Sobre o horário, pode ser no final da tarde, para que um ambiente à meia luz possa ser criado, caso seja do gosto da noiva.
  4. escolha o tipo de Chá – existem 2 tipos de Chá de Lingerie. Um é o que uma empresa é contratada para levar e vender as lingeries e cuidar das brincadeiras. O outro tipo é o que usei no meu Chá e no da minha amiga, onde cada convidada compra com antecedência as lingeries para presentear a noiva e uma madrinha cuida das brincadeiras do Chá.
  5. crie e envie os convites – abaixo, um modelo de convite (este é o que fiz para a minha amiga, mas nada a impede de criar o seu!). 
  6. providencie as brincadeiras* – na internet é fácil encontrar uma infinidade de atividades que podem ser usadas em um Chá de Lingerie. Depois de escolher as que mais se parecem com a noiva e com sua lista de convidadas, providencie o material para as brincadeiras.
  7. providencie os “comes e bebes” – salgadinhos, chocolates, amendoins e refrigerantes são bem vindos nestas ocasiões. Também é importante adaptar este item às preferências da noiva. E não esqueça dos descartáveis!
  8. providencie a ornamentação do local – não precisa ser nada exagerado. É só para deixar o ambiente bonito e favorável para o Chá. Veja alguns exemplos que encontrei na internet:
  9. encomende as lembrancinhas – no meu Chá de Lingerie, montei um cachepot com docinhos para oferecer às minhas convidadas, mas no Chá da minha amiga, encomendei uns mini corpetes no Mercado Livre. São liiiiindos! É só pedir com antecedência.
  10. aproveite o Chá de Lingerie!!

 

Links legais:

  • Fotos do meu Chá de Lingerie – http://www.facebook.com/media/set/?set=a.183347688461662.38188.100003592961741&type=3
  • Lembrancinhas que encomendei para o Chá de Lingerie da minha amiga – http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-489113125-20-lembrancinhas-de-cha-de-panela-e-lingerie-em-biscuit-_JM

 

*Sugestões de brincadeiras:

I.    Bola de lã
A pessoa que está organizando o chá ficará com um novelo de lã na mão. A cada convidada que chegar será pedido que corte um pedaço de lã do tamanho que quiser e que guarde. As convidadas não deverão saber para que será usado esse fio até que todas estejam presentes e com seus respectivos pedaços em mãos. Forma-se um círculo com as pessoas presentes e a anfitriã irá explicar a brincadeira: cada uma terá que se apresentar e dizer alguma coisa sobre a noiva ou sobre os noivos enquanto enrola o pedaço de lã no dedo (como se conheceram, uma situação engraçada que passaram juntas, um momento importante, etc.). Quem pegou o maior pedaço terá que se virar para falar até terminar de enrolar tudo.

II.    Batata quente
A organizadora da festa deverá separar vários itens, como: touca de banho, meia calça colorida, máscaras (de oncinha, de Zorro, de coelhinha, de Mulher Gato), enfim, tudo o que encontrar de baratinho e brega. Deve também escolher algumas coisas legais como anéis, broches, fivelinhas, batom, mini buquês, etc. Ela coloca uma música e, escondida das demais convidadas, esconde algo na caixa. A caixa deverá passar de mão em mão na roda e quando a organizadora parar a música, a pessoa que estiver com a caixa deverá abri-la e usar o que estiver dentro. No final da festa, as convidadas poderão levar seus “presentes” para casa.

III.    Papéis criativos
As participantes serão divididas em vários grupos e cada grupo escolherá uma de seus integrantes para ser vestida de jornal. O personagem escolhido em cada rodada deve ser o mesmo para todos os grupos. O grupo que melhor caracterizar o personagem, dentro do tempo estipulado pelos organizadores, receberá um prêmio. Dica: além de jornal, providencie também tesouras, rolos fita crepe e revistas. Sugestões de personagens: bombeiro, enfermeira, noiva, vampiro, zorro, freira, chef de cozinha, galinha, espantalho, etc.

IV.    Classificados
Cada participante recebe um papel com o escrito: “___________ à venda!” A lacuna deve ser preenchida com um utensílio doméstico encalhado em casa. Em seguida, ela monta um pequeno anúncio do produto, descrevendo suas qualidades. Em roda, a noiva lê os anúncios substituindo sempre o nome dos produtos pelo nome do noivo.

V.    Conselhos para a vida a dois
A organizadora deverá recortar algumas folhas de papel em formato de coração e distribuir entre as participantes para que escrevam um conselho para a vida do casal. Ao final, cada participante dobra o coração no meio e coloca dentro de uma caixa. A noiva poderá ler cada um em voz alta e tentar adivinhar quem foi que escreveu. Depois disso, os papéis poderão ser presos num mural ou colados em um caderno de recordações oferecido como um presente para a noiva. Exemplos de conselhos: não ir para a cama depois de uma briga sem antes fazerem as pazes, não implicar com o outro por causa de coisas banais, surpreender seu amor com um prato especial em um dia qualquer, manter o romantismo sempre, etc.

 

__________________________________

Deus nos prepara

Leandro e eu estamos lendo um livro chamado “Devocional para Casais” (do Pr. Jaime Kemp e sua esposa, Judith Kemp). Em um dos textos, o Pr. Jaime conta que ele era o caçula de 5 irmãos e, além de ser o caçula, era o único homem da filharada. Ele disse que, com isso, Deus o estava preparando para a sua família, depois que ele casasse. Ele tem sua esposa, 2 filhas e 1 cadelinha. Ou seja, mais uma vez ele é o único macho de uma casa com 4 fêmeas.

Fiquei pensando nisso. Quando morava com meus pais, dividia o quarto com meu irmão, Vitor, e ficava imaginando, na hora em que arrumava nosso quarto, o porquê de ter tantos pelos do meu irmão perdidos pelo chão (ele não é cachorro, mas soltava pelos! rs). Outra coisa que me assustava, era que meu irmão falava durante o sono. Às vezes eu acordava no meio da noite achando que ele estava conversando comigo, mas não. Ele estava apenas sonhando.

Casei. E logo nas primeiras vezes que arrumei nossa cama, o que descobri?! Leandro também solta pelos!! Com menos de um mês de casada, ouvi durante a madrugada meu esposo chamando por um cachorro. Hã?! Pois é. Ele às vezes também fala durante o sono.

O que aprendi? Que, por meio de nossa família primária, Deus nos prepara para a nossa futura família.

Com os pelos do meu irmão, Deus estava me preparando para ter um marido com braços e pernas peludos que me aquecem todas as noites ao dormir, antes deles se soltarem de suas pernas e braços e ficarem em nossa cama. Com os “altos papos” do meu irmão durante a madrugada, me acostumei a ouvir vozes durante o sono.

Observando minha mãe chegar do trabalho e ir, mesmo cansada para a cozinha preparar nosso jantar, aprendi que devo ser uma esposa dedicada que alimenta bem e de forma saudável sua família.

Com o jeito brincalhão do meu pai, aprendi a não levar a vida tão à sério mas sem perder o senso de responsabilidade com a minha família.

Tendo um irmão aprendi a dividir. Não só o nosso quarto, mas o tempo e atenção dos meus pais.

Com os carinhos de meus pais aprendi a amar incondicionalmente.

Aprendi tudo o que sei sobre amor, carinho, afeto e respeito com minha família. Agora, peço sabedoria a Deus para compartilhar esses bens preciosos com minha atual família (meu esposo) e as bençãos que Deus nos enviar (nossos filhos).

 

Dica de leitura: Devocional para Casais – reflexões para uma vida a dois
KEMP, Jaime. Devocional para Casais / Jaime e Judith Kemp. – São Paulo, Hagnos, 2002

Escolhi esperar!

Ontem, assistindo ao GloboNews, vi uma matéria que falava sobre a vacinação de meninas contra o HPV. Uma médica foi entrevistada no programa para esclarecer dúvidas acerca do vírus, para falar sobre o plano da vacinação e (pasmem!) da resisitência da população sobre a faixa etária que deveria receber a imunidade. O atual texto do projeto diz que meninas entre 11 e 13 anos deveriam ser vacinadas. As que já passaram da idade também devem tomar as 3 doses para a imunização, mas o público alvo seriam as meninas entre 11 e 13 anos, pois (segundo o Ministério da Saúde) as garotinhas brasileiras estão iniciando sua vida sexual cada vez mais cedo e, nessa idade, já seria necessário aplicar a vacinação para que, quando elas tiverem relações sexuais, estarem imunes ao vírus do HPV. Tem gente achando que entre 11 e 13 anos é muito cedo, tem gente apoiando… o texto está sendo examinado pela Câmara dos Deputados.

Primeiramente, pensei: boa tática! Como já diriam os antigos, “é melhor prevenir do que remediar”. Mas pensando melhor, se as menininhas seguissem a vontade de Deus, se guardariam e, além de não engravidarem precocemente, não correriam risco de contrair DST`s como o HPV. Se vivessem os planos de Deus, só se entregariam sexualmente a alguém depois do Casamento e, assim, menininhas e menininhos estariam limpinhos, sem DST`s, sem decepções amorosas, sem crianças gerando crianças…

Assumo sem vergonha nenhuma. Casei-me ano passado, aos 25 anos. E, sim, casei virgem. Esperei em Deus, me guardei e Ele me abençoou! Me abençoou com um marido amoroso, fiel e igualmente puro. Deus tem nos feito viver um Casamento lindo e sólido em Sua presença.

Namorar e estar noivos durante pouco mais de 4 anos sem o test drive tão promovido pelo mundo foi muito difícil, não vou mentir. Mas Deus nos deu forças, domínio próprio e nos auxiliou durante a “caminhada no deserto rumo a terra prometida”.

Se tivesse iniciado minha vida sexual na faixa etária considerada normal, aceitável pelo mundo, não viveria o melhor de Deus para mim, talvez hoje já tivesse filhos, talvez estaria vivendo frustrada, entre outras coisas.

Há um tempo atrás, uma aluna do Colégio onde trabalho apareceu grávida. Algumas meninas, de outra turma até, vieram me contar a novidade dizendo ser um absurdo ela estar grávida tão nova e com tantos métodos contraceptivos disponíveis. “Como pode professora?!” – elas me perguntaram. Eu respondi: “O melhor método para prevenir gravidez é a virgindade. Segurar a periquita é a melhor opção.” Elas ficaram chocadas com minha resposta e perguntaram sobre minha vida sexual com meu (na época) noivo. Disse que não havia vida sexual ativa, que decidimos cumprir a vontade de Deus nos guardando. Mais uma vez elas ficaram chocadas e algumas delas disseram que, com base em meu testemunho, também se guardariam e seguiriam meu exemplo.

Não quero dizer com essa história que sou melhor do que outras pessoas. Quero dizer que, sim, é possível esperar! Sabe quais as vantagens de esperar o Casamento, o momento certo, para se entregar sexualmente a alguém? Eis algumas delas:

  1. Não haverão comparações casando-se virgem, você não terá como comparar a performance sexual de seu (sua) esposo (a) e ele (a) sendo igualmente virgem, esta será uma via de mão dupla.
  2. Não haverão decepções não havendo comparações, você não ficará desapontado (a) com a inexperiência de seu cônjuge.
  3. Haverão descobertas vocês descobrirão JUNTOS os benefícios e prazeres da vida a dois. É tão bom passear com a pessoa amada na rua e encontrar R$50!… Imagine descobrir com seu amor as delícias da vida sexual!
  4. Fidelidade* a pessoa que não tem o domínio próprio de guardar sua pureza até o Casamento tem maior probabilidade de ser infiel durante o Casamento. Se não conseguiu “se segurar” quando solteiro, talvez não consiga se dominar casado…
  5. Saúde mantendo-se virgem, você está literalmente puro, pois não se expõe a doenças sexualmente transmissíveis (as famigeradas DST`s).
  6. Deus é a vontade Dele para seus filhos! Deus deseja que o homem e a mulher se unam fisicamente/sexualmente após a união espiritual (o Casamento). “Portanto deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma só carne” (Gênesis 2.24)

Estes são apenas alguns benefícios de se manterem puros antes do Casamento. Vale a pena esperar e desfrutar do melhor de Deus para a tua vida. Aguarde o tempo certo!!

Para finalizar a minha opinião sobre a vacina, se as garotinhas e os garotinhos em geral fossem orientados a se manterem puros antes do Casamento, virgens, o Ministério da Saúde não precisaria se preocupar em vacinar ninguém contra o HPV, não teria que buscar com urgência a cura para a AIDS e outras DST`s e essas doenças (se existissem) não seriam tão facilmente transmissíveis. Mas já que alguns adolescentes já estão “circulando soltos por aí”, essa vacinação é uma boa maneira de prevenir o pior.

Acesse também:

  • Matéria sobre a vacinação contra o HPV – http://g1.globo.com/sao-paulo/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/2013/04/ministerio-da-saude-discute-inclusao-de-vacina-contra-hpv-na-rede-publica.html
  • Blog sobre namoro para a juventude – http://naomordamaca.com/
  • Estudo “Agora é para casar!” – http://vanessa.imenes.org/?p=302
  • Estudo “Orando e namorando” – http://vanessa.imenes.org/?p=318
  • Post “Namoro Santo: Deus quer. Você consegue?” – http://vanessa.imenes.org/?p=158
  • Post “Depoimento :: minha história de amor” – http://vanessa.imenes.org/?p=158

 

* não estou afirmando que isso é regra! Note a palavra PROBABILIDADE no contexto da frase

Vida a dois2

Muuuuuuiito bom esse negócio de casar! ♥ Tô amando!!

Orar juntos no fim da noite agradecendo ao Senhor por mais um dia abençoado;
Todos os dias dormir e acordar ao lado do meu marido lindo e amado;
Ver meu esposo se esforçando para deixar nosso lar prático e organizado;
Arrumar nossa casa para deixá-la ainda mais aconchegante;
Sentir saudades de nosso lar quando vamos logo ali (até mesmo no mercado. rs);
Ouvir um “Oi, amor!” quando ele atende a um telefonema meu;
Ver meu marido comer com satisfação a comida que preparei, sem deixar nada no prato;
Ficar feliz ao ver meu marido lindo me apresentar às pessoas com orgulho;
Observar meu esposo dormindo sossegado ao meu lado;
Ver meu marido tirar o calçado ao entrar em casa para não sujar o que acabei de limpar;
Adormecer em seus braços;
Perceber meu marido lindo olhando para mim e sorrindo;
Receber elogios inesperados;
Ganhar cafuné ao sentar do seu lado;
Ser surpreendida com um beijo no meio da cozinha;
Ouvir um “boa noite, minha linda esposa” antes de dormir;
Receber um “bom dia, minha linda esposa” ao acordar;
Fotografá-lo montando nossos móveis;
Ver o sorriso de meu esposo para mim no meio da multidão;
Ouvir um “Amor, eu te amo!” de repente;
Viver coisas simples, do cotidiano, mas ao lado do meu marido;
Perceber o esforço de meu esposo em me satisfazer;
Receber, desembrulhar, abrir, organizar e usar cada presente dado com carinho por nossos amigos;
Escolher fotos da lua de mel para colocar em nossos porta retratos;
Ficar em dúvida sobre qual foto escolher, já que todas ficaram lindas;
Olhar, olhar, olhar e olhar meu lindo esposo até não cansar, pois posso desfrutar desse momento à vontade, já que ele não terá que me levar para a casa dos meus pais e nem irá embora para a casa dos seus;
Ouvir “Pela Luz dos Olhos Teus” quando ele liga e
sempre me emocionar lembrando do culto de nosso Casamento;
(…)


Tudo isso é impagável!

Eu só posso agradecer a DEUS por essa benção, esse presente, que é o Leandro em minha vida.

Glória a Deus! Aleluia!!

Te amo, meu marido lindo! Te amo, meu lindo esposo!

Ser sua noiva foi muito bom. Mas ser sua esposa está sendo melhor ainda!

Obrigada por essas 3 semanas maravilhosas.


NEOQSEAV (nunca esqueça o quanto sua esposa ama você)

Meu 4º pesadelo de noiva

Semana passada (de quinta para sexta) pesadelei mais uma vez com o nosso Grande Dia. Tô cansada disso, já!!! rs

Dessa vez eu estava com um vestido de noiva muito bonito até, mas não era nem de perto o vestido que sonhei por 10 meses e aluguei na Top Fashion. Era algo mais ou menos como esse abaixo, com as alças tipo de camiseta. Nada a ver comigo, mas até aí tudo “bem”. rs

Eu tinha passado o meu dia de noiva no Sítio onde será a nossa festa (hã?? rs) e, mais uma vez, ninguém tinha feito meu penteado, eu estava de cabelos soltos apenas. Como no outro pesadelo, eu chorava feito louca, enfiava o véu e a coroa na cabeça e ficava esperando papai chegar para me levar para a Igreja.

Depois de mais de 1h de atraso, aparecia meu pai dizendo: “Esse teu buquê roxo me deu muito trabalho! Quando fui buscar, as flores estavam todas murchas e eu mesmo dei um jeito nele. Dá pra usar!” E eu soloçava: “Meu buquê roxo lindo!…” Papai falava para eu entrar no carro, que já estava tudo mais do que atrasado e que eu teria que casar com o buquê improvisado mesmo.

Eu achava linda a atitude do meu pai, que se sacrificou por mim, que deu um jeito para eu ter meu buquê roxo, e eu ficava encantada olhando pra ele enquanto pensava. Foi aí que me dei conta: “Pai, que blusa é essa?!” – o encanto havia acabado. Meu pai estava vestindo uma blusa azul listrada com azul marinho e uma gravata super esquisita por baixo do smokking que alugamos para ele. “Eu não gostei daquela blusa que veio com o terno, não. Vesti essa minha mesmo e gostei mais. Vambora!”. Aí que eu soluçava ainda mais.

Eu dizia que não iria enquanto ele não trocasse aquela blusa horrorosa e ia andando e chorando pelo gramado do Sítio, pisando nas pedras que faziam o caminho até o salão de festas. Então eu me tocava, levantava a barra do vestido e olhava para meus pés: “Pelo menos é o meu sapato de noiva lindo!…” – pensava.

Acordei com o peito doendo de tanto que chorei de madrugada. Foi sinistro!

No sábado passado, mamãe e eu fomos com papai alugar o smokking dele e reservar os dos padrinhos. Fiz questão de contar o sonho pra ele e dizer que ele nem pode se atrever de pensar em trocar a camisa. rs

Aliás, observei bem atentamente se existe a possibilidade de trocar as gravatas dos padrinhos para rosa e a atendente me garantiu que isso é impossível. Ufa!

Agora sim posso dormir tranquilamente nesses 93 dias de solteira que me restam.

Será?! 😉 rs

Não queimei meu sutiã!

Esses dias estava observando umas colegas de trabalho comentando que prestaram concurso público para isso e aquilo; que a vida andava difícil, pois tinham que trabalhar em 2 colégios e depois ainda dar conta dos afazeres domésticos. Algumas têm secretária, outras querem dispensar as suas, outras se dizem “exploradas” pelos maridos e filhos quando chegam em casa… fiquei tonta no meio daquele bate papo informal da mulherada.

Fiquei pensando… e eu? A única certeza que tenho é a de que não quero nenhum(a) estranho(a) em meu lar, quero ter o prazer de cuidar de minha casinha e de criar meus filhos. Mas aí? O que farei? Queimarei meu diploma ou meu sutiã?

Na década de 60 mulheres levaram revistas femininas, cílios postiços, sapatos de salto, sutiãs, tudo que remetesse à “feminilidade fútil” para uma praça de Atlantic City com o fim de protestar queimando essas peças, porém a prefeitura não permitiu o uso de fogo e esse ato ficou apenas na vontade, mas se tornou símbolo da luta feminista. Elas queriam igualdade entre os sexos, queriam ter o direito de trabalhar nas profissões que desejassem, queriam liberdade de expressão, queriam ser tratadas com respeito. Porém, as coisas não andaram como as feministas da época desejavam.

As mulheres tornaram-se masculinizadas. Algumas trabalhando em profissões que antes eram destinadas apenas a homens. Não que eu tenha algum problema com isso, pelo contrário! Cada um deve escolher o que quer! Mas eu não desejo trabalhar, trabalhar, trabalhar e trabalhar só para dizer que sou livre.

Estamos pagando um preço alto por querer a igualdade entre os gêneros. Deus não nos fez iguais, então  devemos ser diferentes!


Princípios de Deus (segundo estudo contido na Bíblia da Mulher)

O casamento é o relacionamento mais antigo do mundo, estabelecido por um Criador soberano, no jardim do Éden. Nesse cenário belo e perfeito, Deus organizou o lar, designando posições e definindo responsabilidades a Adão e Eva.

Adão seria o provedor (“para cultivar” o jardim), o protetor (“para guardar” o jardim) e o líder (“O Senhor Deus lhe deu essa ordem”). Sua ocupação era cuidar do jardim e do que havia nele (Gn 2.15-17). Isso exigia o tipo de liderança de servo praticada por Jesus (Ef 5.21-33). Não há, certamente, espaço para o abuso e nem para a tirania contra a esposa por parte do marido, nem opção para a recusa voluntariosa da mulher pela liderança do marido.

As responsabilidades da mulher são várias: ela deveria ser uma “auxiliadora” (Gn 2.18), uma consoladora (Gn 24.67) e uma encorajadora (Pv 31. 12, 26). Eva era parceira de Adão para executar o propósito divino de multiplicar e encher a terra (Gn 2.18). Ela deveria ser sua companheira terrena mais íntima, aliviando sua solidão (Gn 2.18).

Quando o pecado entrou no mundo, o caos instalou-se. O plano de Deus permanecia o mesmo, mas foi deturpado pelas escolhas pecaminosas de Adão, de Eva e de seus descendentes. Deus permitiu que Adão e Eva escolhessem pecar, mas não escolhessem as consequências do pecado. O medo tomou conta deles; temeram enfrentar a Deus por causa da sua desobediência (Gn 3.10). Foram expulsos de seu lar com esta previsão: o trabalho de Adão se tornaria difícil, por que seria obrigado a lutar com cardos e abrolhos (Gn 3.17, 18), e Eva sofreria ao dar à luz (Gn 3.16). Adão, Eva e sua posteridade teriam combates espirituais até o fim dos tempos.

Apesar do fracasso de Adão e Eva, os princípios de Deus para o casamento permaneceram os mesmos – segundo os papéis designados por Deus, os maridos devem usar sua autoridade, dada por Deus, para prover, proteger e amar (Gn 2.15-17; Ef 5.25), e as mulheres devem ajudar seus respectivos maridos e submeter-se à sua liderança, dirigida por Deus (Gn 2.18; Ef 5.23,24). Os maridos e as mulheres podem ignorar o plano de Deus para o lar, mas, quando um princípio espiritual é violado, o resultado é a divisão. Eles podem buscar redefinir o plano de Deus conforme seus desejos e circunstâncias pessoais, mas, em última análise, a sabedoria humana não pode competir com a do Deus onisciente. Não haverá unidade, contentamento, nem paz – só uma casa dividida – num casamento que desafia os princípios de Deus. Maridos e esposas são desafiados a despender tempo, energia e criatividade em busca de meios para se conformarem à liderança de servos e à submissão, a exemplo de Cristo.

Conclusão (as minhas palavras)

Nós, mulheres, não devemos ser aquela Amélia cantada na música popular, que é aquela que fica em casa vivendo só para procriar, para agradar ao marido e sendo, às vezes, até maltratada por ele. Atualmente trabalhamos para ajudar na renda familiar, mas devemos continuar femininas, preservando nossa aparência física, cuidando de nosso lar, educando nossos filhos e não nos matando de trabalhar por aí deixando nossas crianças “soltas” o dia inteiro permitindo que a rua se encarregue de educá-las.

Tive a sorte -sorte, não! benção- de ser professora e poder trabalhar em meio período. Admito que o salário não é dos melhores (como todo mundo sabe), mas é suficiente para ajudar nosso cofrinho e, quando Deus nos abençoar com filhos, terei tempo para educá-los nos caminhos do Senhor.

Tenho orgulho de dizer que não queimei meu sutiã e que não vou queimar meu diploma! Viverei de acordo com a vontade de Deus, sendo uma auxiliar idônea, uma companheira de verdade para o Leandro, uma dona de casa que dá o melhor de si pelo seu lar, (futuramente) uma mãe divinamente inspirada e uma excelente profissional.

Deus me fez mulher. E é assim que quero ser!