02 de julho :: Dia do Bombeiro

MINHA HOMENAGEM AO MEU EXEMPLO DE BOMBEIRO: MEU PAI

Em 25 de julho de 2001, quando nosso carro capotou, e vi de pertinho vc salvando vó Selma, senti um orgulho ainda maior por ser filha de um bravo Soldado do Fogo. É muito diferente amar a profissão “de longe” ou ser “apenas” filha de um Bombeiro quando um dia se precisa do eficiente trabalho de um herói humano. E nesse dia vc NOS SALVOU, nos tranquilizou dentro do carro de cabeça para baixo, tirou vovó q estava presa e verificou se todos estávamos bem.

Depois daquele dia, aos 14 anos, parei de ter pesadelos imaginando se meu pai, ao arriscar sua vida, voltaria vivo para casa. Pois vi que meu pai é competente, sabe o que faz (mesmo sem material algum, só com as mãos e experiência) e nasceu para isso.

Mesmo atualmente, aposentado (há menos de 1 mês. rs) e meio chateado com os rumos da Corporação, vc SEMPRE será meu herói!

FELIZ DIA DO BOMBEIRO, PAI!!

Te amo!

Pesadelo de madrinha da noiva

Esse negócio de pesadelo ‘tá rendendo!!

Hoje pela manhã, online no Facebook, minha amiga e madrinha de casamento Andrielle me chamou no bate papo para contar que também pesadelou com o meu Grande Dia. Ai, meu Deus! Se essa moda pega!… 😀 Abaixo, segue o relato aflito de minha amiga:


“Sonhei que a festa do seu casamento era lá no centro do RJ num prédio feio por fora e por dentro era mais ou menos (era luxuoso, mas muuuuuito antigo e com pouca conservação), tinha muitas colunas e não dava pra ver direito a cerimônia.

Seu pai não queria entrar com vc na Igreja, mas acabou entrando depois de muuuita insistência.

Bom, no final do sonho eu pensei: ‘Noooossa! A Vanessa deve estar muito brava!’. Mas pelo menos o sapato era o seu. kkkkkkkkkkkkkk

Caramba! Acordei desesperada! Parece que eu que vou casar.”


Isso que é amiga!! Na alegria, na tristeza; na saúde e na doença; nos sonhos e nos pesadelos… Huahuahauha!! Valeu, Dri! Vamos continuar compartilhando muitas coisinhas durante nossas vidas. Se bem que, gosto mais quando essas coisinhas são boas… rs

Faltam 82 dias! ♥

O meu 3º Pesadelo de Noiva

Tive mais um pesadelo de noiva, acreditam?

Outro dia sonhei (quero dizer, pesadelei) que finalmente chegava o dia do nosso Casamento. Todo mundo se arrumava (inclusive meu pai. rs!), uma agitação danada, tudo naquele corre corre que só um evento como esse é capaz de produzir.

O detalhe que começou a me fazer perceber que era um pesadelo foi o seguinte: já era tarde (umas 18h) e eu estava indo à padaria comprar alguma coisa, me felicitavam pelo Casamento e eu me dava conta de que ainda estávamos em Mangaratiba! Todo mundo sabe que nosso Casamento será em Campo Grande! O que estávamos fazendo em Mangaratiba faltando pouco mais de 1h para nosso Enlace?! Foi aí que o ar começou a ficar rarefeito…

Eu me enfiava dentro de meu vestido de noiva lindo, calçava o meu tão procurado sapato e ficava emburrada, sentada num canto da casa pensando: “Cadê a maquiadora? E Marcinha, pra fazer meu penteado? Vou amarrar o cabelo, botar o véu e a coroa e falar para o povo pra gente ir embora logo!”. Todo mundo se arrumando e eu –a noiva– ficando neurótica perguntando às pessoas cadê o pessoal que cuidaria do meu visual. Todos me olhavam com aquela cara de que eu estava exagerando, que era para ficar calma. Quando eu resolvia olhar no relógio, já eram 18h 45min!! Eu começava a chorar desesperadamente e quando vi, Marcinha (minha cabeleireira) chegava com aquele sorriso calmo que só ela sabe dar em dias de eventos, penteava e prendia meu cabelo, passava ½ dúzia de coisas em meu rosto e me declarava pronta.

“O pesadelo acabou…” – imaginei. Ledo engano. Chegava à Igreja e via os padrinhos de costas, na fila para entrar no Santuário. Eu contava os casais e cadê minha cunhada Paula? Ela, seu marido Hugo e sua filha Ana Clara (que será florista) não haviam chegado. Lágrimas vinham aos meus olhos. Já estava tarde, a cerimônia estava atrasada e a noiva ainda borraria o make. Mais vontade de chorar. Mas, alguns minutos depois, olhei para o estacionamento e vi que minha cunhada descia do carro com sua família. “Ufa! Finalmente chegaram!” – pensei olhando pelo vidro do carro que tinha me levado para a Igreja. Mas quando reparava melhor… “Por que Hugo tá com essa gravata rosa? Só pode ser brincadeira. Não acredito!!”. Aí eu olhava os outros padrinhos e todos estavam de gravatas rosa, até o meu irmão e o meu pai. “Pelo menos o traje do Leandro é todo preto” – pensava. Quando meu pai me entregava a ele no altar, eu olhava e percebia que ele também estava com uma gravata rosa. Então, pensava num misto de indignação, raiva e tristeza: “Isso é coisa dele! Ele me paga!”. Então eu acordei. Que alegria! rs

Ainda bem que foi um pesadelo e que acabou. Que bom que ainda tenho 110 dias para organizar tudo e deixar bem claro aos meus padrinhos que suas gravatas não podem ser rosa de jeito nenhum! kkkkk

Noiva neurótica a caminho do altar

Quando uma moça aceita a um pedido de Casamento, ela já começa a imaginar como será o seu Grande Dia. Se será pela manhã, tarde ou noite, se será só no cartório, na Igreja ou em um salão de festas… ela inicia a viagem em seus pensamentos de Noiva e de acordo com o prazo que tem, começa a dar forma a seus sonhos.

O meu problema (ou solução?? rs) é que começamos a planejar nosso Casamento em outubro/novembro de 2010 (sim, 2010!!) e tô com tempo de sobra pra realizar alguns dos meus sonhos para o Grande Dia. Pesquisamos salões de festa, vestidos, cores, lembrancinhas, convites… tô com muito tempo para sonhar e realizar. O problema é a falta de grana. 🙂 Tudo o que é buginganga de Casamento eu quero comprar, comprar e comprar. rs

Outro problema (e dos grandes!) é a lista de convidados. Como não chamar todo mundo? Quem devo cortar da lista, já que ela é pequena? E aquele monte de gente que não vejo há milhares de ano, devo convidar? Como deixar de fora os amigos de meus pais e sogros? Tô ficando maluca!!!

Sem contar que o meu tão sonhado buquê foi meio que vetado, já que as flores escolhidas por mim são muito frágeis e podem não “sobreviver” ao calor carioca. Que vontade de chorar de tanta frustração!…

Não consigo encontrar noivinhos que me satisfaçam. Um tem algum defeito, o outro tem algo que não me agrada…

Ainda não fechei as lembrancinhas.

Não acho uma gráfica que faça os convites do jeito que elaboramos… aaaah!

E o meu sapato de noiva, que não encontro em lugar nenhum?! Já acessei “…lhões” de sites e não o encontro. Fui a um montão de lojas e nada!

Essa semana me dei conta de que entrei para a lista de Noivas Neuróticas 2012. Tô vivendo a famosa TPC (tensão pré casamento). Tá sinistro!… Só Deus para me ajudar nesses 172 dias que estão pela frente.

Quem disse que tô reclamando?! Tô amando viver tudo isso. rs

“Senhor, dá-me paz, serenidade e tranquilidade para sobreviver aos preparativos do nosso Casamento” 😉

Meu 2º pesadelo de noiva

Semana passada pesadelei mais uma vez com o meu Grande Dia.  Que coisa mais chata!!

Sonhei que o dia do nosso Casamento havia chegado. No sonho, usava um vestido nada a ver com os que ando vendo, mas até aí tudo bem. Quando olhava para os meus pés… cadê o meu sapato de noiva lindo??? Eu ‘tava com uma sandália que Leandro me deu de aniversário ano passado. Tudo bem que a sandália é liiiinda, mas não tem nada a ver com casamento. Mas essa foi a parte mais light do pesadelo. O pior ainda estava por vir.

Depois da cerimônia, que correu bem, com papai presente (rs!), fomos para o salão de festas. Que salão esquisitinho! Não era o Mil Maravilhas que havíamos pago por mais de 1 ano! “Porque a nossa festa está sendo aqui?!” – eu pensava, pensava e não entendia nada. O salão estava vazio, só havia nossas famílias e nós dois. Menos de 10 pessoas na nossa festa! “Cadê os mais de 300 convidados que confirmaram presença?” – outra pergunta que não me cansava de fazer. Num dado momento, eu ia ao banheiro e chegando lá, tudo estava imundo! Um chiqueiro! Só pensava em como eu faria xixi sem molhar a barra do vestido naquele chão sujo. E aí eu olhava a sandália nos meus pés e só aumentava a vontade de chorar. Até que, de dentro do banheiro, ouvi mamãe comentar com minha sogra: “Onde está o fotógrafo que eles contrataram? Não apareceu na cerimônia e até agora não chegou na festa! Pagaram uma nota pro cara e ele não veio!!”. Aí que eu me dava conta: o fotógrafo furou com a gente!!  Meu Deus! Casei e ninguém registrou esse momento!

Eu descia as escadas e via o salão vazio. Me batia uma tristeza enorme e eu pensava que nada tinha saído como tínhamos planejado. Mais de um ano planejando o casamento e saiu tudo errado. Chorando, chamava por meu esposo (pelo menos isso no sonho tinha de bom. Leandro e eu finalmente havíamos casado! rs). Ele vinha me acalmar, mas não adiantava, pois minha maquiagem já estava borrada de tanto que eu chorava. “Será que todo mundo esqueceu do nosso casamento?” – eu pensava enquanto chorava.

Acordei com o peito apertado mas aliviada por ter sido “só” um sonho ruim. Ufa!

 

Mas eu sei que Deus nos abençoará. Temos orado por isso. Esses pesadelos são fruto da minha ansiedade. Afinal, faltam 292 dias para o nosso Casamento.

 

 E contando!… rs

 

 

 

Pesadelo de noiva

Outro dia estava lendo o blog de uma noiva que contava um pesadelo que ela teve há alguns dias atrás. Ela sonhou (ou pesadelou? rs) que ia na loja buscar o vestido que alugou e, quando chegava em casa, via que o vestido não era o tão sonhado por ela. Mas ela só percebia isso faltando 2 horas para o casamento. Ela chorava, pedia ao pai para voltar com ela na loja para destrocar o vestido e o pai fazia pouco caso de seu drama, quando ela finalmente o convencia e eles chegavam à loja, a vendedora não podia ajudá-la e ela chorava ainda mais desesparadamente… meu Deus! Me deu um nó na garganta só de imaginar a aflição daquela noivinha. Ainda bem que foi só um sonho mau. Que alívio!

 

Também já tive meu pesadelo de noiva (e olha que ainda faltam 333 dias para o nosso Casamento!! kkkk).

No meu sonho - ops! Pesadelo -, eu me arrumava, chegava na Igreja no horário certo (batista sem se atrasar?! Sei… só em sonho mesmo! rs), dava a hora da cerimônia e… cadê meu pai????? Me batia um desespero, todo mundo ficava caçando papai, ninguém o encontrava, a gente ligava pra ele e ele não atendia os telefonemas, um desespero só! Até que minha mãe dava o recado que ele mandou: “pode casar sem mim, que eu não vou nesse casamento”. Que vontade de chorar! Que tristeza!! Mas a hora da cerimônia já tinha se avançado muito, e praticamente me obrigaram a casar sem meu pai. Meu irmão, que seria meu padrinho, me conduziu até o altar e a Sabrina, que fazia par com meu irmão, entrou com meu tio Paulo. Depois que terminou a cerimônia, em vez de ir para a festa, resovia ir atrás de meu pai, queria ver o que aconteceu e porque ele não foi ao meu casamento. Quando chegava em casa, encontrava meu pai deitado, com a cara inchada de chorar, a farda de gala dele pendurada no quarto (papai é Bombeiro) e ele dizendo que não ia no casamento. Imagina só! Eu, de noiva, largando todo mundo no salão de festas e correndo atrás do meu pai chorão tentando convencê-lo a participar desse momento importante na minha vida e ele fazendo ceninha de ciúmes! Hahaha!

Hoje estou rindo mas, no dia, acordei soluçando de tão desesperada! Ainda bem que foi só um sonho. Quero dizer, pesadelo de noiva. Ufa!…