Casamento x Maquiagem

.

.

Quando tinha por volta de 16 anos, minha mãe já era Consultora Natura. E, quando acontecia algum evento que ela não podia ir, eu a representava e nisso acabei fazendo cursinhos de perfumaria e de maquiagem. Não saí expert, mas consegui guardar alguns ensinamentos e um deles é que não devemos nos focar em “consertar” as imperfeições, mas dar destaque nos pontos positivos.

Assim deve ser com o Casamento (e outros relacionamentos, inclusive): não devemos tentar ficar mudando o outro, reclamando de seus defeitos; devemos prestar atenção e valorizar as virtudes e qualidades do companheiro para o relacionamento ficar cada vez mais bonito.

Voar, voar…

Outro dia estava observando um pardal em um galho na árvore. Ele era visivelmente novinho, não tinha todas as penas amadurecidas, ainda tinha penugem. Ele pulava de um galho para o outro piando. Pulava para lá, pulava para cá e nada de levantar vôo. O pior é que ele estava sozinho nessa empreitada! ‘tadinho!! E o bichinho continuou alguns minutos ali, pulando e piando até que… VOOU! Simples assim. Voou e sumiu.

Fiquei pensando… assim é a nossa vida! A gente fica protegidinho no ninho com nossos pais até uma hora em que eles precisam nos deixar voar sozinhos.

Tô vivendo uma fase parecida com a do pequeno pardal. Estou noiva, de casamento marcado, organizando uma coisa ou outra da festa, da cerimônia, da casa nova e muitas das vezes preciso fazer sozinha, sem minha mãe que sempre foi minha companheira e sem meu pai que sempre foi meu amigo. Deve ter sido difícil para a mamãe pardal ver seu filhotinho alçar seu primeiro vôo solo e não poder ajudá-lo. Era preciso deixá-lo fazer isso sozinho, ele precisava aprender voar, ser independente. Acho que deve estar sendo igualmente difícil para meus pais me assistir “piando de um galho para o outro” para que eu possa aprender a voar sozinha e construir meu ninho por aí.

Mas, graças a Deus, somos diferentes dos pardais. Deus nos fez seres sociais, que mantém laços e vínculos. Aleluia! 🙂

Confesso que tô morrendo de medo de voar e construir meu ninho, mas sei que assim que eu “piar” mais alto, meus pais virão voando impedir que eu caia do galho e me ensinarão a voar de maneira correta, mais alta e mais bonita.

Agradeço muito a Deus por essas pessoas maravilhosas que Ele comissionou para serem meus pais. Sei que essa missão não foi fácil, mas eles a tiraram de letra e a prova disso é que voarei alto com os ensinamentos dados por eles. Tenho muito orgulho de ser filha de quem sou: um casal batalhador, pessoas honestas, uma dupla amorosa, pais carinhosos e dedicados, que serviram (e servirão) de espelho para mim e para tantas outras pessoas que conhecemos.

Senhor, obrigada pelos pais que me deu. Me ensine a honrá-los em cada dia de minha vida. Amém!


Dedico este post a Sérgio Roberto Imenes de Oliveira & Silvana Vasconcellos Imenes de Oliveira, os melhores pais do mundo (pena que só Vítor e eu temos esse provilégio… rs).