Clima de romance

Ontem estava em casa terminando de preparar o almoço quando recebo um SMS do Marido avisando que se atrasaria um pouco para a refeição. OK. Só me restava esperar.

Poucos minutos depois ele chega, olha pela janela com aquela cara de traquinas que só ele tem e vem até mim por trás e me surpreende com um mimo:

CAM05232

Lindas flores!!

Já fazia um tempinho que não recebia flores, então perguntei se havia alguma razão especial para o presente. E ele respondeu simplesmente: Eu amo você!

E é isso! Fiquei meditando no gesto de meu esposo. Há quem diga “ele deve estar devendo!” ou “isso é culpa!” (infelizmente já ouvi isso outras vezes), mas prefiro acreditar na justificativa dele: EU AMO VOCÊ e isso já é razão mais do que suficiente para me alegrar com o ramalhete escolhido.

Dizem que a rotina mata o Casamento. Para alguns pode até ser verdade, mas gosto de nossa rotina e da segurança que ela me traz. Até porque volta e meia nossa rotina tem uns pontos especiais que podem até ser pequenos, mas que para nós muito significa: um chocolate no travesseiro, um bilhetinho na gaveta, um bolo de aniversário, o preparo do prato favorito, uma pizza no meio da semana, um buquê de flores… Tudo aparentemente sem motivo, mas com a mais linda e sublime razão: NOSSO AMOR.

2014 / 2015

2014 foi um ano difícil, mas também foi um ano de bênçãos.

E glórias a Deus por nos fazer passar por atribulações, pois assim damos real valor às bençãos quando estas chegam.

 

2014 foi ano que lutamos loucamente para receber nosso apartamento. Imóvel que compramos, pagamos em dia, mas a MRV estava segurando para nos entregar as chaves. Em junho Deus disse “basta!” e nos entregou nosso lar, que estava comprado desde maio de 2010.

Em 2014 sofri perdas irreparáveis. Em agosto Yuri, um ex aluno, faleceu e em novembro, depois de muito lutar, minha tia Katia também se foi. Mas em dezembro, pouco depois do grande sacode que os Imenes levaram, Deus nos presenteou com a gestação de minha prima Jennifer (filha da tia Katia). Rebecca vem aí para dar mais cor de rosa à nossa família.

Em 2014 Deus nos orientou a mudar de Igreja. Ele não nos queria mais congregando longe de casa e colocou em nossos corações o desejo de encontrar uma “família espiritual” em Mambucaba. Depois de muito orar, falar e ouvir ao Senhor, estamos congregando na PIB em Mambucaba, aqui pertinho de onde Deus escolheu para morarmos.

Em 2014 fomos padrinhos de Casamento de Bianca & Alcidney , casal que foi morar logo ali em Boston (EUA). A saudade aperta, mas o conforto vem do Senhor, que os mandou para lá.

Em 2014 fizemos uma pequena reforma no ap que o Senhor nos deu. O pedreiro estragou o material mais caro da reforma, mas Deus providenciou o ressarcimento do prejuízo e, em 20 de dezembro, nos mudamos para o nosso tão esperado e amado lar.

Em 2014 Deus nos providenciou uma nova sobrinha: Emanuele, de Sabrina & Walter. A pequena Manu já chegou causando: Sabrina engravidou no susto, a gravidez era cercada de cuidados e Manu queria nascer bem cedo, aos 6 meses de gestação. Mas Deus, que é um Deus de amor e cuidado, guardou Manuzinha no forno até janeiro/2015.

Em 2014 fomos surpreendidos por Deus em cada detalhe de nossas vidas. Seja na dor da perda, na demora da entrega do que é seu por direito, seja na frustração de um plano… em qualquer coisa que nos acontece, Deus está olhando lá na frente e tomando conta de nós.

Hoje Deus faz. Amanhã você entende.

Deus de Surpresas

Deus é maravilhoso, surpreendente!

Em julho, minha amigas de infância e eu combinamos de comer uma pizza juntas neste final de semana (02 de agosto). Mas, na quarta feira, para a minha surpresa, uma delas entrou em contato desmarcando o encontro. As outras murcharam e resolvemos então adiar a pizza. Na hora fiquei virada no samurai: “Como assim?! Depois de mais de 2 anos sem a gente se encontrar todas juntas ela desmarca em cima da hora?!” – pensei chateadíssima. Mas, após a raiva passar, pensei melhor, ajudei a remarcar o encontro e tive um outra ideia para o final de semana. Resolvi com Leandro que iríamos passear em Penedo.

Mas Deus sempre nos surpreende. Havia em encontro de motoqueiros em Penedo e a cidade estava lotada. Não havia lugar para a gente se hospedar. Mais uma vez me chateei e mais uma vez Deus nos surpreendeu. Resolvemos ir para Visconde de Mauá e nos hospedar na Pousada Recanto do Pinheirão. Tudo acertado e, antes do Leandro fazer a transferência para reservar o quarto, descobrimos que o quarto que queríamos havia acabado de ser reservado por outra pessoa. “O que não tem remédio remediado está! Vamos ficar com o último quarto da pousada, então.”

Como disse, Deus sempre nos surpreende. Chegando a Visconde de Mauá fomos apresentados aos nossos aposentos. Que quarto lindo!! O quarto mais lindo, encantador e acolhedor que já ficamos hospedados. Tinha lareira, banheira, água quentinha, sauna, deck, rede na varanda, cama fofinha, café da manhã delicioso… Que final de semana maravilhoso! Foram os 2 dias mais tranquilos e gostosos que já passamos fora de casa.

Voltamos para casa e ontem, antes de dormir, planejei em minha mente o dia de hoje. Coisas simples: vou acordar às 6h45min; prepararei o café da manhã para mim e meu marido lindo; colocarei roupas para lavar; irei ao curso de Inglês; quando voltar, colocarei as roupas no varal; farei nosso almoço…

Mas Deus sempre nos surpreende. Hoje, quando amanheceu, o tempo fechado nem de longe lembrava o sol lindo que estava ontem. Me aborreci. Como lavaria todas as roupas do fim de semana?! Fiquei chateada.

Mas, como já disse anteriormente, Deus sempre nos surpreende. Além de não ter chovido e eu ter conseguido lavar as roupas e deixá-las pegando um ventinho para depois estendê-las dentro de casa mesmo, fiquei pensando no versículo “Do homem são as preparações do coração, mas do SENHOR a resposta da língua.” (Provérbios 16:1)

Já pensou se tivesse encontrado minhas amigas para a pizza? Com certeza seria uma noite agradável, mas não era o que Deus havia reservado para mim e Leandro. Precisávamos daquele final de semana de folga, precisávamos da tranquilidade de Visconde de Mauá e não do encontro do motoqueiros de Penedo. E se tivéssemos ficado com o primeiro quarto aproveitaríamos o lugar, mas Deus havia reservado, literalmente, o melhor quarto da pousada para nós. Aprendi que tenho que aproveitar as surpresas que Deus nos faz em vez de, de cara, ficar chateada. Tenho que aprender a largar o controle nas mãos dEle e deixá-lo governar minha vida, pois Ele sempre tem o melhor para mim e minha família.

Quando você pensa que tem tudo sob controle, Ele vem e te mostra quem é o Dono de tudo, inclusive do desfecho de nossos planos (por mais simples que eles sejam). Deixe Deus te fazer uma surpresa. Ainda hoje!!

♥ N. E. O. Q. E. A. V. ♥

Ontem, depois do trabalho, o lindo noivo que Deus me deu me trouxe para casa. Deu uma passada rápida por aqui, beijou meus pais e foi embora para sua casa. Hoje na hora do café da manhã fui pegar no escorredor de pratos a caneca que Leandro me deu e encontrei uma linda surpresa:

Minha caneca estava rabiscada! Que lindo!! Enquanto estava distraída conversando com meus pais, ele foi até a cozinha e escreveu “NEOQEAV” na minha caneca! 🙂

 

NEOQEAV é uma brincadeira que começamos a jogar em 2008, no início do nosso namoro. Minha maninha Sabi que nos ensinou esse jogo. Gostei tanto que mostrei a Leandro e começamos a brincar. Já escrevemos NEOQEAV em vários lugares, mas dessa vez ele me surpreendeu legal! 😉 Veja, no texto abaixo, a origem do NEOQEAV. Não sei se a história é verídica, mas é linda.

 

NEOQEAV

Meus avós já estavam casados há mais de 50 anos, e continuavam jogando um jogo que haviam iniciado quando começaram a namorar.

A regra do jogo era que, um tinha que escrever a palavra “NEOQEAV” em um lugar inesperado, para o outro encontrar, e assim que a encontrasse, deveria escrevê-la em outro lugar, e assim sucessivamente. Eles se revezavam deixando “NEOQEAV” escrita por toda a casa, e assim que um a encontrava, era sua vez de escondê-la em outro local, para o outro achar.

Eles escreviam “NEOQEAV” com os dedos no açúcar, dentro do açucareiro, ou no pote de farinha, para que o próximo que fosse cozinhar achasse. Escreviam na janela embaçada pelo sereno, que dava para o pátio onde minha avó nos dava pudim, que ela fazia com tanto carinho. “NEOQEAV” era escrita no vapor deixado no espelho, depois de um banho quente, onde a palavra iria reaparecer depois do próximo banho. Uma vez, minha avó até desenrolou um rolo inteiro de papel higiênico para deixar “NEOQEAV” na última folha, e enrolou tudo de novo. Não havia limites para onde “NEOQEAV” pudesse surgir. Pedacinhos de papel com “NEOQEAV” rabiscado apareciam grudados no volante do carro que eles dividiam. Os bilhetes eram enfiados dentro dos sapatos e deixados debaixo dos travesseiros. “NEOQEAV” era escrita com os dedos na poeira sobre as prateleiras, e nas cinzas da lareira. Esta misteriosa palavra tanto fazia parte da casa de meus avós, quanto da mobília.

Levou bastante tempo para eu passar a entender completamente e gostar deste jogo que eles jogavam. Meu ceticismo nunca me deixou acreditar em um único e verdadeiro amor, que possa ser realmente puro e duradouro. Porém, eu nunca duvidei do amor entre meus avós. Este amor era profundo! Era mais do que um jogo de diversão, era um estilo de vida!

Seu relacionamento era baseado em devoção e uma afeição apaixonada, igual as quais nem todo mundo tem a sorte de experimentar. O vovô e a vovó ficavam de mãos dadas sempre que podiam. Roubavam beijos um do outro, sempre que se batiam um contra outro, naquela cozinha tão pequena. Eles conseguiam terminar a frase incompleta do outro, e todo dia resolviam juntos, as palavras cruzadas do jornal. Minha avó cochichava para mim, dizendo o quanto meu avô era bonito, como ele havia se tornado um velho bonito e charmoso, e ela se gabava de dizer que sabia como pegar os namorados mais bonitos. Antes de cada refeição eles se reverenciavam, e davam graças a Deus, e bençãos aos presentes por sermos uma família maravilhosa, para continuarmos sempre unidos e com boa sorte.

Mas uma nuvem escura surgiu na vida de meus avós: minha avó tinha câncer de mama. A doença tinha primeiro aparecido dez anos antes. Como sempre, vovô estava com ela a cada momento. Ele a confortava no quarto amarelo deles, que ele havia pintado dessa cor para que ela ficasse sempre rodeada da luz do sol, mesmo quando ela não tivesse forças para sair. O câncer agora estava, de novo, atacando seu corpo. Com a ajuda de uma bengala e a mão firme do meu avô, eles iam à Igreja toda manhã. E minha avó foi ficando cada vez mais fraca, até que, finalmente, ela não mais podia sair de casa. Por algum tempo, meu avô resolveu ir à Igreja sozinho, orando a Deus para zelar por sua esposa. E então, o que todos nós temíamos aconteceu: vovó partiu…

“NEOQEAV” foi gravada em amarelo, nas fitas cor-de-rosa dos buquês de flores, do funeral da vovó. Quando os amigos começaram a ir embora, minhas tias, tios, primos e outras pessoas da família se juntaram e ficaram ao redor da vovó pela última vez. Vovô ficou bem junto do caixão da vovó e, num suspiro bem profundo, começou a cantar para ela. Através de suas lágrimas e pesar, a música surgiu como uma canção de ninar que vinha bem de dentro de seu ser. Sentindo-me muito triste, nunca vou me esquecer daquele momento. Porque eu sabia que mesmo sem ainda poder entender completamente a profundeza daquele amor, eu tinha tido o privilégio de testemunhar a beleza sem igual que aquilo representava…

 

Aposto que a esta altura você deve estar se perguntando: “Mas o que NEOQEAV significa?”

Essa linda palavra quer dizer:

“NEOQEAV” = NUNCA ESQUEÇA O QUANTO EU AMO VOCÊ!!!

E você? já surpreendeu seu amor hoje?